quarta-feira, janeiro 22, 2020

Sighisoara - la Bella!

Igreja ( Biserica ) e Mosteiro de Sighisoara


Pensem em uma cidade de comovente beleza, que conserva inalterados os elementos medievais,  localizada numa colina de 425 metros de altura, fundada em 1191,  à margem do rio Tâmava Mare, rodeada por outras tantas colinas e  cuja cidadela está incluída no Patrimônio Mundial da UNESCO ... Assim é Sighisoara, que merece uma visita e merece a gratidão por tê-la visitado na Romênia.



Íngreme passagem  através da Torre do Relógio


É bem interessante poder ver, claramente, em Sighisoara, a estrutura de uma cidade medieval, que tem a Torre do Relógio como um de seus emblemas mais fortes - ela vigia tanto a entrada quanto a saída do Centro Histórico, sendo o principal acesso à antiga Cidadela . 



Torre do Relógio


A Torre foi construída entre os séculos XIII e XIV. Sabe-se que tinha antes uma forma mais simples e mais austera. Sabe-se que tinha antes uma forma mais simples e austera. Sua forma atual foi-lhe dada no século XVI, quando foram acrescentados a ela mais dpois níveis e um mirador. Em séculos posterios, recebeu novos acréscimos, como as figuras que indicam os dias da semana e que mudam à meia-noite.



Símbolo de Sigsoara


Em  1899, por iniciativa do médico Josef Bacon, a Torre do Relógio passou a albergar no acervo documental de Sighisoara, o Museu de História da Cidade. Ao redor da Torre e da antiga Praça da Cidadela, acontece a vida comunitária local, incluindo as fotos de noivas (que aumentaram minha coleção).  Antigamente era o lugar da culminância de processos que finalizavam com execuções - o condenado era amarrado e morto no então existente Pilar da Infâmia. 



Noivos na Torre do Relógio


Nas casas que estão na Praça da Cidadela, em frente à Torre do Relógio, viviam os nobres, as pessoas ricas e as pessoas que tinham influência na sociedade. Entre elas, elegiam-se os prefeitos e os conselheiros da cidade. Suas casas eram bem mais suntuosas que as casas dos demais moradores. 



Casas históricas reconstruídas


Numa desses palacetes, no lugar dos nobres, por alguns anos, viveu o Conde Vlades - o famoso Drácula ( el empalador ) Nele funciona hoje um restaurante chinês, tipo caça-turista, que tem até um ataúde ocupado por um com um Drácula. Não estive lá porque não gosto de comida chinesa e não gostei do que li sobre a decoração. Na frente dele, a escultura  abaixo. 




Conde Vlades na rua onde teria vivido...


Sighisoara, cidade e município, distrito de Mures, região da Transilvânia, com população ao redor de 30 mil habitantes, é realmente uma das mais preservadas e bonitas cidades medievais da Romênia. Oferece bons hoteis, restaurantes e passeios belos e agradáveis nas proximidades. A fotogênica Sigsoara merece uma câmera melhor que a minha e um fotógrafo idem. Sorry!



Assim eram todos os móveis da Casa Saseasca onde nos hospedamos

"Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer... "


Fernando Pessoa


Já construindo itinerário para 2020/1 ( Bucovina e Moldávia )


domingo, janeiro 19, 2020

Sibiu - Bela Cidade Medieval da Romênia

Muitas - e diversas - igrejas no Centro Histórico



Centro econômico e cultural da região, cidade situada às margens do rio Sibin, na Transilvânia, a agradável Sibiu foi fundada por colonos saxões, no inicio do século XII.  A data que se considera como de sua fundação é 1191, ano em que ela foi mencionada pela primeira vez, em  um documento, com a denominação de Cibinun.  Desde 2007,  integra a relação de Patrimônios da Humanidade / UNESCO.



Fonte no Centro Histórico - Praça Grande


Muralhas do século XII cercam o centro de Sibiu, que é um conjunto com admirável unidade, combinando elementos arquitetônicos típicos de cidadela alemã com elementos do barroco. Por todo ele, ruazinhas bem estreitas, casas antigas que pertenceram a artesãos germânicos, praças muito amplas, torres, muros e pontes - elementos de defesa na Idade Média.




Praça Grande - Centro Histórico



Muito agradável para caminhar, o Centro histórico segue a tendência de proibir o trânsito de automóveis e de tornar-se unicamente área para pedestres. As três praças antigas estão localizadas nesta parte da cidade, rodeadas por bonitos e bem cuidados edifícios barrocos. Das três praças, a maior e mais conhecida é a Praça Grande.




Centro Histórico



A bonita Praça Grande - movimentado lugar de encontro tanto de moradores locais quanto de turistas - mede 142 metros de comprimento e 93 metros de largura. Nela está também o Palácio  de  Brukenthal, construído entre 1781 e 1785 pelo barão Samuel von Brukenthal, governador da Transilvãnia Esse palácio foi o primeiro Museu da Rumênia  conforme estava estipulado no testamento do barão. Hoje, tem a denominação de Museu de Brukenthal  e  exibe um interior barroco com móveis e acessórios originais.




Pedro na Praça Alta


Por baixo da Torre do Conselho, alcança-se a Praça Pequena ( Plata Micá ) que, na Idade Média, tinha o nome de Circulus Parvus e era centro comercial da Cidadela. A maioria dos edifícios ao redor, pertenciam aos joalheiros, grupo de pessoas muito prestigiadas e influentes na época. Nessa praça, está o Museu da História dos Farmacêuticos, num edifício de 1568, onde foi a primeira farmácia da Romênia.




Praça Pequena ao fundo


Em 2007, Sibiu recebeu o título de Capital Europeia da Cultura - juntamente com Luxemburgo. Em outubro do ano anterior, havia sido restaurada a muito conhecida e popular Ponte das Mentiras, uma estrutura erguida em 1859.  Foi a primeira ponte de ferro fundido no sudeste da Europa. Serve somente a pedestres e conecta a cidade velha com a cidade nova. É uma construção bastante rara em centro urbano. 




Ponte das Mentiras


Há lendas que contam a origem do nome Ponte das Mentiras. Transcrevo apenas aquela de que mais gostei.  Perto da Ponte havia uma academia militar, e os cadetes vinham à noite paquerar as meninas ou encontrar as namoradas. Eram frequentes declarações como és a menina mais bonita do mundo, ou claro que eu volto para casar, ou  vou sim conhecer teus pais, ou eu te amo para sempre...Está justificado o nome?




Catedral Evangélica


A Catedral é um dos edifícios góticos mais impressionantes da Transilvânia ( século XIV ). Seu campanário mede 73,34 metros de altura. Em seu interior, encontram-se 228 afrescos que evocam cenas religiosas e laicas, acompanhadas de inscrições góticas. Belíssimos os objetos de vidro, madeira, bronze, pedra e mármore ornamentam interior e exterior da Catedral.




Magníficas portas em todas as Igrejas



Sibiu é uma cidade  que tem ao redor de 170 mil habitantes, a maioria rumenos -  cerca de 90% - e a maioria ortodoxa - 89% . População acolhedora, ambientes agradáveis, boas cafeterias, comida deliciosa, município excelente para  fazer parte de um roteiro pela Transilvânia - incluindo o meio rural. A ela chegamos de trem vindos de Brasov e partimos dela para  Sighisoara. Uma visita que valeu, integralmente,  o tempo e o $ gasto.




Muitas igrejas admiráveis em Sibiu




"Trago dentro do meu coração,
Como num cofre
que se não pode fechar de cheio,
Todos os lugares onde estive,
Todos os portos a que cheguei,
Todas as paisagens
que vi através de janelas ou vigias,
ou de tombadilhos, sonhando.
E tudo isso, que é tanto,
é pouco para o que eu quero."
Fernando Pessoa



Mais igrejas de Sibiu


Pedro em Sibiu


quarta-feira, janeiro 15, 2020

Brasov / Transilvânia / Romênia




Entrada para o Centro Histórico de Brasov


Quem visita  Romênia - certamente visita Transilvânia, região conhecida por suas cidades medievais, suas fronteiras montanhosas, seus castelos e fortalezas. Não foram, no entanto, apenas suas extraordinárias construções que a tornaram tão conhecida. E o Drácula? Sim, o vampiro mais famoso do mundo muito contribuiu para essa fama. Eu o conhecia através da obra de Bram Stocker - mas, na  Transilvânia, a gente  percebe Drácula por onde anda.



Drácula, o  Conde Vlad Tepes.



Entre as principais cidades romenas,  que se encontram na Transilvânia, destacam-se  Brasov, Sibiu, Sighisoara, Cluj - Napoca, Bran, Alba Julia, Targu Mures, Bistrita e  Rupea. Nessa região, estão mais de cem castelos - alguns, como o de Sinaia e o de Bran, que estão entre os mais famosos do mundo. Para  elaborar um roteiro pela Romênia, sugere-se a inclusão de, ao menos,  duas cidades: Brasov e Sighisoara. 





Sinagoga de Brasov

Brasov está a 172 Km  da Capital da Romênia. Viajamos de trem desde Bucareste - trem agradavelmente lento, já que nos permitia ver  e até fotografar belíssimas paisagens. As cores de outono, já no final de setembro, começam a mostrar-se; riozinhos correm  em vales onde estão casas com belos jardins; colinas com pinheiros, que exibem do verde-escuro ao cinza prateado. Natureza  exuberante. Perfeição.




Beleza vista do trem...



Ao chegar a Brasov ( falta um sinal diacrítico sob o S por não  haver esse sinal no teclado que estou usando ), fomos para um hotel pequeno e simples, mas confortável e localizado no centro histórico, na Praça Principal. A reserva, como sempre, havia sido feita com bastante antecipação, no booking.com





Centro Histórico - Praça da Prefeitura




O medieval Centro Histórico está sempre cheio de turistas.       Escutam-se, na cidade toda,
línguas as mais diversas, onde o inglês e o alemão parecem competir com o rumeno. Na Piata Sfatului - Praça da Prefeitura -   a qualquer hora, tanto de dia quanto de noite, há muita gente circulando... e fotografando. Diz-se que a temporada turística nunca termina em Brasov, a cidade mais visitada do país.




Para minha coleção...



Para quem ainda não sabe, conto-lhes  que coleciono fotografias de noivas de quase todos os países em que estive. Sorte não é mesmo a gente que procura, é ela que nos encontra! Pois, quando cheguei em Brasov.  era sábado e mês de setembro ... e havia muitos casamentos nas igrejas centrais, e muitos casais sendo fotografados nos castelos no domingo. 



Noiva  aguardando sua vez...



As noivas de Brasov eram lindas e bem tradicionais. Já fotografei noiva com vestido longo, cauda enorme, veu e grinalda, todo o conjunto na cor vermelha, mas vermelha mesmo...Essa noiva, nas minhas lembranças, só foi superada por uma, com igual descrição, mas usando unicamente preto - lembrou-me aquelas viúvas do interior de Portugal. Na Lituania, fotografei uma noiva cujo vestido, bem tradicional, era só nas costas - na frente, shortinho e miniblusa. Já devo ter assistido a mais de 50 cerimônias religiosas de casamento...







Igreja Negra -  a principal de Brasov




No Centro Histórico de Brasov, casas construídas em estilo renascentista, barroco e neoclássico rodeiam a Praça Sfatului,  onde, na esquina próxima, está a Igreja Negra (  1384 - 1477 ) , a maior construção em estilo gótico de toda a Romênia. O nome Igreja Negra lhe foi atribuído depois do incêndio acontecido em 1689. Em seu interior, importantes pinturas do século XV e um órgão com quatro mil tubos. No verão, a Igreja é lugar de belos concertos.




Magníficas portas e portões em Brasov



Penso que a permanência nesta cidade não deve ser menor que três dias. Algumas visitas são imprescindíveis, como à antiga prefeitura, hoje Museu de História;  às igrejas e Sinagoga; Torre das Trombetas com seus 56 metros de altura; à Casa dos Comerciantes, magnífico edifício do século XVI; ao Monte Tampa, cuja altitude é de 967 metros sobre o nível do mar, e  sua área  de  180 metros foi declarada  reserva natural.  Não fui até o topo porque odeio bomdinhos.




Ruazinhas fora do Centro  Histórico



Penso  que Brasov - como de resto toda a Romênia -  merece uma visita  sem pressa. Meu desejo é estar  nesse país, ao menos, por três meses. Estivemos aqui, desta vez,  por três semanas - foi muito pouco. Outra alternativa é retornar anualmente, como fiz com a Itália e faço hoje com a Espanha.



Centro da Cidade


Romênia carrega ainda a vantagem de ter boas cafeterias e ser mais econômica, se comparada a outros países europeus. Faz parte da União Europeia desde janeiro de 2007, mas ainda não adotou o euro. Continua com o Leu romeno. cuja cotação é semelhante a do Real Brasileiro. Neste momento, minha decisão é retornar à região em maio próximo. Enchallah!



Acesso ao Centro Antigo



" Paisagens, quero-as comigo.
Paisagens, quadros que são...
Ondular louro do trigo,
Faróis de sóis que sigo,
Céu mau, juncos, solidão..."


                                                    Fernando Pessoa


Pedro explorando as ruazinhas


sábado, janeiro 11, 2020

Bucareste - Capital e maior Cidade da Romênia

Bucareste : Galeria de Arte Europeia


Bucareste é a capital e maior cidade da Romênia. Tem ao redor de dois milhões de habitantes, sendo a sexta cidade mais populosa da União Europeia - antes dela, Londres, Berlin, Madrid, Roma e Paris. A ela chegamos por um voo direto desde Madrid. Pareceu-me, já na chegada,  que o ícone da cidade era o edifício do Parlamento. 
Parlamento


De fato, considerado o símbolo da megalomania de Nicolae Ceausescu, que governou o país de 1965 a 1989, o Parlamento está no topo das atrações de Bucareste. Com 330 mil metros quadrados, só perde, em tamanho, para o Pentágono. Foi construído entre 1984 e 1989 para alojar as sedes da presidência, do comitê central do partido comunista e de alguns ministérios.



Parlamento e Fonte

Com dimensões exageradas e decorações interiores riquíssimas - em mármore, ouro, cristal - tornou-se atualmente atração turística. Além de órgãos oficiais, abriga também o Museu Nacional de Arte Contemporânea. Pouco é dito, entretanto, sobre o que havia no lugar onde hoje está o Parlamento, as destruições que aconteceram para que ele fosse erguido e fizesse a glória do ditador e da época de ouro da ditadura.



Igreja Ortodoxa 

Chamado às vezes - a meu ver com certo exagero - de Pequena Berlin,  Bucareste tem, atualmente, um Centro Histórico movimentadíssimo, com apresentação de orquestras e concertos de música clássica; tem o Teatro Nacional e muitas esculturas na Praça da Universidade. Destaque, ainda, para a Pracinha Coltea  onde, durante as noites brancas, no início do verão, a efervescência cultural aumenta muito.



Violino Quebrado - escultura  em bronze por Ioan Bolborea

Nas programações culturais das Noites Brancas, destaque também para Noite dos Museus, Noite das Galerias, Noite da Literatura Europeia e Noite das Películas Rumenas. Presença forte de Street Art e de grupos jovens de teatro. A cena artística foi incrementada a partir da adesão da  Romênia  à União Europeia, em 2007.

Centro Histórico

Depois do Parlamento,  pode-se seguir pela Avenida da União, chamada de Vitória do Socialismo antes de 89 ,   passando pela  ampla  Praça da Constituição, onde  acontecem concertos, espetáculos, desfiles e feiras.  Seguindo pela  mesma avenida  , pode-se alcançar a  Praça da União, hoje também Uniri. É , de fato, um percurso interessante, em que se observa inclusive o estilo arquitetônico do regime anterior. 
Carro com Palhaços


Na Praça da Universidade,  está incluída a  pracinha próxima à faculdade de Arquitetura, a 21 de dezembro de 1989,   data da revolução que levou à caída da ditadura  e local em que se desenrolaram os principais acontecimentos para que se chegasse a esse final. Vimos aí  o fantástico conjunto de esculturas de bronze, obra de  Ioan Bolborea,  denominada  Carro com Palhaços, que mede sete metros de altura e pesa 25 toneladas. Ao redor, movimentados espaços em que jovens costumam reunir-se. 



Detalhe do Carro de Palhaços

Nesse conjunto conhecido como Praça da Universidade - que não é uma praça como normalmente se reconhece -  está uma reunião de quatro enclaves que interrompem quase todo o tráfego da zona e que possibilitam  muito os encontros de pessoas, especialmente de universitários. Num pequeno espaço verde, em meio à avenida, algumas cruzes conservam viva a memória do que ali se passou em 1989. Simbolicamente esse mesmo lugar recebeu o  estatuto de  Km Zero, colocado num pilar com as cores da Romênia.



Pedro na Galeria Nacional de Arte
Antes de escrever um pouco sobre o Centro Histórico, relato a explicação que me deram para a expressão indicativa de vagabundos ou pessoa sem ocupação. Com o  incêndio de 1718 e o terremoto de 1738, a corte de Bucarest abandonou o lugar onde os nobres viviam. Esse lugar foi, então, ocupado por ladrões, malfeitores e desocupados, chamados, por brincadeira, de Príncipes da Corte Velha - expressão que passou a ser utilizada com o sentido referido inicialmente.




Parte interna do Monastério Stavrospoleos

                        
Stavropoleos é uma histórica e belíssima igreja ortodoxa ( Biserica ) localizada no Centro Antigo de Bucareste. Muito bem conservada, com   pinturas originais típicas das igrejas da Walachia. Exibe murais pintados, riquíssimos, tanto no interior, quanto no exterior. Gostaria de ter assistido a um ato religioso nesse mosteiro, especialmente em razão dos cantos belíssimos. Muito perto, está o restaurante Caru cu Bere a que vamos nos referir a seguir.



Igreja ( Mosteiro ) Stavropoleos


Caru cu Bere ( Carro  com Cerveja ) é  um dos restaurantes mais famosos de Bucareste. Lugar histórico, construído entre 1875 e 1879, conforme projeto do arquiteto   Zigfrid  Kskyofczin. Foi desapropriado durante o governo  socialista, mas devolvido, depois de 89, aos  herdeiros dos donos originais. A decoração do interior é em estilo romântico, com pinturas murais, revestimento de madeira nobre, vitrais e candelabros. O local é uma obra de arte -  o ambiente é melhor do que a comida. O preço, por pessoa, fica em torno de 20 euros. Vale conhecer!



Uma das várias salas do restaurante Caru Cu Bere

Outras tantas atrações merecem - e muito - serem visitadas  no Centro Histórico, como o Museu Nacional da História da Romênia, no antigo Palácio dos Correios; a Passagem Villa Crosse / Macca, onde funcionou a primeira Bolsa de Valores da cidade; o Ateneu Romano, edifício em estilo neoclássico com cúpula romana; o Arco do Triunfo e o Museu do Campesino Rumeno.



Museu Nacional de História

Gostei de Bucareste, apesar de minha preferência por cidades pequenas. Neste ano, planejo voltar à Romênia para ver apenas uma região do noroeste do país : Bucovina, Quero muito ver, nessa região,  os monastérios pintados, que têm suas paredes, interiores e exteriores, com afrescos dos séculos XV  e XVI, retratando santos e profetas. 



Mapa  da  Romênia




sábado, janeiro 04, 2020

Síntese do Roteiro: Romênia/2019/2

Detalhe do Parlamento da Romênia


De Madrid, voamos diretamente para Bucareste, onde ficamos hospedados no Hotel Ibis Bucareste Gare Nord . Ao chegar, já encontramos, no mesmo hotel, os meus queridos amigos. Alex e Gisela Arintzis, que haviam chegado de Kavala, norte da Grécia, viajando de carro, durante 9 horas. Permaneceram durante cinco dias conosco, na capital da Romênia. Passeamos e pusemos os assuntos em dia. Amigo é tesouro mesmo!



Gisela, Alex e eu

De Bucareste, em trem, viajamos - Isolda, Pedro e eu - para Brasov, a mais turística das cidades romenas. O  medieval Centro Histórico, com sua arquitetura marcada por elementos góticos, renascentistas e barrocos, está repleto de  turistas de diferentes regiões do mundo. Segundo estatísticas, Brasov atrai anualmente mais visitantes que qualquer outra região do País. Estivemos durante quatro  dias nessa encantadora cidade.



Brasov

Novamente de trem, viajamos de Brasov para Sibiu, cidade cujo centro histórico combina elementos arquitetônicos diversos,  tornando-os um conjunto unitário com simplicidade e elegância. Está situada às margens do rio Sibin. Tem uma praça muito bonita, que é ponto de referência na cidade. Realmente a Transilvânia tem muito o que mostrar aos visitantes.



Sibiu

De Sibiu a Sighisoara - uma das cidades medievais mais bem preservadas da Europa. Fundada por colonos saxões,  em 1191, está localizada na histórica Transilvânia, região muito especial da Romênia por suas características étnicas e culturais. Desde 1999, Sighisoara -  apelidada de Nuremberg Transilvana - está incluída na relação da UNESCO como Patrimônio Mundial. Realmente admirável!




Sighisoara - Catedral Ortodoxa


Impossível visitar a Romênia e sair conhecendo pouco sobre Drácula, o onipresente Vlad Tepes. Fizemos um bate-e-volta a Bran, a mais turística e popular aldeia desta zona de singular beleza, onde está localizado o Castelo Bran, construído num penhasco de 60 metros, em 1212,  e conhecido como o Castelo de Drácula.



Bran - parcial do Castelo



Estava no meu projeto mostrar o Mar Negro a Pedro, meu neto. Para tanto incluí, em nosso roteiro,   Dobrogea, região situada  entre o Danúbio e o Mar Negro, no sudeste da Romênia. De Sighisoara, retornamos a Bucareste e de Bucareste  viajamos, novamente de trem, para Constanta - assim chamada em homenagem ao imperador Constantino. 


Mar Negro


Constanta,  coração da Dobrogea,  tem o mais importante porto do Mar Negro.  A cidade tem uma praça central que leva o nome de Ovídio, poeta latino  que contam ter vivido nessas terras os  últimos anos de sua vida. Há outras cidades na costa do Mar Negro, como Mamaia, Costinesti, Mangalia, Vênus e Júpiter -  no verão, todas repletas de turistas em busca de mar, sol e areia. 




Constanta  - riqueza  histórica e arquitetônica


Na Valaquia, numa das zonas turísticas mais frequentadas, está o Vale de Prahova, entre os montes Bucegi e Baiului - onde eu fiz as melhores fotos de árvores com as cores outonais. Numa distância de 25 km - percorridos de olhos escancarados pela beleza e pela admiração - alinham-se cinco estações turísticas, sendo a primeira delas a belíssima Sinaia, que terá postagem minuciosa e específica, no Correndomundo.



Sinaia , a belíssima estação turística  distante 120 km de Bucareste.


O Lago Snagov  está localizado a 35 km de Bucareste.  Ao seu redor, um bosque de 1470 hectares reúne árvores grandiosas. Lugar favorito para aqueles que curtem pesca e/ou esportes náuticos. Em uma ilha, ao norte do lago, está a igreja de  um ex-monastério, construído no século XIV. Circula a lenda de que o corpo de Vlad Tepes teria sido enterrado, secretamente, no monastério ou na igreja. Escura e sombria, essa igreja mostra pinturas, no mínimo, intrigantes.



Igreja do  ex- Mosteiro de Snagov

Com uma superfície de 66 hectares, a uma distância de 15 Km de Bucareste, o Lago de Mogosoaia abriga magnífica construção, que entrelaça elementos arquitetônicos bizantinos, otomanos e renascentistas italianos. É o Palácio de Mogosaia, atualmente transformado em Centro Cultural Palatele Brâncovenesti, com salas de exposições permanentes e de exposições temporárias. São magníficos também os jardins do Palácio, com grandes castanheiros e imensos canteiros floridos.



Palácio de Mogosoaia

Depois de cinco dias em Bucareste, com passeios pela cidade e pelos arredores,  voltamos para Madrid, cantarolando, como sempre,  Gracias a la Vida... Agradecemos a querida Nicole, nossa amiga romena, pelas informações dadas e pelo incentivo para que fizéssemos essa viagem  tão fantástica. Nicole, o retorno já está projetado para junho de 2020, com Timisoara, Cluj - Napoca, Suceava ...daí para a  República da Moldávia e a Ucrânia. Dumnezeu voiește! PS. Novas postagens detalharão cada cidade ou aldeia mencionada. 



Bucareste

 Feliz 2020, com  boas viagens e a  consciência da transitoriedade da vida!