quarta-feira, maio 28, 2008

"Não foi nada...."


Uma vez - já faz muito tempo - eu morava em Alegrete, tinha meus filhos pequenos, estudava e trabalhava em três empregos. Andava sempre exausta e exaurida. Em um sábado, eu ia cansadíssima para uma reunião numa das escola onde eu lecionava. Atravessei uma rua sem estar atenta e atropelei uma bicicleta. Caí, raspei joelhos e mãos e levantei com dor e vergonha brutais - não sem antes ouvir do ciclista que, se eu queria me matar, fosse me jogar na frente de um caminhão. Ao chegar à Escola, encerrei-me no banheiro e chorei, mas chorei muito, de dor e de pena de mim mesma.

Lembrei desse fato faz três dias. Aconteceu que eu vinha por uma bela e histórica rua de Palermo (foto) , desta vez muito tranqüila e descansada, quando fui semi-atropelada por uma moto, que deslizou de uma subida e bateu no meu braço , empurrando-o para trás. Sei que dei um grito horrendo. Ouvi do rapaz da moto que "nada se passara" e foi embora. Um senhor de uma dessas pequenas lojas de venda de alimentos, tão comuns na Itália, percebeu meu susto e chamou-me, deu-me água para beber e um medicamento para passar no braço. Perguntou se eu podia mover o braço e se ombro não doía. Veio à tona minha fragilidade naquele momento. Comecei a chorar. Chorava pelo susto. Chorava pelo acidente que poderia ter sido grave. Imaginava uma clavícula quebrada, um braço fora do lugar. Quanto mais o pobre homem falava, dizendo que o motoqueiro tinha sido irresponsável, que devia ter -me levado a um hospital, mais eu chorava.

Então, tocou o meu telefone. Atendi e , com isso, estanquei o fiasco!

Agradeci ao meu benfeitor e saí em direção ao Hotel. Saí agradecendo também ao meu Anjo da Guarda por ter sido pouca coisa e prometendo a Ele que seria mais atenta. Verdade que , no dia seguinte, não pude carregar a mochila com o notebook no ombro acidentado. À noite, tomei um antiinflamatório e passou a dor.

Foram , portanto, embora em condições muito diversas, os dois acidentes de que vou sempre lembrar e que me farão temer qualquer coisa que se mova com duas rodas.