segunda-feira, maio 07, 2012

Inglaterra: Bath

Proximidades de Bath




















Pressionados pelo tempo escasso, já no fim previsto para esta viagem,  fizemos um erro: fomos visitar Stonehenge e Bath num único dia. As 12 horas da programação mostraram-se insuficientes para as duas visitas. Bath ficou prejudicada. Apesar de pequena e compacta , a cidade precisa de, ao menos, dois dias para ser vista. Distante 185 km de Londres, Bath é uma das cidades mais visitadas da Inglaterra, com mais de um milhão de estadias por ano. Entre suas atrações, além das águas termais e da estrutura da cidade, estão os muitos eventos musicais, teatrais e esportivos.


Catedral  de  Bath

























Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, com mais de dois mil anos de história, atrai turistas de todo o mundo, que seguramente não saem dela decepcionados. Até a estrada, por onde se chega a Bath, é encantadora , cercada pela visão da Inglaterra rural, com suas casas antigas de fazendas sólidas, criações de gado e de ovelhas e de fábricas de queijo cottage, produto típico da região.A História da cidade começa com os Celtas,  antes de os romanos terem invadidos as Ilhas Britânicas, no ano 43 d.C.  Os Celtas, que ocupavam a região desde 863 a.C. ,  construíram ali um templo em homenagem a deusa Sulis- deusa da sabedoria e da cura -  que equivale a deusa Minerva para os romanos. Durante a ocupação romana, sob o domínio do imperador Por Cláudio,  um novo complexo foi edificado no local. Quando Roma perdeu a hegemonia, em 410 d.C. , os saxões ocuparam Bath e a esse lugar outorgaram o nome atual.


Construções típicas




















Houve um tempo de abandono, mas, na sequência,  os banhos foram restaurados e a informações sobre os poderes curativos da água voltaram a circular com mais intensidade. Depois das guerras mundiais, que afetaram bastante a cidade, Bath voltou  a ser uma atração internacional. Conta a lenda que o príncipe Bladud , que sofria de lepra e, por isso, fora expulso do reino, foi o primeiro a descobrir as propriedades curativas da água. Banhando-se nela, a lepra desapareceu, ele recuperou seu reino e tornou-se o pai do rei Lear.






















Há muito o que ver em Bath. Gostei da Ponte Pulteney, no rio Avon, bem próxima do centro e próxima também de parques tranquilos e bonitos. Gostei da produção local de arte e de artesanato. Vim um comércio de bom gosto e vitrines bem ornamentadas. Voltei com uma dívida de atenção à cidade. Apreciaria muito retornar a Bath durante o Mercado de Natal, período de muitas festividades, em novembro e dezembro. Quem sabe!