quarta-feira, janeiro 17, 2018

Amanheci assim...








"O que me doi não é
O que há no coração
Mas essas coisas lindas
Que nunca existirão....





São as formas sem forma
Que passam sem que a dor
As possa conhecer
Ou as sonhar o amor.






São como se a tristeza
Fosse árvore e, uma a uma, 
Caíssem suas folhas
Entre o vestígio e a bruma."

Fernando Pessoa




sexta-feira, janeiro 12, 2018

Serra Gaúcha: Passeios e Natal Luz

Pedro , em  2012 e em  2018, na Serra Gaúcha.



Texto de Maria Gessi Bento



Para quem vive no Sul do Brasil, passear na Serra Gaúcha é programa rotineiro : no verão, Natal Luz;  na Páscoa, chocolates;  no inverno, expectativa de neve; na primavera, mar de flores; em todas as estações, passeios e divertimentos para a criançada e gastronomia excelente para a família inteira. É  local também para a gente levar visitas e exibir-se com a beleza da região.




Igreja Matriz de Gramado


Estive na Serra e nos vinhedos de Bento Gonçalves, na semana passada. Fui, com Pedro, mostrar a região para Flávia e Cláudio Zoppi, meus - como se diz em Salvador  - sobrinhos da alegria.  Vimos , ainda, os últimos dias do  Natal Luz, cuja decoração este ano, nem em Canela, nem em Gramado,  foi a mais bonita que vi. Fala-se  muito na semelhança desse evento com similares da  Europa... embora , de europeu mesmo, só me pareceram os preços. 




                                                                     Rua Coberta - Gramado



Muitos, mas muitos mesmo, visitantes. Gente de todas as idades por todo lado onde se ia - estava como Torres nas festas de fim de ano. A programação de Gramado/Canela inclui show de luzes, espetáculos de teatro relacionados ao Natal, música ao vivo na rua e em restaurantes, decorações natalinas por toda parte e as belezas que a Serra mostra sempre.





                                                                      Centro de Gramado



Como disse Cláudio, a região parece cenário de contos de fada. Além das cidades serem lindas, as estradas parecem jardins continuados. Além das flores e dos pinheiros, vêem-se amiúde árvores frutíferas e ornamentais muito bem cuidadas. Compram-se , nessas estradas, pêssegos, ameixas, figos e uvas - novinhos, sadios e recém colhidos por preços bem abaixo dos mercados das cidades. 




                                                           Araucárias típicas da região serrana




Araucárias  são árvores muito altas, características de lugares mais frios, como a região a região da Serra.Têm o desenho bem característico, que se pode observar na foto acima, exibindo uma copa arredondada e majestosa. Sua altura pode superar cinquenta metros. Nos meses mais frios, seu fruto, o delicioso pinhão, que se come cozido, é abundante e bastante apreciado - atualmente incluído em alguns pratos típicos da região.




                                                             Cascata do Caracol em Canela
                                                           


O que ver na região da Serra Gaúcha está minuciosamente descrito em revistas de viagem e turismo, blogs e publicações diversas. As atrações todas são mostradas em fotos e reportagens exibidas em todo o Brasil e em muitos países estrangeiros. Há lugares de visita obrigatória, como a Cascata do Caracol e o Lago Negro, mas há muitos outros a descobrir e desfrutar.




                                              Igreja Matriz de Canela vestida para o Natal
                                                                    


" É bastante fácil ir de Torres à Serra Gaúcha. Basta ir pela BR 101 até Terra de Areia, entrar na Rota do Sol e , depois, na RS 020. Estradas boas e com paisagens fantásticas - em torno de 170 km (...) Ostentando o título de roteiro turístico mais seguro do Brasil, Gramado é realmente uma cidade para visitar com família, sejam adolescentes ou crianças, em qualquer estação...."   http://correndomundo.blogspot.com.br/2015/08/vamos-gramado.html





                                                    Gramado: decoração de Natal em 2018




Quem visita a Serra Gaúcha - ao menos aqueles que o fazem pela primeira vez - experimentam o seu já conhecido Café Colonial, um desses exageros que não aconselho repetir, em que são oferecidas mais de cinquenta especialidades típicas da região e de cada Café, entre pães, geleias, carnes, salgados e doces em variedades e quantidades exageradamente fartas. Além disso , é óbvio, café, chocolate, suco de uva e vinho. 




                                        Detalhe do que é servido num típico Café Colonial



Para jantar, minha sugestão é Sequência de Fondue,  prato suiço, originalmente preparado à base de queijo.  Na Serra, em geral,  a Sequência começa com fondue de queijo, servido principalmente com vegetais. Depois, muitos molhos acompanham o fondue de carne, com frango e filé. Para a sobremesa, fondue de chocolate com frutas diversas. Come-se bem - sem os exageros do Café Colonial. 



                                                                Fondue de Carne



Para ir à Serra Gaúcha, é aconselhável reservar hospedagem com antecedência, principalmente no mês de julho e nos meses de verão. Desta vez, ficamos hospedados na tranquila Pousada Caminhos do Caracol, na estrada que vai à Cascata - um estabelecimento  em que o conforto está aliado à simplicidade. Atendimento ótimo, apartamento agradável. Café da manhã muito bom. Tem o site www.pousadacaminhosdocaracol.com.br




                                                               Pousada Caminhos do Caracol



Na Serra Gaúcha, as cidades são muito bonitas embora tão preparadas para o turismo que, por vezes, parecem artificias. São salva pela natureza que as impregnam e tomam conta de seu entorno. Elas estão sempre entre araucárias e flores, que seguem a ronda das estações. São os amores-perfeitos, as camélias e as magnólias; depois, vêm as azaleas; e , em novembro e dezembro, o reino das belas hortênsias. Lugares para visitar em qualquer estação do ano.



                                                               Região das Hortênsias



Depois da visita a Gramado e Canela, passando pela bonita Nova Petrópolis, fomos aos Vinhedos de Bento Gonçalves - uma visita rápida com gosto de quero mais. Selecionei apenas uma foto para postar aqui e me lembrar do quanto esse local se parece com a Toscana. Certamente voltarei aos Vinhedos e à Toscana. Saudades...


                                                          Vinhedos de Bento Gonçalves




segunda-feira, janeiro 01, 2018

Torres: 2018 chegando...




Todas as fotos deste post são de Fabiana Menine. Foram feitas na Praia Grande, durante a tradicional e fantástica queima de fogos, com que , à meia noite, o Ano Novo é recebido. Fabiana não trouxe suas câmeras. Ela  usou, então,  a minha Canon SX50 HS, que não tem muitos recursos.






Torres , a cidade praiana onde moro , está localizada no extremo norte do litoral Atlântico do Rio Grande do Sul. Suas extensas praias foram agraciadas com  bonitas paisagens, incluindo paredões rochosos à beira - mar e a visão da única ilha marítima do Estado, a Ilha dos Lobos.







As praias de Torres estendem-se a partir do rio Mampituba, divisa natural entre  Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No Mampituba, há duas pontes, em local central da cidade, que faz a ligação  entre  Torres e  Passo de Torres, cidade catarinense : uma ponte  pênsil ( que Deus me livre de usá-la ! ) e uma ponte nova que garante o trajeto de pessoas e carros.








De março a final de novembro, Torres é a cidade dos meus sonhos - embora eu não permaneça nela por muito tempo. Com cerca de 40 mil habitantes, é tranquila, razoavelmente bem cuidada, com boa infraestrutura de cafeterias, restaurantes, supermercados, atendimento médico e , principalmente, luz, água, esgoto e rede de internet  suficientes para seus moradores.








Dezembro, janeiro e fevereiro instala-se o caos, especialmente  no período de Natal e no Ano Novo. A cidade recebe cerca de 300 mil pessoas - lembrem que sua população fixa está ao redor de 40 mil.  Passamos a ter problemas como falta de luz e falta de água todos os outros desses decorrentes. Estacionamento no centro...nem pensar. Por que a prefeitura ainda não instituiu  áreas com estacionamento pago? Isso evitaria, ao menos, que pessoas deixassem seus carros horas e horas no mesmo lugar...








Apesar de enfrentar problemas decorrentes de uma especulação por vezes predatória e da falta de conscientização patrimonial e ambiental,  Torres conta com quatro áreas de preservação: a reserva ecológica da Ilha dos Lobos, pertencente à União; o Parque Estadual de Torres; o Parque Estadual de Itapeva e o Parque Estadual Da Guarita. Algumas ONGs trabalham para proteger esses espaços, evitando invasões e degradações. 








As atrações oferecidas pela cidade aos seus moradores e visitantes estão relacionadas à natureza, como os Parques, acima enumerados, e as praias: Praia Grande, Prainha, Praia da Cal, Praia dos Molhes, Praia da Guarita - a mais famosa - Praia de Itapeva e Praia Paraíso. Bem interessante também é uma visita ao Morro do Farol e à Lagoa do Violão. Fora isso, o clima é agradável e a violência, controlada.









Além desta grande festa que saúda a entrada do Ano Novo, Torres tem o Festival do Balonismo, um espetáculo de plasticidade e beleza, bastante conhecido no Brasil, quando mais de 50 balões enfeitam os céus, propiciando belas fotos e encantamento à população local e aos visitantes. Em dezembro, a abertura oficial da temporada de praia tem contado com belíssimas apresentações da Orquestra Sinfônica De Porto Alegre, na Praia da Guarita. 








Pela sua localização, Torres propicia fácil acesso a  outros lugares que merecem ser visitados tanto no Rio Grande do Sul,  quanto  em Santa Catarina. Menciono alguns como  Gramado, Canela, São Francisco de Paula, Cambará do Sul, Serra do Rio do Rastro, Região dos Cânions, Laguna e Morro dos Conventos. É, ainda, de fácil acesso a Porto Alegre, de onde está distante um pouco menos de 200 km. Certamente você gostará de visitar Torres, conhecida como a mais bela praia gaúcha.





x

sexta-feira, dezembro 29, 2017

2017/2018 : Fernando Pessoa

Bergen - Noruega


"Às vezes, em sonho triste
Nos meus desejos existe
Longinquamente um país
Onde ser feliz consiste
A´penas em ser feliz.



Bergen - Noruega


Vive-se como se nasce
Sem o querer nem saber.
Nessa ilusão de viver
O tempo morre e renasce
Sem que o sintamos correr.



Bergen - Noruega


O sentir e o desejar
São banidos dessa terra.
O amor não é amor
Nesse país por onde erra
Meu longínquo divagar.



Bardejov - Slovakia


Nem se sonha nem se vive:
É uma infância sem fim.
Parece que se revive
Tão suave é viver assim
Nesse impossível jardim."

Fernando Pessoa


Rila - Bulgária

sábado, dezembro 23, 2017

2017: Relatos Inconclusos


Paris


Para realmente completar,  no correndomundo,  os relatos de 2017, preciso ao menos nomear algumas viagens lindas que me faltou ou disponibilidade ou vontade de sobre elas escrever. Serão mais fotos do que texto. Neste difícil mês de dezembro, faltam-me ânimo e encantamento.




Paris


Começo pelo recorrido que minha amiga Isolda, meu neto Pedro e eu fizemos, durante 10 dias, por Paris, algumas cidades da Bélgica e Amsterdan.



Paris


Exige de Pedro um dia inteiro - um único dia - para traçar Paris comigo. Ele havia encontrado lá uma amiga brasileira e dado a ela total prioridade no tempo dele. Caminhamos muito. Fomos do Louvre ao Arco do Triunfo, percorrendo , por vezes, ruas adjacentes.



Bruxelas

De Paris , fomos a Bruxelas, Brugges, Antuérpia e Namur.  De Bruxelas, fizemos um bate-e-volta a Amsterdam. Novamente de Bruxelas,voando pela TAP, retornamos a Madrid.


Amsterdam


A capital da Holanda é uma bela  cidade - vale a visita ainda que seja um bate-e-volta com o objetivo de  fazer um passeio de barco e caminhar por seus parques belíssimos. Já estive, entretanto, vários dias lá em outras viagens.  Gostaria, no entanto, de  retornar quando as tulipas estão floridas.


Amsterdam

Nada escrevi sobre alguns passeios na Espanha, em lugares que eu amo ver e rever e ver...A esses lugares, em cada temporada espanhola,  costumo ir ao menos duas vezes. Além de Madrid, refiro-me a Granada, Barcelona, Segóvia, Alicante, Sevilha e Córdoba.



Granada

A  novidade da vez, em Granada, ficou por conta do magnífico espetáculo de flamengo, no bairro São Miguel, nas Cuevas de Sacromonte. Para chegar até as Cuevas, faz-se um trajeto em que se pode ter uma estupenda visão de Alhambra iluminada. Inesquecível.


Cuevas de Sacromonte

Como ir à Espanha e não ir a Barcelona ver Gaudí e  Miró? Como ir a Barcelona e não comer em La Boqueria ou passear em Las Ramblas? Imprescindível uma visita a essa cidade.


Gaudí

Qualquer viagem a Espanha sem  ao menos uma espiada em Toledo e Segóvia vai-me parecer incompleta. Meu filho, ainda adolescente,  uma vez me disse que era emocionante a paixão com que eu mostrava algumas cidades - garanto-lhes que  essas duas estão entre elas.



Aqueduto de Segóvia


Sobre Córdoba fiz uma postagem especificamente referente à Mesquita/Catedral. Desta vez , nada postei sobre Sevilha. Essas duas cidades, no entanto, estão no meu roteiro anual, ainda que por dois dias ou um bate-e-volta. Sinto saudades delas ....e vou vê-las.



Mosaicos de Sevilha

O mesmo trem que vai a Córdoba, vai também a Sevilha. De Madrid a Córdoba, mais ou menos uma hora de viagem; de Córboda a Sevilha, igual tempo. Já estive em Córdoba no concurso dos Pátios Andaluzes; em Sevilha , no Dia de Reis. Festas muito animadas e interessantes.


Em Sevilha

Da minha Madrid, não posso deixar de referir dois eventos deste ano: A Feira do Livro de 2017, que teve Portugal como o país convidado e como tema Caminhos da Literatura Portuguesa.. Intensa programação envolvendo escritores portugueses,  em debates, seminários e palestras. Muitos stands com publicações recentes e com livros clássicos portugueses. Até encontrei um livro de Fernando Pessoa que eu não conhecia.


Feira do Livro em Madrid


O segundo evento foi realizado de 20 de junho a 24 de setembro, no Museu Thyssen-Bornemisza, e enfocava o Renascimento em Veneza. Pedro e eu vimos belos trabalhos de Tiziano Vecelho, Paolo Veronês e Jacopo Tintoretto.



Bela Madrid!

Encerro, assim, os relatos de viagem de 2017. Continuo a estudar e a elaborar o planejamento de 2018/1o. semestre. Sou muito grata às pessoas que me incentivam a manter o Correndomundo, um blog pessoal, sem parcerias, que tem dois objetivos:  registro de memórias para meus netos  e incentivo para  o surgimento de novos viajantes. 

quarta-feira, dezembro 20, 2017

Dorme doce, Zeli Menini.




Zeli Menini


Zeli Menini, minha irmã caçula, gostava muito de viajar. Era excelente companheira de viagem: ágil, solidária, inteligente, curiosa. Na Alemanha, Espanha, Dinamarca e em dezenas de outros países, eu a vi feliz, encantada, com os olhos brilhando pelas belezas descobertas. Ela sonhava voltar a Praga - disse-me isso até quando já estava fazendo químioterapia. Faltou-lhe tempo. Partiu hoje para sua última viagem. Fica a dor da ausência e a tristeza da saudade sem fim. RIP



Zeli e eu






" Ter pressa é não saber chegar.
Vou devagar.
Vou devagar porque o que é sorte,
E o que é morte,
Não as busco, não as evito,
Vem-me buscar.
Por isso vou sob o infinito
Sem me apressar."

Fernando Pessoa