quarta-feira, novembro 20, 2019

Texas : Austin, Houston e San Antonio

River Walk Area :  San Antonio
                     
Muitos dos 50 estados americanos do norte são totalmente desconhecido da maioria dos brasileiros, por exemplo, mas poucos são tão conhecidos como o Texas - estado com identidade forte, divulgada, provavelmente, pelo cinema, pela música e/ou  pela  indumentária. Suas principais cidades são Dallas, Houston, San Antonio e Austin.


Centro de Houston

Texas , hoje um dos maiores estados norteamericanos,  foi, inicialmente,  explorado e colonizado por espanhois, mas em 1821, quando o México se tornou independente da Espanha, passou, então, a controlá-lo. Desenrolou-se, a partir daí,  uma história dura e sangrenta, como a rebelião em Alamo, no ano de 1836. Nesse mesmo ano, Texas passou a ser independente  e tornou-se uma república. Nove anos depois,  transformou-se em mais um estado norte americano.



Histórica  Missão  em San Antonio


A economia do Texas foi inicialmente de base agropecuária, diversificando-se, desde o início do século XX, com a surgimento e expansão do setor financeiro e das indústrias petrolífera e aeroespacial. O estado é hoje o segundo dos Estados Unidos com maior população: em 2018, divulgou  um total de 28.701. 845 pessoas.


Festa em San Antonio :  influência mexicana

Como não poderia deixar de ser, pela própria história dos dois países,  podem ser percebidas, no Texas e em outros estados do sul, influências  da cultura mexicana - como as festas da morte. Tais influências estão bem presentes  em temas de festas e na culinária cotidiana . Quem nunca experimentou burritos  e tacos?


Tema da festa a que assisti em San Antonio

A fusão da cozinha mexicana e estadunidense é conhecida com a denominação de Tex - Mex, tornando-se popular tanto no Texas, quanto em algumas partes do México. A culinária Tex - Mex usa muita carne vermelha, pimenta, especiarias. tortilhas de milho, queijo e outros ingredientes comuns nos pratos de ambos os países. São comidas fáceis de preparar e que podem ser servidas inclusive em trailers de comida na rua, mas não é, como algumas pessoas pensam, a tradicional comida mexicana.


Salada de pato : uma das minhas comidas preferidas

Na sequência deste post, escreverei sobre as duas cidades do Texas - Houstin e San Antonio - que eu visitei nesta viagem 2019/2. Não estive em Austin, que visitei em 2005, quando eu ainda não costumava fotografar e nem tinha blog - Correndomundo foi iniciado em abril de 2006. Meu carinhoso agradecimento a  Alan e Mara Reid, pessoas que costumo visitar onde estejam. 


Alan e Mara

Sobre a visita a Austin, em 2005, eu escrevi:

"Estou em Austin, com a Edmara, desde sexta.Amanhã, segunda-feira,volto para Atlanta. A Caçula, como eu a chamo, trabalha no   Departamento de Educação a Distância da Universidade do Texas, como produtora de cursos para educação básica via internet.   Ela já ganhou prêmios nacionais na área de multimídia aplicada à educacao.È casada com Alan,    professor de Matemática da mesma Universidade. Eles moram num lugar muito bonito.Passeamos  e conversamos muito(...) "



Houston

Planejo  retornar ao Texas para visitar meus queridos amigos, ir a Dallas e  chegar até El Paso e Laredo, na fronteira com o México. Talvez o desejo de ir a essas duas cidades fronteiriças tenha
o incentivo dos tantos filmes, documentários e reportagem a que assisti sobre a região. Veremos!


Outra salada de pato...em San Antonio

" Durmo. Regresso ou espero?
Não sei. Um outro flui
Entre o que sou e o que quero
Entre o que sou e o que fui."

Fernando Pessoa


Exposição de cerâmica - Houston

quarta-feira, novembro 13, 2019

Montreal : Cidade para ver e rever

Exposição de fotos nas ruas de Montreal

Em 2011. escrevi o post que transcrevo a seguir, alterando-lhe somente as fotografias. Esse post está no correndomundo em :      https://correndomundo.blogspot.com/2011/06/montreal.html  com o título      Montreal, a Cidade de Leonardo Cohen. Desta vez,  viajei a Montreal desde Atlanta, pela Air Canadá, fazendo conexão em  Toronto. 



Muitos parques na cidade

Sempre me falaram em Montreal como uma cidade de língua francesa. Saio daqui com a convicção de que Montreal é bilingue ; francês e inglês. Fala - se inglês sem problema - e falam-se muitas outras línguas porque, tal como Toronto, é uma cidade multicultural. Apesar disso, é a segunda maior cidade falante de francês no mundo,  vem logo depois de Paris.


Catedral de Montreal

Ostenta denominações como: cidade mais europeia do continente norte-americano; capital das artes,dos espetáculos e da cultura; cidade de Leonardo Cohen, em que ele aprendeu a cantar, escrever  e pintar. Onde, entretanto,  eu percebi mais o europeísmo de Montreal foi na elegância das roupas e das pessoas e na presença de invejáveis cafeterias - eu amo café e conheço as cidades pelo cheiro dele! Sim, e também no fato de que muita gente circula pelas ruas.


Detalhe de esculturas da fonte próxima  à Catedral


Só podia mesmo ser capital das artes. Cerca de noventa festivais se realizam aqui todos os anos. O Festival de Jazz de Montreal é um dos mais famosos no mundo. A Place des Arts ( http://www.pdarts.com/ )é um grande complexo de salas de espetáculos e de teatros, situada em meio a outra ampla praça , junto ao Museu de Arte Contemporânea - esse museu prioriza os artistas contemporâneos do Quebec.



Ruas subterrâneas no centro de Montreal

A cidade tem duzentas companhias profissionais de teatro e cinquenta companhias profissionais de dança. No Museu de Belas Artes, encontram-se obras de pintores famosos, como Rembrandt. A produção em Arte de Rua impressiona pela beleza e boa qualidade.A democratização do acesso à arte pode ainda ser percebida na presença de muita esculturas, em estilos diversos, espalhadas por Montreal.


Arte de Rua

Como se não bastasse tudo isso, é a cidade de Leonard Cohen e o nascedouro do mundialmente conhecido Cirque du Soleil. Passávamos na Praça das Artes todos os dias e ficávamos impressionados com o grande número de pessoas circulando pelo local ou conversando em bares próximos.


Jérôme Sordillon, artista do Cirque du Soleil, em Exposição de Fotos.


Encantei-me com a cidade subterrânea com seus dezoito quilômetros de ruas embaixo do centro da cidade.e onde se vêem shopings , cinemas, bares, galerias, restaurantes, livrarias, centros de lazer, estações de metrô e muita gente o tempo todo. São mais de 1600 lojas, 40 bancos, 30 cinemas e 10 estaçoes de metrô. Alguns prédios de hotéis e grandes magazines principalmente têm sua "continuidade"para a subterrânea. O uso de muitas estruturas de vidro faz com que belos raios de sol cheguem até a , totalmente climatizada, underground city.


Underground city.


Há muitos lugares a serem visitados em Montreal, como a Basilica de Notre Dame; o Velho Porto , revitalizado, em 1980, e transformado numa imensa área de lazer; a  Santa Catarina, rua com o maior número de lojas do Canadá; o Parque Olímpico; o  Parque Mont - Royal , construído por Frederick Law Olmsted que também criou o Central Park de Nova York; o Bairro Chinês e os museus e galerias.


                                                                       Detalhe do Bairro Chinês


Distante bem menos de cem km da fronteira americana, Montreal merece ser visitado - e bem visitado. Está na lista das vinte cidades mais seguras do mundo e nas cinco mais seguras da América. Uma cidade segura , a priori, já  me atrai, já a considero uma cidade boa de visitar. Eu tenho medo de sentir medo."



                                                                  Edifícios no Centro de Montreal

Pelo texto de 2011 com fotos de 2019,  observo que Montreal, cada vez mais, continua sendo cidade para ver e rever. Meu interesse por ela só aumentou....e meu medo de sentir medo também. Encanta-me a beleza, a tranquilidade e a segurança que sinto no Canadá - um país que, se eu fosse jovem, escolheria para viver...entre outros. 


Voltarei ao Canadá...espero!


"Não quero a noite
senão quando a aurora
A fez em ouro e azul se diluir.
O que a minha alma ignora
É isso que quero possuir."

Fernando Pessoa



Ópera de Montreal

segunda-feira, setembro 16, 2019

Quebec City : Informações e Sugestões - 2a. Parte

Quebec City

Inicio esta segunda parte com a lista que fiz dos lugares que eu indicaria para serem visitados, considerando uma permanência de, no mínimo, três dias em Quebec City. Quem sabe acrescentar um dia a mais e ir até a Ilha de Orleans ou à Catarata Montmorency - que é mais alta que Niágara nos Estados Unidos.


Quebec City: cidades-irmãs

Eis minha lista:

Terraço Dufferin;
Castelo Frontenac;
Citadelle ( 1750);
Cidade Baixa ( no mínimo, um dia);
Cidade Alta ( no topo do platô);
Basílica de Notre Dame;
Capela e Museu das Ursulinas ( Monastério );


Catedral Anglicana
Igreja de São Roque e o Bairro do mesmo nome;
Catedral Anglicana ( Holy Trinity );
Museu Nacional de Belas Artes;
Museu da Civilização ;
Praça das Armas;
Praça Royal;
Porto Velho;


Interior da Notre Dame

Grande Teatro de Quebec;
Muralhas;
Prefeitura da Cidade;
Área próxima ao funicular;
Rua do Tesouro;
Rua dos Jardins;
Rua do Petit Champlain;


                                                            Detalhes das Antigas Muralhas

Santuário de Santa Ana;
Seminário de Quebec;
Mercado do Porto Antigo;
Portões, fontes e Monumentos;
Rio São Lourenço;
Parlamento da Província.

Magníficas as fontes de Quebec City...

O último item bem poderia estar em primeiro lugar. O Parlamento da Província - The Assemblée Nationale - está localizado logo depois da muralha antiga. É um palácio imponente, concluído em  1886, com jardins impecáveis, que impressiona tanto pela sua parte externa quanto pela interna. Gratuitamente, é oferecido um tour guiado pelo interior do prédio que mostra inclusive o salão onde os parlamentares se reúnem para as votações.


Interior do Parlamento

Ainda nos falta falar sobre Montreal, uma grande, bonita e sofisticada cidade. Será nossa próxima postagem. Para quem ainda não se decidiu a visitar o Canadá, minha sugestão é que comece por Quebec - Montreal e Quebec City - estenda, depois, para Toronto e Ottawa. Preciso, entretanto, declarar meu encanto por Vancouver! 


Parlamento

A temperatura no país é bastante fria. Acredito que o melhor período do ano para  visitá-lo e entre maio e setembro. Não marque, no entanto , as datas sem  analisar as programações musicais que ocorrem entre primavera e início de outono. Canadá não é um país econômico, mas devolve em beleza, qualidade de vida e encantamento, cada centavo gasto. Convém,sim, visitá-lo - se possível, sem pressa.


Indescritível a beleza das fontes
"Não tenho pressa: não a têm o sol e a lua.
Ninguém anda mais depressa do que as pernas que tem.
Se onde quero estar é longe, não estou lá num momento.
Sim: existo dentro do meu corpo.
Não trago o sol nem a lua na algibeira...."

Fernando Pessoa

Quebec City


sexta-feira, setembro 06, 2019

Quebec City : Informações e Sugestões - 1a. Parte

Catedral Notre Dame de Quebec

Quebec City, cidade murada, pequena e bela, com ar europeu e que pode ser visitada a pé, era item prioritário da minha lista de desejos nesta viagem 2019/2. Não me decepcionou - muito pelo contrário, encantou-me. Ainda no Brasil, fiz  a relação do que gostaria de ver e de fazer no Canadá, incluindo a decisão de nada de dieta, porque já sabia o quanto é deliciosa a culinária da região. Planos executados e superados. Retorno dando Gracias a la Vida...


Estação de Trens de Quebec City

Percorremos de trem, em 2h 30 min,  os 265 km que separam Montreal de Quebec City.  Trem comum, sem luxo e sem alta velocidade, mas passagem com custo um pouco alto - tabela de preços e descontos aqui : https://international.viarail.ca/pt/ . Fizemos uma viagem boa como geralmente o são as viagens por esse meio de transporte.... Isso na ida , até a chegada na Estação Central... quando me aconteceu um mico inesquecível.


Proximidades da Estação de Trens

A responsável pelo desembarque, ao colocar um tablado entre o trem e a plataforma, não o encaixou devidamente. Ao sair, quando pisei no tablado, ele escorregou o suficiente para me jogar de costas no chão. Tombo feio e escandaloso. Rejeitei ajuda e , movendo-me com dificuldade, consegui levantar-me, superar o susto e controlar minha vontade de rir. Desse momento, guardei duas imagens: a de Ricardo preocupado e a de um homem com a mão na boca, certamente para não rir alto. Dos momentos seguintes, guardei  pequenos hematomas e braços doloridos. 


Castelo Frontenac, ícone local.

Ficamos hospedados no Hotel Jardin du Gouverneur, na rua Mont-Carmel, G1R4A3, no Old Quebec: reserva feita no Booking.com. Com diária ao redor de US 80 para duas pessoas, sem café da manhã, é um estabelecimento simples,  mas confortável e bem cuidado . Seu ponto forte, sem dúvida, é a localização - está numa ruazinha tranquila, em frente ao parque Jardin du Gouverneur, muito próximo ( menos de uma quadra) do Castelo de Frontenac e do Terraço Dufferin. 


Cafeteria muito próxima do Hotel - excelentes panquecas!

O Castelo Frontenac, com seus 80 metros de altura e 650 quartos, foi transformado em hotel cinco estrelas em 1893 - um hotel de luxo com vista para o rio São Lourenço. É hoje seguramente o cartão postal mais conhecido de Quebec City. Muito fotogênico, feito com pedras e tijolos,  ostentando telhado de cobre,  torres e espigões, permite visitas às suas suntuosas áreas sociais, incluindo lojas e elegante cafeteria. Para hospedar-se, entretanto, a diária para duas pessoas, custa a partir de US 500.


Rio São Lourenço  visto do Jardin du Gouverneur

O rio São Lourenço ( Saint-Laurent ), com seus 1197 km de comprimento, conecta o maior grupo de lagos de água doce do mundo - Michigan, Superior, Huron, Erie e Ontário - com o Oceano Atlântico. É um rio navegável desde seu estuário até sua nascente no Lago Ontário , o que o torna muito importante para a economia do Canadá e dos Estados Unidos - serve também de fronteira entre esses dois países. À beira do São Lourenço, estão Montreal e Quebec.


Terraço Dufferin

O Terraço Dufferin, lugar muito agradável e informativo, está localizado no topo do Cabo Diamante - Cap Diamant - e se estende do Castelo Frontenac à borda da Cidadela. Trata-se de uma ampla passarela, com muitos bancos que o convidam a sentar e muitos  quiosques para experimentar centenas de marcas de cerveja. Desse terraço,  podem-se observar gentes do mundo inteiro e desfrutar de  vistas magníficas do rio São Lourenço. Lembrem-se de que acharam o Castelo, acharam o Dufferin e vice-versa.


Passagem para a Cidade Baixa

De chegada a Quebec City, gostei muito de caminhar pela área histórica, conhecida como Velha Quebec, integrante da lista da UNESCO como um dos Patrimônios da Humanidade . É uma área rodeada por 4,6 km de muralhas. Essa parte antiga tem dois níveis : Cidade Alta e Cidade Baixa  que estão conectados por um funicular ou por escadarias.


Escadarias ou funicular?

É  aconselhável descer por esse funicular - ou descer pelas escadas e deixar o funicular para a volta - e  deixar-se levar pelo Quartier  Petit-Champlain, um primor de lugar  com sacadas cheias de flores coloridas, um  lugar supercharmoso, com ruazinhas estreitas, cafés que lembram a França, pequenos bristôs, galerias de arte, lojinhas e butiques. A Cidade Baixa foi restaurada nos anos 70. Por aqui também estão o Museu de Belas Artes e o Museu da Civilização.


Descida para a Cidade Baixa  pela escadaria de 59 degraus, conhecida como quebra - pescoço

Há muitos e bons restaurantes nesta área. Gostaria de sugerir um deles, que me foi indicado como um dos melhores da Cidade Baixa e que contatamos ser mesmo muito bom. Refiro-me a Cochon Dingue, com boa cozinha, comida variada e deliciosa. O preço - almoço -  não chega a ser um exagero : em média, deve chegar a US 45 por pessoa - considerando que o dólar americano está hoje a pouco mais de 4 reais....


Restaurante sugerido

Na 2a. parte deste post, escreverei sobre Igrejas, Parlamento e alguns bairros diferentes e bem interessantes. Concluirei esta primeira parte com imagens de comovente beleza : jardins e flores. Qualquer dúvida ou omissão, por favor, contatem-me que responderei certamente com alegria. Bom fim de semana!


Alegria e  paz!

" Ter pressa é não saber chegar.
Vou devagar.
Vou devagar porque o que é sorte,
E o que é morte,
Não as busco, não as evito,
Vem-me buscar.
Por isso vou sob o infinito
Sem me apressar."

Fernando Pessoa            


Quebec


quarta-feira, setembro 04, 2019

Canadá - Província de Quebec - Montreal e Quebec City



Mapa  do Canada 

Minhas desculpas iniciais pelo teclado que estou usando e que não estah ajustado 'a escrita da Lingua Portuguesa, no que se refere 'as notações lexicas. Estou agora no Canada, onde cheguei, com uma hora de atraso, num voo direto, Atlanta - Montreal, pela Delta Airlines, com duração de 2h 30min e custo igual a voos de dez ou 12 horas!!! Estava, antes,  nos Estados Unidos,  visitando meu filho e sua familia - para onde devo retornar  na proxima semana. 


                                                                                  Canadá

Jah estive outras vezes no Canada. Sou encantada com esse pais, deslumbrada mesmo, por sua gente, suas paisagens, sua arquitetura, seu desenvolvimento social e cultural, seu respeito pela diversidade, enfim ....tudo. Jah estive em  varias de suas cidades, todas encantadoras, como Vancouver, Toronto, Ottawa, Banff, Jasper, Winnipeg e Montreal.... Faltava-me, entretanto, Quebec City - lacuna que serah preenchida desta vez.


Caf'e melhor que dos US...pior seria impossivel!!!

Situado no extremo norte do Continente  Americano, Quebec é a maior província do Canadá. Está localizada na grande área - inicialmente chamada de Nova França - descoberta no século XVI, pelo francês Jacques Cartier. Posteriormente, em 1750,  foi dominada pelos ingleses. Diz-se que as referências francesas permaneceram tão fortes, que motivaram dois plebiscitos - o último em 1995 - para definir se Quebec seria ou não um estado independente. Os apoiadores da separação perderam por pequena margem de votos.


Da janela do trem, no caminho entre Montreal e Quebec City.

Canadá, cuja capital é a pequena, agradável e bonita Ottawa, tem cerca de 38 milhões de habitantes. Quebec, sua maior província, abriga 7 milhões de pessoas, quase todos falantes de francês - mas quem, como eu, não vai além de merci, pode tranquilamente falar inglês e nem precisa perguntar se o interlocutor entende. Tem-se a impressão de que o país é bilingue - o que me parece verdadeiro para Toronto e Montreal.


Street Art em Montreal

As paisagens  canadenses,  como estas que vi agora, entre Montreal e Quebec City, são  realmente bonitas. Posso, entretanto afirmar, que uma viagem de trem, por outras províncias do país, torna-se também realmente inesquecível. Recordo, quando Ronald e eu fomos de Toronto a Vancouver, com paradas, de ao menos dois dias, em cada cidade do caminho percorrido, a emocionante beleza em especial das cascatas, das montanhas e dos lagos.


Lembrando-me Illinois, grandes plantações de milho e soja

São duas as cidades principais da Província de Quebec:  a multiétnica Montreal, famosa por razões diversas, entre elas pelo número de estudantes estrangeiros que acolhe e pela alta qualidade dos cursos ofertados, e a  perfeitíssima Quebec City, que parece ter sido construída por mãos de fadas para ser cidade cenográfica - um presepinho, como diriam alguns italianos. Os próximos posts do Correndomundo irão tratar, separadamente, de cada uma dessas cidades.


Ricardo Holderbaum Do Amaral

Antes de passar a escrever sobre Montreal e Quebec City, registro meu agradecimento ao Ricardo, meu sobrinho por escolha, já que é filho de Antônio Ângelo e Neneca, meus amigos-irmãos de toda a vida e de todas as horas, inclusive as mais difíceis. Nesta viagem ao Canadá, fui acolhida e acompanhada por ele, com dedicação, afeto e gentileza. Ricardo, esta viagem é parte da minha aventura de estar viva (como diz a Neneca ) : uma aventura que teve no teu sólido conhecimento médico e  na tua sensibilidade de gente boa, o maior suporte. Merci!



                                                                            Montreal


Há um tempo em que é preciso;
abandonar as roupas usadas;
Que já têm a forma do nosso corpo;
E esquecer os nossos caminhos 
que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia;
E se não ousarmos fazê-la,
Teremos ficado para sempre
À margem de nós mesmos."

Fernando Pessoa