domingo, julho 15, 2018

Cirurgia amanhã, dia 16/7/2018, às 9h30min.

Zamora : Espanha - 2018

Sairei de casa logo, logo. Irei para um dos hospitais da  Santa Casa. Farei cirurgia para retirar um câncer do pulmão. Estou com medo sim: medo da ansiedade, do desconhecido, da dor e da falta de mobilidade e autonomia que dentro em pouco terei. Prometo, entretanto,  a mim mesma, ser a mulher forte e corajosa que tantas pessoas queridas esperam que eu seja - e que eu também espero continuar a ser. Tenho a informação de que permanecerei 2 dias na UTI e mais 3 ou 4 no hospital...Após, veremos...mas continuo planejando ir ao Vietname e à Jordânia.



Porto Alegre - 2016


Foram tantas as gentes amadas  que estiveram próximas de mim, sempre e de diferentes formas, em  momentos felizes e em momentos duros da minha vida....e mais intensamente nestes difíceis últimos dias. Algumas vieram de longe! Valorizo esse percurso. Gostaria de estar de mãos dadas com cada uma delas. Gostaria de dar-lhes um abraço longo e forte pela partilha, solidariedade e pela crença  na Humanidade que elas me transmitem. Agradeço-lhes muito . 


                                                                                          Paris, em 2017,


Este é um daqueles momentos confusos em que se mesclam a esperança e o medo,  a confiança nos médicos e a certeza do apoio dos que me querem bem. Como dizem  Rosana e Adriana Wagner : confiemos que o Universo conspire ao nosso favor. Assim seja! Darei notícias, no Correndomundo, logo que alguém me auxilie na escrita.

                                                                      Rio Jordan

Como escreveu Millôr Fernandes: vivam cada dia como se fosse o último - um dia você acerta! Apesar de ter vivido  intensamente, estou confiante que me faltam dias para esse último...Encanta-me estar viva - por mim mesma e pelos que eu amo... sem qualquer compromisso com nada.

Índia

"Quando vier a Primavera, 
Se eu já estiver morto, 
As flores florirão da mesma maneira 
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada. 
A realidade não precisa de mim." (...)

Fernando Pessoa

República Tcheca : Praga


terça-feira, julho 10, 2018

" O que for, quando for, é que será o que é." FP

Grécia: Thessaloniko

Acertada hoje, após consulta, minha cirurgia para a próxima segunda-feira, dia 16.  Obrigada pelas visitas, mensagens e telefonemas. Estou em paz. Como sempre falo, viver é perigoso! 


Grécia : Kavala

"Não importa se a estação do ano muda...
Se o século vira, se o milênio é outro.
Se a idade aumenta...
Conserva a vontade de viver,
Não se chega a parte alguma sem ela."

Fernando Pessoa


Grécia: ao fundo, Ilha das Cobras



sábado, julho 07, 2018

Antecedentes próximos e notícias de hoje



Irmãos " Pinto Menine" em 2014


Somos sete irmãos. Meu pai morreu com 44 anos, vítima de tétano; minha mãe teve um enfarte e morreu aos 86 anos.Minha irmã maior , Maria Aldina Menine Severo,  a primeira à esquerda, em 2015, com 80 anos,  fez cirurgia de câncer de pulmão. Sobreviveu. Convive hoje,  com metástases e alzheimer, mas está bem assistida por médicos, pelos filhos e por cuidadores. 


                                                                                      Zeli e eu , na Espanha.

Em dezembro de 2017, minha irmã Zeli Menine da Silva, ao lado de meu irmão à direita, na primeira foto, morreu vítima de câncer no pulmão. Sobre a morte dela, escrevi aqui, no Correndomundo:
Zeli Menini, minha irmã caçula, gostava muito de viajar. Era excelente companheira de viagem: ágil, solidária, inteligente, curiosa. Na Alemanha, Espanha, Dinamarca e em dezenas de outros países, eu a vi feliz, encantada, com os olhos brilhando pelas belezas descobertas. Ela sonhava voltar a Praga - disse-me isso até quando já estava fazendo químioterapia. Faltou-lhe tempo. Partiu hoje para sua última viagem. Fica a dor da ausência e a tristeza da saudade sem fim".

Zeli, em 2016, na última viagem que fizemos juntas.

Em março deste ano, Almir Pinto Menine, o primeiro da foto à direita, trouxe-me a Porto Alegre - de onde viajei para a Espanha, pensando em ficar, na Europa, os três meses que há vários anos costumo ficar. Mile, como eu sempre o chamei, estava, segundo ele, gripado, com tosse e sentindo-se debilitado. Era bioquímico e estava aposentado há poucos meses. Em meados de maio, nos Balcãs, recebi a notícia de que ele estava com câncer de pulmão. Retornei quase imediatamente.


Mile e eu nos Estados Unidos

Já encontrei Mile hospitalizado, ainda lúcido, bem cuidado por sua família biológica e sua família escolhida. Teve complicações - pneumonia e embolia pulmonar. Não resistiu. Partiu no final de maio. Sobre ele, escrevi: "Sempre escutei que a dor maior é a perda de um filho. Quando esse filho é também um irmão, a dor chega a ser cruel. Mile foi morar comigo com 11 anos.Sempre estivemos perto um do outro. Ele era meu filho-irmão. Por último, morava comigo em Torres. Nem parecia ter de 65 anos. Continuava sendo inteligente, estudioso, perspicaz, íntegro, amoroso. Amado por muitas pessoas, ele era essencialmente do bem. Foi muito feliz no seu último ano de vida. Mas partiu cedo demais, rápido demais(...)"




                                                                     Mile, na Inglaterra, em 2012.


Com a morte do Mile, o terceiro caso de câncer de pulmão, entre os sete irmãos, fui insistentemente aconselhada por meus médicos de confiança e afeto ( Eliane e Ricardo Amaral ) a procurar um pneumologista e a fazer uma tomografia. Era preciso verificar porque, de fato,  a pré-determinação hereditária estava se manifestando. Fiz a tomo, foi constada lesão. Fiz biópsia, era câncer. Eu era o 4o. caso...



Egito: queimada pelo sol e pelo calor

Há esperança de mais tempo de vida por eu ter feito exames preventivamente e também porque não há metástases. Neste momento, aguardo consulta com o cirurgião escolhido, que está marcada para terça-feira próxima. A cirurgia deverá ocorrer na mesma semana. Às vezes tenho a impressão de que esse tumor é algo externo a mim....porque me sinto muito bem. 




Portugal - Lisboa - Fernando Pessoa

Certamente influi muito no meu estado de ânimo o acolhimento e o apoio que venho recebendo de muita gente: amigos, amigos de amigos, familiares, leitores do blog, ex-colegas e ex-alunos, seja através de visitas - algumas vindas de longe - seja através de mensagens e telefonemas. Fiquem tranquilos. Estou em paz. Penso sobreviver, mas, como sou curiosa, já encaro uma última viagem como a possibilidade de saber mais sobre o grande mistério da vida...




Índia

" Ter pressa é não saber chegar.
Vou devagar.
Vou devagar porque o que é sorte,
E o que é morte,
Não as busco, não as evito,
Vem-me buscar.
Por isso vou sob o infinito
Sem me apressar."

Fernando Pessoa




Baeza - Espanha

terça-feira, julho 03, 2018

Texto de Fernando Pessoa e Esculturas em Skopje, Macedônia.

Esculturas em uma fonte do Centro Antigo da Capital da Macedônia


Nem tudo é dias de sol, 
E a chuva, quando falta muito, pede-se. 
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade 
Naturalmente, como quem não estranha 
Que haja montanhas e planícies 
E que haja rochedos e erva... 


Idem

O que é preciso é ser-se natural e calmo 
Na felicidade ou na infelicidade, 
Sentir como quem olha, 
Pensar como quem anda, 
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre, 
E que o poente é belo e é bela a noite que fica... 
Assim é e assim seja..."

Fernando Pessoa


Idem

sábado, junho 30, 2018

Bosnia e Herzegovina : informações preliminares

Primavera na  Bósnia, vista do "bondinho".

Bósnia  Herzegovina é atualmente uma República Parlamentarista, com cerca de quatro milhões de habitantes, que tem como cidades principais Sarajevo, a capital, e Mostar, a antiga capital de Herzegovina. Penso que foi o país que mais  sofreu na dissolução da Iugoslávia. Suas marcas de guerra estão por toda parte, transformando-a  numa aula viva de valorização da paz.


Bondinhos  com os quais eu não simpatizo...

Entre 1992 e 1995, sofreu o que nenhum outro país que visitei tenha sofrido: uma brutal guerra civil com populações dizimadas, mulheres estupradas e bem mais de mil crianças assassinadas. Teve água e energia cortadas, viveu meses no escuro e no frio, dependendo da pouca ajuda humanitária  vinda do exterior. Conviveu com a fome, as perdas, a insegurança, a dor...



Marcas da Guerra

Estando na Bósnia e Herzegovina, eu pensava frequentemente por que esse país me emocionava tanto e por que eu me sentia com tanto desejo de a ele retornar.  Agora sei. Era porque eu os admirava  pela forma como sobreviveram à guerra, pelo esforço em manter a paz e  pelo pluralismo étnico e religioso que coexiste e pode ser percebido até pelos visitantes. 


Mostar

Impressiona a história e, paralelamente , impressiona a exuberante natureza da Bósnia e Herzegovina. São os rios que adornam o país, estabelecendo conexões ou fazendo fronteiras, como  Sava,  Neretva - que desemboca no Adriático - Buna, que dá vida  à Blagaj , Trebisnjica, Una e Vrbas.



A caminho de Blagaj


São lagos de água verde-azulada, como o Prodosko, e cascatas, como a de Skakavac. São os desfiladeiros, as montanhas, as colinas, os bosques... e o fantástico vertedouro do rio Buna, com águas azuis, que saem de uma caverna numa encosta de montanha. Tudo isso num país com área pouco superior a 51 km quadrados.



Centro Turístico - Rio Buna

Isolda e eu contratamos um carro com motorista para, durante 12 horas, fazer um roteiro conosco, com muitas paradas, partindo de Sarajevo e chegando até Tekija, a principal atração de Blagaj. A estrada é cenográfica e passa por lugares lindos como Konjic, um povoado com 5 mil habitantes à beira do rio Neretva e  Pociteli,  fortificada vila otomana,com fantásticos conjuntos arquitetônicos.
  

Sarajevo

Nesse mesmo passeio, fizemos ma rápida passagem por Mostar, já que a essa cidade retornaríamos, como de fato retornamos,  no dia seguinte, e nela permanecemos durante três dias. Mostar e Sarajevo, pretendo eu, que estejam futuramente em postagens próprias, com as muitas fotos que fiz.



Ruas centrais de Sarajevo com calçamento em paralepípedos

Sarajevo sofreu muito em sua longa história, que começa há mais de mil anos com os romanos. Foi incendiada em 1697, sendo depois recuperada pelos austro-húngaros. Foi, no entanto, entre 1992 e 1995, que aconteceu o terrível cerco que indignou o mundo e só teve fim com o Acordo de Dayton


Sarajevo: histórica ponte onde foi assassinado Francisno Fernando ( estopim da Primeira Guerra )

Lembro bem desse período de destruição e aniquilamento por ter encontrado, tantas vezes, pessoas  bósnias, falantes de italiano, andando pela Itália, procurando fugir da morte e do horror da guerra. Eu merecia certamente percorrer, nesta viagem, toda a região e constatar, mais uma vez, o quanto a dor real dá força e ânimo de reconstrução às pessoa. 


Centro Histórico de Mostar
Realmente fantástica é uma visita a Mostar em qualquer hora da dia, mas é ao anoitecer  que resplandece toda a magia do antigo centro da cidade. É ali que está  a ponte mais famosa dos Balcãs, tanto que o nome da cidade significa guardiã da ponte. Passando a ponte e em vários pontos do Neret
va, podem ser encontrados excelentes restaurantes - sem preços assustadores.


Vertedouro do rio Duna



Por indicação de Paulo Guerra, meu amigo e vizinho em Torres, visitamos Medugorje, isolada vila vinicultora, onde se conta que, em junho de 1981, seis adolescentes da localidade tiveram uma visão da Virgem Maria. Apesar de o Vaticano não ter reconhecido a veracidade das visões, a vila transformou-se num frequentado lugar de peregrinação católica. Foi um acréscimo ao meu curriculum espiritual...


Medugorje
...E como sempre faço, fui a mesquitas, sinagogas e igrejas de diferentes religiões por acreditar no prestígio de todas junto ao além...quem sou eu para julgar? 


Mesquita de Sarajevo

PS. Na próxima postagem do Correndomundo, por respeito e carinho com todas as pessoas que me acompanharam nestes 12 anos de existência do blog, passarei a  contar sobre  a mudança de roteiro que o Correndomundo  terá, em razão da descoberta médica, feita recentemente,  de que tenho câncer de pulmão. Fiquem tranquilos! Viver é perigoso e resulta sempre em morte - embora o quando ninguém saiba. Vivam bem cada dia. Valorizem o que veio de bom. Apenas isso.


Em Mostar



sábado, junho 23, 2018

Belgrado, a imponente capital da Sérvia



Primavera na Sérvia

https://correndomundo.blogspot.com/2018/03/belgrado-preparacao-de-viagem.html
https://correndomundo.blogspot.com/2018/04/belgrado-primeiras-impressoes.html
Estão aqui, no Correndomundo, as duas postagens indicadas acima. A primeira, uma leitura prévia, feita ainda quando eu estava construindo o roteiro 2018/1; a segunda, escrita já na Capital da Sérvia, no segundo dia, após minha chegada. 



                                      Muitos restaurantes em ruas abertas somente ao público


De Zagreb a Belgrado viajamos, Isolda e eu,  pela Air Serbia, uma boa companhia low cost, com passagens realmente de custo baixo - e o avião não era uma Kombi Voadora como escrevi no post preliminar.   Mal nos instalamos no hotel e já fomos nos localizar na cidade. Nosso primeiro passeio foi para ver o rio Danúbio.


Danúbio


Já escrevi várias vezes sobre meu encantamento com o Danúbio. Em Belgrado, basta seguir pelo calçadão que  margeia esse rio, para encontrar muita vida na localidade. Restaurantes, sorveterias, cafeterias, gente bonita, pichações, prédios históricos e prédios modernos fazem-se presente em todo o trajeto, até chegar a Cidadela de Kalemegdam.



Rio Danúbio

https://correndomundo.blogspot.com/search/label/Belgrado 
Belgrado é a capital e a maior cidade da Sérvia. Está localizada entre a confluência dos rios Danúbio e Sava, no norte da Sérvia. É uma das maiores cidades cortadas pelo  rio Danúbio - o segundo maior rio , em extensão, da Europa, só perdendo para o Volga. Ele  foi imortalizado por Strauss, na valsa Danúbio Azul - https://www.youtube.com/watch?v=foQpms3L9gU



Arte de Rua


É  indicado percorrer a cidade caminhando e mantendo olhos bem abertos. Muitas surpresas podem estar à nossa espera, sejam prédios históricos belíssimos, sejam prédios funcionalistas que demarcam um certo período do país. Vai-se do bizantino e do otomano aos blocos soviéticos; da serenidade dos parques ao agito da vida noturna; das construções múltiplas à bem preservada natureza.



Da sisudez ao colorido...

Sem querer delimitar arte de rua e pichação, encontram-se das duas diferentes  exposições - algumas de impressionante beleza ( para mim, é óbvio!). Para observá-las melhor, vale fazer o Free Belgrade Walking Tour, caminhada guiada e gratuita pelo centro histórico, que parte diariamente , às 11 horas, da Praça da República, a principal praça da cidade - ao redor dela, estão o Museu Nacional e o Teatro Nacional.


....e, a qualquer hora,  a gente não tem medo de transitar por essas ruazinhas!

Seguindo a tendência mundial, que tanto me agrada,   assim Belgrado é ocupado. Nada de carros no centro da cidade. Do café da manhã ao jantar, pode-se estar nas ruas e calçadas, em meio a muitas pessoas. Em se tratando de comida, já mencionei em outro post que os mais deliciosos patos que comi nos Balcãs, foi na Sérvia.



Sem carros e com muitas atrações ao ar livre....
Há museus muito bons em Belgrado, com destaque para o Museu  Etnográfico, o Museu Histórico da Sérvia, o Museu Nacional e o Museu da Igreja Ortodoxa. Há também a Mesquita Bajraldi e muitas igrejas - para mim, são elas belos e bem cuidados museus - como a Igreja de São Alexandre Nevski e a Igreja de Sveti Marko, ambas ortodoxas. O grande nome, entretanto, continua sendo a Cidadela de Kalemegdan.




Detalhe da Cidadela


A grande atração da capital é mesmo a Cidadela de Kalemegdan, onde, como já escrevi, foram travadas mais de 100 batalhas, e a Cidadela já foi destruída mais de 40 vezes. Belgrado tem mais de 2300 anos de história, mas foi, recentemente, em 1999, que sofreu, durante três meses, o bombardeio das forças da OTAN, quando, então, teve fim um dos conflitos mais sangrentos dos Balcãs. 



Estátua da Vitória


De Belgrado, pode-se ir de trem para  Bucarest, capital da bela Romênia,  Budapest, Liubliana, Moscou, Sófia e Zagreb. Há também ônibus para Viena, Sarajevo e Padgorica. Chegar a Belgrado e descortinar opções de viagem para toda a Europa. Disseram-me que há outros passeios cerca de Belgrado que são muito interessantes. Aconselharam-me a ver a arquitetura de  Subótica, o encanto de Novi Sad, os Mosteiros de Fruska Gora e de Sremski Karlovci  o vilarejo de Zlatibor. Não tivemos, no entanto,  tempo disponível.






Desde 2013, os brasileiros não mais necessitam de visto para este país, que tem  acesso fácil e uma população que ultrapassa sete milhões de habitantes - somente Belgrado tem um milhão e meio. Se um dia eu retornar a Sérbia, será com o objetivo de visitar Voivodina, que tem cerca de dois milhões de habitantes e que, ao contrário de Kosovo, permanece como província autônoma da Sérvia - não se sabe até quando. 






Partimos de Belgrado, novamente pela Air Serbia,  do Belgrade Nikola Tesla Airport, distante 18 km da área central, para o Aeroporto Internacional de Sarajevo, distante 12 km da área central. As lembrancinhas da Serbia, bem guardadas - nada de chegar na Bósnia ou em Kosovo exibindo-as, pois as marcas da guerra são ainda muito recentes e doloridas....






" No todos los dias son de sol,
y la lluvia, quando escasea, se ruega.
Por eso tomo la infelicidad  junto con la felicidad
naturalmente, como quien no se sorprende
de que haya montañas y llanuras.
y de que haya rocas y yerba."

Fernando Pessoa



Torre da Catedral

quarta-feira, junho 13, 2018

Viagem 2018/1 - Amostra de Comidinhas!



Pato em Belgrado, Sérvia

Espetinho  com batata assada : Skopje, Macedônia



Queijo de Cabra com Mel e Nozes: Zamora, Espanha





                                    Risoto de Funghi: Mostar, Bosnia Herzegovina




                                 Massa recheada: Kotor, Montenegro




               Burek ( massa fininha recheada com espinafre ): Sarajevo, Bósnia




                      Torta de nozes e chocolate: Pristina, Kosovo




                      Salada de Aspargos Verdes : Madrid , Espanha




                        Salada c/ queijo e vegetais: Budapest, Hungria



                                             Café c/ leite: Budva, Montenegro




                     Frango c/curry e coco : El Corte Inglês, Madrid. Espanha




                                    Tábua de Desjejum: Zagreb, Croácia





                                          Sanduiche: Liubliana, Eslovênia




                     Almoço às margens do rio Buna, Blagas, Mostar, Bósnia





             Guardei a foto para lembrar que paguei cerca de 50 reais por isso...





                                 Café Bósnio ( ou turco ) Sei ler a borra do café...





              Escultura em frente a Restaurantes em Skopje, Macedônia





                                                 Não existo sem café