quarta-feira, setembro 20, 2017

Namur: bela cidade turística e universitária

Centro Histórico de Namur

Namur é uma encantadora cidade da Bélgica, bastante  tranquila, com 106 mil habitantes e localizada a 67 km de Bruxelas, na região da Valônia, na confluência dos rios Meuse e Sambre. É conhecida por sua universidade  - UNAMUR, fundada em 1831 e famosa por seu nível de ensino e  por sua pesquisa inovadora. 


Proximidades do Centro Histórico

Estima-se que Namur tenha surgido durante o período celta ( a.C. ). Na Idade Média, os merovíngios, que dominaram os Países Baixos entre outros, construíram, num rochedo da cidade, um castelo, transformado posteriormente numa fortaleza militar. A Cidadela de Namur é uma das maiores fortalezas da Europa. 


Cidadela

Namur se desenvolveu ao pé de sua Cidadela ou Fortaleza Militar. Hoje, do castelo inicial, destruído no final da Idade Média,  resta pouco mais do que as duas torres. O lugar, entretanto, continua a ter grande importância para a cidade, não só como ponto de interesse turístico, mas  também como local de convívio da população local, notadamente dos jovens. Importante: visitantes podem comprar o Cidadelle Pass que engloba os tours pela Fortaleza.


Um dos acessos à Cidadela ou Fortaleza de Namur

Namur é uma cidade que se pode conhecer caminhando e até caminhando e cantando - baixinho, é óbvio, em homenagem e agradecimento à tranquilidade e à gentileza de seus habitantes. Seguindo tendência que vem aumentando e se consolidando, especialmente na Europa, muitas de suas ruas são somente para pedestres. É ótimo passear por elas.



Elegantes bairros próximos ao centro de Namur

As antigas áreas residenciais da medieval cidade dos condes de Namur foram ocupadas por mansões e prédios públicos nos séculos XVII - XVIII. Tornou-se conhecida como Cidade dos Burgueses pela beleza e elegância de seu centro histórico. Ostentava conforto e prosperidade. Era o oposto de cidades onde vivia a classe trabalhadora, principalmente os obreiros das minas de carvão.



Detalhe da Catedral de Santo Albino

A Catedral de Santo Albino ( Saint Aubain ), em estilo barroco, foi construída entre 1751 e 1767, conforme os projetos de Gaetino Pizzoni. Seu exterior é realmente bonito; seu interior, mais bonito ainda, com destaque para pinturas de Anton van Dyck e Jacob Joedaens, ambos belgas,  nascidos em Antuérpia.


Palácio do Comgresso

Há  admiráveis edifícios históricos em Namur, como o Palácio do Congresso - que já foi um antigo hospício - e a Torre de São Jaques, construída em 1388 como parte das muralhas da cidade. Essa Torre tornou-se, em 1746, no Campanário da Cidade. Hoje ele é parte do conjunto de  56 campanários da Bélgica e da França, que estão na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO.



Lojinhas que surpreendem....

Encontrei, bem no centro da cidade, uma loja pequena com riquíssimo mostruário de botões, fitas, rendas e linhas para bordar - mas tudo em grande quantidade e variedade. Encantaram-me de tal maneira que pedi para fazer algumas fotos. Parabenizei-me por nada ter comprado uma vez que sempre compro e depois nada faço com esses acessórios. Namur foi, entretanto, a cidade que eu escolheria, na Bélgica, para fazer compras. Bons preços e bom gosto. 



Do folclore de Namur, apresento-lhes Molon...

Eu havia esquecido de buscar informações sobre Molon. Para obtê-las, recorri a  Ricardo Holderbaum do Amaral, que, por sua vez,  recorreu a Fabrice Deprez, amigo dele e morador de Namur. Fabrice, gentil e prontamente, informou que a estátua representa  personagem bem característica do folclore local, que recolhe dinheiro para doar a pessoas pobres. Ricardo foi quem me sugeriu visitar Namur - agradeço-lhe muito. Pela proximidade com Bruxelas, torna-se medida certa para um bate-e-volta bonito e bem sucedido. Recomendo.


Lindas as cores de Namur

" Se quiserem que eu tenha um misticismo, está bem, tenho-o.
Sou místico, mas só com o corpo.
A minha alma é simples e não pensa.

O meu misticismo é não querer saber.
É viver e não pensar nisso."

Fernando Pessoa


Estação Central de Trens

segunda-feira, setembro 18, 2017

Intervalo no Correndomundo

No mês de agosto...

Voltei para o Brasil - após a temporada 2017, na Europa - e tive alguns problemas de saúde: coisas do retorno de quem não quer retornar... Na última semana, uma gripe longa e penosa, parece estar fechando o ciclo . Falta-me ânimo para escrever... e faltam países e cidades para relatar. Confio em que, nos próximos dias, poderei escrever sobre Namur, próxima cidade da fila! Por enquanto, deixo-lhes flores e cores do verão europeu e.... Fernando Pessoa.


...no mês de julho...

"  ... eu nem sempre quero ser feliz.
É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva..."

Fernando Pessoa


... e no mês de junho.

domingo, setembro 10, 2017

Bruges, Brugge, Brujas - Encanto de Cidade

   Dedico, com muito carinho,  este post à minha irmã Zeli, no dia do seu aniversário - 10 /9 / 2017.
Zeli, no outono europeu de 2010  , passeando em Bruges.

" De Paris, pode-se ir a Bruxelas em 1h25, num trem ( Thalys ) moderno e de alta velocidade. Se comprar o bilhete com antecipação, a diferença de preço pode ser significativa. De Bruxelas a Bruges, vai-se num trem regional, vagaroso, que permite apreciar a paisagem e que gasta 50 minutos....



Praça Central de Bruges

... Chegando em Bruges, pode-se ir caminhando da Estação ao centro histórico por parques e estradinhas, que parecem ter sido pintadas por Monet, meu impressionista preferido. Perca-se na beleza do Centro e, se tiver tempo, faça um passeio de barco pelos canais que cruzam a cidade. Depois disso, pode repetir, com carinho e emoção, como se fosse o autor da original frase: este mundo é muito bonito." correndomundo.blogspot.com.br/search/label/Brugges




Canal próximo ao Centro



No século V d.C. a região costeira de Flandres foi invadida pelo Mar do Norte, que dela se afastou dois séculos depois, deixando como herança um solo fértil, com estuários  e canais. No ano 800, num desses canais, o conde Balduino I de Flandres fez ali construir uma fortaleza militar contra os Vikings. E , assim, nasceu a hoje romântica e bela Bruges.


Praça Central 


A cidade viveu períodos de tanto esplendor, graças ao seu desenvolvimento econômico, que a elevaram à condição de capital do Condado em 1089. Sua localização, no centro da Europa, sempre foi invejável. No fim do século XV, foi perdendo sua importância, declinio que durou até o século XVII.

Sequências de casinhas coloridas

No século XIX, os visitantes , principalmente os românticos, começaram a descobri-la. No século XX, foi feito para Bruges um projeto de restauração e um plano de gestão turística. A cidade , então, pouco a pouco, retornou ao esplendor passado, conseguindo até ser um Patrimônio mundialmente comentado.


Praça Central

Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, desde 2000, Capital Europeia da Cultura em 2002 e capital da Província de Flandres Ocidental, abrigando cerca de 120 mil habitantes, a medieval Bruges oferece passeios encantadores pelas suas ruazinhas, praças, especialmente pela Praça do Mercado, conhecida como Markt, e por seus  românticos canais.



Praça do Mercado - Markt

A Praça é o coração de Bruges. Tem muita história que nela aconteceu : cenário de  batalhas e de festas populares e triste espaço para julgamentos e castigos na inquisição. Hoje é lugar transitado cotidianamente por residentes e turistas. Ao redor dela, prédios de diferentes estilos, com destaque para o Palácio Provincial, o neogótico prédio do antigo correio e as pequenas e coloridas casinhas que estão ao redor dela.



Torre do Mercado

Construída no século XIV, a Torre do Mercado, importante monumento civil, é bem típica das velhas cidades europeias. Tem 80 metros de altura, e uma escada de 366 degraus. Parece que a vista lá de cima é muito bonita - nunca saberei se realmente é bonita porque nunca subirei uma escadaria dessas.



Torre do Mercado

A Torre do Mercado servia como observatório para localização de qualquer incêndio, uma vez que, nos séculos XIII, XIV e XV aconteceram vários que destruíram alguns bairros da cidade. O campanário de Bruges é famoso na Europa. Seu carrilhão, com 47 sinos, dispõe de um mecanismo que o leva a executar uma melodia diferente a cada hora.


Palácio Provincial

O Palácio Provincial  - gótico flamígero -  tem dimensões modestas, comparada com outros edifícios existentes na sua proximidade, mas muita elegância e refinamento. Começou a ser construída em 1376. É o edifício de prefeitura mais antiga da Bélgica. Serviu de modelo para a outros edifícios do País.


Antigo Correio

O prédio do correio que, como os grandes prédio atuais de correio, com certeza se tornaria menos necessário com o advento da internet , juntamente com o palácio provincial, são magníficos exemplares do gótico flamígero ou tardio, que se desenvolveu na Europa no séc XIV e início do séc. XV. Sua características aparecem mais nos detalhes arquitetônicos que na estrutura dos edifícios.



Centro Histórico

Há muito mais o que ver em Bruges. Desta vez, não fui à Igreja do Sangue Sagrado, ao Beatário , ao Hospital de São João, mas andei pela rua Breidelstract, que liga a Praça do Mercado com a Praça Burg e que ostenta o maior número de lojinhas de chocolates, de famosas rendas e bordados e de presentes e lembrancinhas da cidade. O principal, no entanto, foi feito: mostrar a cidade para meu neto - que gostou muito dos chocolates, dos sorvetes e das batatas fritas.


Delícias em Bruges




" A novela inacabada,
Que o meu sonho completou,
Não era de rei ou fada
Mas era de quem não sou.

Para além do que dizia
Dizia eu quem não era...
A primavera floria,
Sem que houvesse primavera..."

Fernando Pessoa








quinta-feira, setembro 07, 2017

Bruxelas: visita imperdível

Grand-Place de Bruxelas

Sede da União Europeia  e da OTAN, primeira cidade industrial do Reino da Bélgica, Bruxelas abriga hoje mais de um milhão de habitantes, e se caracteriza por sua tolerância e por seu espírito aberto e acolhedor - apesar dessa característica, a cidade tem sido alvo de ataques terroristas, como o que aconteceu em 2016 e que resultou em 32 mortos e vários feridos.


Centro Histórico de Bruxelas - Grande Praça


É uma cidade linda, cujo Centro Histórico está sempre com muitos visitantes ... e com muitas câmeras em ação! A Grand-Place de Bruxelas é belíssima, tanto de dia quanto de noite ao ficar profusamente iluminada. Está localizada no espaço em meio a grandes prédios históricos, com destaque para a antiga prefeitura. Diz -se que essa praça é o coração geográfico, histórico e comercial da cidade.



Ao fundo, Torre da Prefeitura


A Antiga Prefeitura é o monumento gótico mais destacado de Bruxelas. Sua construção foi iniciada pela ala esquerda em 1402. Posteriormnte, Felipe , o Bom,  mandou erguer a ala direita e substituiu o antigo campanário por uma torres de 96 metros. O arremate da torre mostra a representação de São Miguel derrotando o demônio.

Casa dos Duques de Brabante (1698)

Segundo a lenda, São Miguel salvou a vida de um filho do Conde De Louvan ( 1041 - 1063 ), proprietário do condado de Bruxelas. Como prova de seu agradecimento, o Conde proclamou São Miguel o patrono da cidade. Desde 1455, a estátua de cobre desse Arcanjo matando o demônio finaliza, então,  a torre da Prefeitura da cidade e protege a cidade de Bruxelas - teria sido essa proteção que teria evitado estragos maiores dos bombardeios de 1695.


Manneken Pis

Circula mais de uma lenda sobre a origem de Manneken Pis, o menino de bronze, que mede 60 centímetros e é cidadão mais conhecido de Bruxelas. Uma dessas lendas conta que ele é a representação de um menino que apagou o início de um incêndio, salvando a cidade de um desastre. Manneken Pis foi roubado várias vezes, mas sempre o recuperaram. Ao seu redor, são tantas as pessoas que se torna difícil ter dele uma boa foto.



Teatro Nacional

Entre os grandes edifícios de Bruxelas, há dois - de finalidades e períodos distintos - que merecem referência: o do Teatro Nacional, com seus 1700 lugares e sua bem escolhida programação, e o da União Europeia. Em 1o. de janeiro de 1958, Bruxelas foi designada sede da Comunidade Econômica Europeia, que se transformou, desde 1992, em União Europeia - diz-se que, a partir daí, a cidade se tornou acolhedora dos executivos europeus mais bem vestidos...


No Espace Wallonie, obra de Milo Dardenne

Nas proximidades do Teatro Nacional, encontram-se muitas lojas de produtos belgas, alguns bem originais e inovadores,  muitas cafeterias e chocolaterias, vários  restaurantes e galerias de arte. Por sorte, encontramos o Espace Wallonie e visitamos e visitamos uma exposição comovente - pela beleza e pela temática - de Milo Dardene, o pintor do silêncio. Em suas pinturas, destaca-se a harmonia entre o homem e a ferramenta utilizada.


Ferramenta, atmosfera e silêncio

Dardenne retrata a realidade diária e a condição humana do campo, no passado, entre a silvicultura e a agricultura. A pintura dele não tem detalhes supérfluos, apenas massas sólidas, ações incompletas, atmosferas, silêncios. Milo Dardenne afirma num documentário: Tenho uma necessidade natural de pintar. Eu não pinto para as pessoas, eu pinto para mim, para expressar o que eu vivo(...) Eu pinto o silêncio. Na minha pintura, as pessoas encontram as memórias de sua infância. Prefiro pintar os personagens para as paisagens. Eu me sinto enraizado neles.




Encontro frequente com esculturas : arte na rua

Além das galerias de arte, da arquitetura fantástica, dos teatros, das apresentações de dança e das óperas, a cidade oferece uma interação variada e frequente com obras de arte nos espaços públicos, como as  esculturas com formas, estilos e temáticas diversas. Uma significativa amostra de tudo isso está nas elegantes Galerias de São Humberto, inauguradas em 1847 pelo rei Leopoldo I.



Quem resiste às batatas fritas?


Quem vai a Bruxelas, além de visitar o Atomium, símbolo do século XX, o Palácio Real se for verão, a Catedral, com sua superposição de estilos, e tantos outros belos monumentos e edifícios, certamente precisa de disponibilidade também para experimentar... waffles, chocolates e  batatas fritas. Cerveja, para quem aprecia essa bebida, haverá certamente um tempo para apreciá-la e escolher sua favorita.


Cuidadosa decoração de Bruxelas


Escrevi uma amostra de Bruxelas.  A cidade tem muito mais. A cidade é muito mais. Em uma viagem, entretanto, eu a detestei porque , numa de suas estações de trem, roubaram minha mochila com notebook, duas câmeras, I Pad, livros e anotações - roubo que pode acontecer em qualquer lugar do mundo. Passado o impacto da perda, voltei  ver Bruxelas como , de fato , ela é : uma cidade linda e agradável, um lugar que desejo sempre rever.


Centro Histórico

"Se eu sentir sono
E quiser dormir,
Naquele abandono
Que é o não sentir,

Quero que aconteça
Quando eu estiver
Pousando a cabeça,
Não num chão qualquer,

Mas onde sob ramos
Uma árvore faz
A sombra em que bebamos
A sombra da paz."

Fernando Pessoa


sexta-feira, setembro 01, 2017

Bélgica - Introdução

Pedro em Bruxelas


De Paris, em rápido e confortável trem, fomos para a Bélgica, mais especificamente, para Bruxelas, sua capital, em 1h20min. Ficamos hospedados no Ibis, Gare du Midi. Com pouco mais de 10 milhões de habitantes e uma superfície de 30.500 km² , Bélgica é um país pluralista, cultural e linguisticamente - são três seus idiomas oficiais: o holandês, o francês e o alemão, mas quem fala inglês entrosa-se em todas as regiões.



Brugges


Tínhamos planejado um número de dias que nos permitiria visitar, além da capital, mais três cidades do interior belga:  Brugges, Antuérpia e Namur.  Já estive várias vezes na Bélgica e, por um motivo ou outro, sempre visito Brugges, que considero uma das mais bonitas cidades medievais do mundo. São 50 minutos de trem desde Bruxelas.



Brugges

"..Bruxelas e Brugges, entretanto, lembram-me arquitetura magnífica , praças com bancos confortáveis, lindos parques,  jardins com infinidade de tulipas, delicados bordados  e  rendas, exposições com bons trabalhos de artistas locais, wafles com creme, chocolate Godiva, bolsas Kipling e batata frita -   não bebo cerveja por isso não a  incluo nessa relação..."  http://correndomundo.blogspot.com.br/search/label/Brugges



Joias da Antuerpia


Em Antuérpia, o encantamento começa na Estação Central de Trens, pois é a mais bonita da Bélgica e uma das mais bonitas da Europa. A cidade é considerada a Capital Belga da Moda. Cidade rica, animada e movimentada,  bem próxima de Bruxelas, distante não mais que meia hora de trem. Chovia muito quando a visitamos, razão por que as fotos foram bem prejudicadas.



Estação Central de Trens de Antuérpia

Nossa terceira visita foi a Namur, cidade incluída em nosso roteiro por sugestão do Ricardo Holderbaum do Amaral, a quem agradecemos muito pela excelente inclusão! Foi um passeio ótimo em que fiz até compras, com preços muito bons. A cidade se desenvolveu ao pé da cidadela - antigo castelo transformado depois em fortaleza militar. Abriga grande número de estudantes. É alegre e movimentada.



Uma das entradas para a Cidadela

As quatro cidades aqui mencionada - Bruxelas, Brugges, Antuérpia e Namur - serão detalhadas em postagens indidividuais. Bélgica merece um planejamento mais amplo que o nosso, pois é um país bonito e que tem muito a mostrar - tínhamos, entretanto, poucos dias disponíveis. Gostaria de ter visitado, por exemplo, Gent, Liège, Mons, Waterloo e Bastogne. Sempre é possível voltar...ou não...



Namur


" Desfaze a mala feita pra partida!
Chegaste a ousar a mala?
Que importa? Desesperas ante a ida
Pois tudo a ti te iguala.

Sempre serás o sonho de ti mesmo.
Vives tentando ser.
Papel rasgado de um intento, a esmo
Atirado ao descrer.

Como as correias cingem 
Tudo o que vais levar!
Mas é só a mala e não a ida
Que há de sempre ficar!"

Fernando Pessoa

Bruxelas

quarta-feira, agosto 30, 2017

A Histórica Évora, no Alentejo Central - 2a. Parte

À direita, detalhe do Templo Romano


O Templo Romano, conhecido popularmente como o Templo de Diana, é seguramente o mais antigo e o mais famoso monumento da cidade de Évora. Foi construído no século I d.C, no ponto culminante da acrópole, na Praça Principal ( fórum ) da cidade. É um símbolo da presença romana em território português. Tem belíssimas colunas coríntias.



Templo Romano



" Évora foi invadida pelos povos germânicos no século V e foi nessa época - e foi nessa época que o templo foi destruído. Hoje em dia, as suas ruínas são os únicos vestígios do fórum romano da cidade. Escavações recentes indicam que o templo era rodeado por um espelho de água." Descobrir Évora - Guia turístico, 1917.



Museu de Évora


Em um belo edifício de dois andares, sede do antigo Paço Episcopal, localizado entre o Templo Romano e a Catedral, está o Museu de Évora, com seus dois andares. No primeiro andar, estão as esculturas; no segundo, as pinturas. No acervo, uma coleção diversificada, que vai da época romana à Idade Moderna Portuguesa.



Exposição de Presépios do Museu de Évora


No Museu de Évora, está o túmulo de D. Álvaro da Costa, filho de Duarte da Costa,que, em 1553, substituiu a Tomé de Sousa. Álvaro da Costa veio na caravana de 260 pessoas trazidas por seu pai ( pode-se observar que o emprego de parentes tem uma longa tradição). Veio decidido a escravizar os índios. Tornou-se conhecido por sua disputa com o bispo Pero Fernandes Sardinha, que se opunha à escravização dos índios.



Exposição de Presépios do Museu de Évora


Como eu jamais faria uma prece pela salvação da alma desse senhor, sobrou-me tempo para ver, no local,  uma belíssima exposição de presépios de conventos. Foi um trabalho árduo da direção do Museu de Évora: listar e reunir os encantadores presépios tradicionalmente feito nos conventos portugueses, não só da cidade, mas também de outros municípios.



Muralhas Medievais


A conquista árabe, a reconquista cristã e as disputas com Espanha fazem parte da história local e explicam a existência das muralhas até hoje. Integradas à cidade atual, as antigas muralhas podem ser vistas de qualquer parte do Centro Histórico. A primeira muralha ( cerca antiga ) é do período romano e incluía uma área de 10 hectares. Contém torres e portas com nomes interessantes, como: Porta Velha da Traição e Porta do Anjo.



Fonte Henriquina


Na Praça do Giraldo, está Igreja de Santo Antão e a fonte de mármore, entre outros prédios históricos preservados. Parece ser ponto de encontro da comunidade local e dos visitantes. A Fonte Henriquina, assim denominada por ter sido construída, em 1571,  por determinação de D. Henrique, Bispo de Évora, foi feita a partir de um único bloco de mármore. Nas suas proximidades estão lojas de cerâmica, móveis pintados a mão e outros artesanatos.



Entrada do Museu de Évora


Não visitei o Aqueduto da Água da Prata, talvez a mais importante obra do reinado de D.João III. Tem uma extensão total de 19 metros. Segundo li, a parte monumental desse Aqueduto é a sua chegada à cidade, onde os arcos alcançam uma altura de 12 metros. Foi declarado Monumento Nacional em 1910.



Azulejos da Estação de Trens de Évora

Depois de visitar Évora, suas igrejas, sua Universidade, seus Palácios e monumentos, é interessante ampliar a visita, percorrendo cidades muito próximas e muito característica da região, como Arraiolos, terra dos bordados e dos tapetes de lã, tradição com origem na Idade Média; Borba, cujos edifícios brancos, de mármore, são atrações para os visitantes; Monsaraz, com muralhas, castelos, pelourinho e suas sete igrejas. Importante: é famosa a gastronomia dessa região.



Torre da Catedral

" Em plena vida e violência
De desejo e ambição,
De repente uma sonolência
Cai sobre a minha ausência,
Desce ao meu próprio coração.


Será que a mente, já  desperta
Da noção falsa de viver,
Vê que, pela janela aberta,
Há uma paisagem toda incerta
E um sonho todo a apetecer? "

Fernando Pessoa


Centro histórico de Évora