quinta-feira, maio 04, 2006

Minha família I

Il mio nonno! Tobias Menini

Meu pai - gosto dessa " elegância rural" do Rio Grande do Sul.

Diva, minha irmã, e Olídio, meu primo, no Clube Comercial de Rosário do Sul.












Meu irmão Alberto Menine e minha irmã Diva.




Minha irmã Zeli ( ao fundo, Catedral de Bagé), a caçula, adorada por todos nós.
Minha irmã Alda. Ela faz um belo trabalho como advogada na área de infância e juventude.
Pedro em Torres, esperto e lindinho!

Gugu, Fabianinha, Ígor e Frederico em Torres.
Gugu com 9 anos.
Fabiana e Gugu, com Frederico recém-nascido.
Pedro
Patati (Paulo de Tarso) , meu filho do meio.Hoje ( 9/6/06) me contou que vai ser pai...e eu ainda penso que ele é o meu bebê!
Mile e Natália, a filha linda do Fabrício.
Gugu e eu - antecipando a saudade: ele vai morar longe.
Fabiana, minha filha e mãe do Pedro.
Patati e Zeli
Ari e Gonçalo
Sempre penso em meu avô paterno,Tobia Menini,que veio da Itália para o Brasil, entre 1880 e 1890, como o início da minha família. Nada sei sobre meus bisavós, pois não sei sequer o nome cidade de origem dos Menini.Estou convicta,entretanto, de que ele era ou do Vêneto ou da Lombardia.

Tive, " pelo lado dos Menini" como se diz na minha região, muitos tios ( Pedro, Estevão, Alberto, Bernardo, Joaquim Luís ( o famoso tio Quinca), Napoleão, João, Constâncio, Tobias, Constância( tia Pina, apelido bem italiano!) , Maria Antônia e Maria Rosa, irmãos de meu pai, Abrelino Abreu Menini, que era o caçula. Penso que esse meu avô era muito "italiano", no que se refere a gostar de mulheres : teve filhos com três delas e, segundo lenda que ainda corre na região, teve muitos " romances " ali, inclusive alguns com mulheres casadas.Minha avó, Izaltina Pires da Silva, era sobrinha de uma das mulheres de Tobia. A única fotografia que temos dele é esta que pus aqui no blog!

Meu avô materno se chamava Francisco Luís Pinto - nome de uma escola hoje. Seus antecedentes mais próximos são uruguaios; os mais distantes, espanhóis de origem judaica. Minha avó materna se chamava Lindolfa Souza Pinto. Pouco sei dela, mas foi a avó que eu cheguei a conhecer. Morreu quando eu estava com 9 anos.Foi meu primeiro contato com a morte. Chico Pinto - como era chamado - e Lindolfa tiveram como filhos: Luís, Lourival (tio Lorito), Oscar ( morreu jovem e era belíssimo), Maria Júlia ( tia Julica), Carmela, Claristina, Ítala, minha mãe, tia Lola e tia Alda.

Meu pai, a quem eu era muito apegada, morreu aos 44 anos , de tétano. Eu tinha 11 anos ...paguei muita terapia até compreender bem esse fato. Minha mãe , Anália Pinto Menine, uma mulher forte,inteligente, amorosa e perspicaz, morreu aos 84 anos. Viveu na fazenda até pouco tempo antes de morrer.Levantava bem cedo, de madrugada mesmo , e , quando questionada sobre esse hábito , respondia sempre que era para " aproveitar bem a vida". A maior prova de sua inteligência era o fato de conversar com cada um de seus sete filhos sobre o assunto que interessa a eles. Comigo conversava muito sobre plantas, índios e viagens, embora achasse perigoso esse meu costume de andar sempre "CORRENDO MUNDO" - daí a origem da denominação deste Blog.

Eu sou a filha do meio de sete irmãos. Tenho três filhos:Fabiana,Paulo de Tarso e Juliano. Fabiana tem o Pedro, o sorridente pequeno que na foto come "bergamota" e na rede da casa de Torres.. Incluí , ainda , aqui, a foto de meus cunhado Ari Nélson(marido da minha irmã Zeli) e da minha cunhada Cibele(mulher de meu irmão Almir, o Mile) por serem muitos próximos de mim e serem aqueles com quem mais convivo - estão aqui por merecimento. É uma família de gente muito bonita.Podem ver!


"Viver não é necessário;

o que é necessário é criar.

Não conto gozar a minha vida;

nem em gozá-la penso.

Só quero torná-la grande,

ainda que para isso tenha de ser o meu corpo

e a minha alma a lenha desse fogo.
Só quero torná-la de toda a humanidade;

ainda que para isso tenha de a perder como minha.

Cada vez mais assim penso." Fernando Pessoa



Gosto desta fotografia: meu pai com 20 anos, minha mãe com 17.Ele muito parecido com Patati,meu filho.Minha mãe morreu com 84 anos e sempre foi assim: magrinha e elegante, fineza em pessoa.Meu pai estudou, como aluno interno, no Colégio dos Maristas , em Santa Maria.Foi expulso de lá - tanto quanto eu sei porque, numa revolta de alunos, jogou um prato de comida em um padre.Estudou também no Colégio Militar "Fontoura Ilha", na mesma cidade.Quando casou com minha mãe e foi morar na "Bela União" (nome dado por ele ao lugar), ensinava a ler " ler,escrever e contar" a muitos meninos da região.Parece que herdei dele a vocação para ensinar e o gosto de fazer isso.Sou a única professora entre sete irmãos...e dei certo na profissão. Sempre gostei de meu trabalho.