segunda-feira, dezembro 21, 2015

A Copenhagem da Pequena Sereia

Nyhavn - zona portuária

Quem vai à Dinamarca, certamente vai a Copenhagem, cidade com mais de um milhão de habitantes, que é a capital e a mais populosa  do País. As duas vezes em que lá estive, cheguei pela principal estação de trens: a primeira vez, vinda de trem desde Berlin; a segunda, vinda do Aeroporto Internacional de Kastrup, o maior da Escandinávia. Do aeroporto à estação, pode vir em trem, ônibus, bonde ou táxi. Boa impressão já na chegada - o prédio da Kobenhavn Hovedbanegárden é antigo, fotogênico e bonito.

Decoração de Natal na rua Stroget
Final de outono, folhas coloridas por toda parte, temperatura  menos fria do que a esperada - pouco menos de 10 graus. Nas ruas, uma decoração natalina simples e de bom gosto. Nosso hotel, reservado no booking.com , era um quatro estrelas honesto, com excelente café da manhã, menos de 10 minutos desde a Estação Centrale, num bairro muito bom : Comfort Hotel Vesterbro, Vesterbrogade,23-29 
  
Zeli em paisagem de outono

A cidade é bastante plana  e , para quem gosta de longas caminhadas, dispensa metrô, ônibus,táxi. Basta andar  - e olhando atentamente porque há belezas por todo lado. Depois de percorrer Vesterbo, o bairro   em que estávamos hospedados, fomos ver a  Pequena Sereia, a grande atração local, visitada por um milhão de pessoas a cada ano. Ela tem 1m25com e pesa 175 kg. Está no Porto de Copenhagem, em Langelinie, acomodada  sobre uma rocha.  




A Pequena Sereia
                                                                        
Foi doada à cidade em 1913, pelo fundador da cervejaria Carlsberg, Carl Jacobsen, inspirado por um balé a que ele havia assistido. O autor da escultura de A Pequena Sereia ( The Little Mermaid ) foi Edvard Eriksen. No dia 23 de agosto, é comemorado, com grandes festas, o aniversário dela, que é personagem de um conto de Hans Christian Andersen sobre uma linda sereia que se apaixona por um príncipe humano. Esse conto já foi traduzido em 150 idiomas e transformado em filme por Walt Disney.

Mercado de Natal 
Felizmente para nós o Julemarked ou Christmas Market começa no início do mês de novembro. Nós já o encontramos em pleno funcionamento, no Centro da Cidade. O Mercado de Natal é uma tradição alemã que atuamente é encontrada por toda a Europa. Copenhagem realmente já estava em clima de Natal: decoração, música, muita gente na rua - e as lojinhas vendendo, além de presentes, brinquedos e enfeites natalinos, bebidas e comidas típicas. Sobre a abertura das festividades no Tívoli, ver post anterior.

Movimento ao final da tarde

A Strojet, rua exclusivamente para pedestres, é a principal área comercial da cidade. Essa rua troca de nome algumas vezes, podendo chamar-se Frederiksberggade, Nygade, Vimmelskaftet, Amagertorv e Ostergade, mas será sempre a mesma. É bem iluminada, muito movimentada, com gente bonita - o que é comum na Dinamarca - muitos artistas de rua e lojas,  conhecidas ou não, mas todas muito bem decoradas. A mais famosa loja de departamentos - a Illum - encontra-se também na Strojet, quase no seu final.

Moinho da Cidadela ou Kastellet
Construída pelo Rei Chistian IV, em 1626 , já na região do porto, está a Cidadela - ou Kastellet - que tinha a finalidade de reconhecer os ataques vindo do mar  e garantir a proteção da cidade. Toda a área, em 1892, foi transformada num belíssimo parque. Zeli e eu o traçamos encantadas com a natureza que o envolve e com as esculturas que ali estão. O núcleo militar continua ativo no centro do forte e parece que só ocasinalmente é usado para treinamente de soldados. Os prédios são pintados em bonitos tons de laranja. Adorei o Moinho antigo que adorna sobremaneira o Kastellet.


Fotogênico Moinho antigo

Faço uma parênteses, antes que eu esqueça , para mencionar algo que me parece relevante. A Dinamarca é um dos únicos países do mundo a cumprir com a recomendação das Nações Unidas de destinar ao menos 1% de seu produto interno bruto (PIB) ao Terceiro Mundo. O país também ajudam na modernização das nações que antes pertenciam à Europa do Leste. É um exemplo de nação a seguir. Os dinamarqueses desfrutam de águas limpas, praias sem contaminação, ar puro e uma natureza invejável. Preocupa-se com a preservação do meio ambiente e com a qualidade de vida de seus cidadãos. Quando fui atendida no Hospital Universitário, por ter tido uma reação alérgica muito forte, saí agradecida e encantada com o tratamento recebido. Há esperança sim...


EStátua equestre deFrederico V 
Residência oficial de inverno da família real, o Castelo de Amalienborg é  formado por quatro palácios de exteriores idênticos, dispostos ao redor de uma praça octogonal, que tem ao centro, a estátua equestre do rei Frederico V, o fundador de Amalienborg. A face do rei está voltada na direção da Igreja de Mármore. Foi construído para abrigar quatro famílias nobres. Após um incêndio no Palácio  de  Christiansborg, em 1794, a família real o comprou - e gerações e gerações dela passaram a ocupar as residências.


Soldados da guarda-real
Fomos assistir à solenidade de troca de guardas no Castelo de Amalienborg. A coreografia foi perfeita - com música e soldados da guarda-real, que me fizeram lembrar os antigos bonequinhos do playmobil, que eu comprava para os meus filhos, ou os legos, que muito comprei para Pedro, meu neto.Muitos turistas acompanham essa solenidade, que  deve durar um quarto de hora.

Igreja Luterana em Frederiksstaden
Localizada no centro de Frederiksstaden, em frente ao Amalienborg, a Igreja de Mármore, como é popularmente conhecida, é um templo luterano que começou a ser construído em 1749, por desejo do rei Frederico V da Dinamarca, em comemoração ao terceiro centenário da ascensão dos  Oldenburgo ao trono. Em 1770, suas obras foram interrompidas devido ao alto custo. Com ajuda da iniciativa privada, as obras foram retomadas e concluídas em 1894. Sua cúpula foi inspirada na Basílica de São Pedro, em Roma.

Antiga Bolsa de Valores
Assim como Bersen, o antigo prédio da Bolsa de Valores da Dinamarca, que foi construído no século XVII  e é bem conhecido por sua torre, com rabos de dragões entrelaçados, há muitos outros edifícios cuja arquitetura deixa-nos de boca aberta - entre esses, o Castelo de Rosenborg, a Torre Redonda, a Biblioteca Real, o Museu Nacional e o Teatro Real, a Prefeitura e as encantadoras casinhas coloridas do Nyhavn. No Teatro Real, acontecem, entre outono e primavera, apresentações do Balé Real Dinamarquês, que eu li apreciações que o consideram o mais fantástico do norte europeu.

Museu do Design
Haveria muito, mas muito mesmo, o que escrever e o que contar sobre esta minha segunda viagem à Dinamarca. Nem escrevi sobre  Nyhavn, lugar de que gosto tanto.  Estou, entretanto, atrasada com os relatos no Correndomundo... Não os concluí ainda e já estou de partida amanhã. Retorno à Europa onde devo passar Natal, Ano Novo e permanecer durante o mês de janeiro. 


Obrigada, Zeli , pelo companheirismo agradável.;

Pessoas queridas, desejo-lhes um alegre Natal e um Ano Novo com surpresas agradáveis e motivos para sorrir espontaneamente. "Que teus bolsos estejam pesados, e o teu coração, leve."  





"O que me dói não é
O que há no coração
Mas essas coisas lindas
Que nunca existirão...



São as formas sem forma
Que passam sem que a dor
As possa conhecer
Ou as sonhar o amor.


São como se a tristeza
Fosse árvore e, uma a uma,
Caíssem suas folhas
Entre o vestígio e a bruma."


Fernando Pessoa