segunda-feira, agosto 24, 2015

Muralismo Mexicano

Detalhe do Mural de Tlaquepaque : Diego Rivera e Frida Kahlo

O Muralismo mexicano motivou  muito meu interesse pelo país. Nele se encontra não só a origem de um estilo artístico como a própria história do México minuciosamente detalhada. Surge na década de 1920, logo depois da Revolução mexicana. Atualmente é um dos gêneros mais distintivos da América Latina.

Detalhe do mural de Tlaquepaque : os marginalizados

Após a Revolução, José Vasconcelos, conhecido intelectual, assumiu o Ministério da Educação e encarregou jovens artistas da pintura de murais públicos, com o objetivo de difundir a história e a cultura mexicanas. Os primeiros espaços que receberam murais, foram as paredes da Secretaria Nacional de Educação Pública , da Escola Nacional Preparatória e do Palácio Nacional.


Mural de Tlaquepaque: a burguesia



A  partir daí, a Escola Muralista Mexicana começa a adquirir prestígio internacional, não só como corrente artística, mas também como um movimento  social e político de resistência e de identidade. Mostravam imagens, com diversidade estilística, mas com recorrência de temas, como a revolução, as lutas de classe e a situação dos povos indígenas.


Opressão e luta
Afirma-se que o Muralismo ajudou a configurar a imagem de um país unificado e a difundir  os ideais posteriores ao período revolucionário . Os três grandes muralistas - também os mais conhecidos nacional e internacionalmente - foram Diego Rivera ( 1886 - 1957 ) , José Clemente Orozco ( 1883 - 1949 ) e David Alfaro Siqueiros ( 1896 - 1974 ) .


Mural de Orozco

José Clemente Orosco, natural de Jalisco, centrou seu trabalho principalmente nas condições humanas universais e não tanto em concretudes históricas locais. Suas obras transmitem emoção, caráter e atmosfera. Alcançaram seu ponto alto em Guadalajara, onde foram  produzidos mais de 50 afrescos no Instituto Cultural de Cabañas.  Teve forte influência do pintor francês  Henri de Toulouse-Lautrec.


Guadalajara - Jalisco
David Alfaro Siqueiros  lutou na Revolução do lado dos Constitucionalistas ( liberais), mas nunca abandonou suas convicções políticas socialistas. Seus murais fazem descrições dramáticas e simbólicas dos oprimidos e caricaturas grotescas dos opressores. Diz-se que suas melhores obras estão no Palácio de Belas Artes, na Cidade do México. Como não as vi - e não vi muito do que gostaria de ver - já tenho um projeto para voltar no próximo ano.


Guadalajara  - Jalisco

Diego Rivera, o mais conhecido dos muralistas mexicanos, centrou seu trabalho na histórica opressão dos indígenas e dos camponeses. Nasceu em Guanajuato. Estudou pintura no México e na Europa, de onde regressou em 1921 para integrar-se ao Movimento Muralista. Deixou trabalhos em diversos países ( Conheci um belo mural de Rivera na cidade de Detroit ).

Escultura de Diego Rivera em Guanajuato

O estilo de Diego Rivera é marcado por formas planas, simplificadas, coloridas e decorativas. Seus murais narram a  história política e social do México. O mural, na primeira foto desta postagem, em que aparece Rivera e Frida Kahló - famosa pintora mexicana e sua terceira esposa -  foi planificado por ele , mas executado por Fernando Cordero. 

Casa onde nasceu Diego Rivera em Guanajuato
No Palácio Nacional, pode-se ver o mural de Rivera denominado  Epopéia do Povo Mexicano em sua Luta por  Liberdade e Independência. Outro grande mural dele - Sonho de uma Tarde Dominical na Alameda - foi resgatado do interior do Hotel do Prado - prédio que caiu durante o terremoto de 1985. Os muralistas mexicanos legaram aos povos que buscam  seus direitos fundamentais uma ferramenta de luta que inspira e comove.


Em San Miguel de Allende
"Suenan las campanas de dolores
Voz de alarma que el cielo estremecía
Y en medio de la noche surgió el día.

Hidalgo audaz el porvenir veía
La patria la patria que gemía vio sus
Espinas convertirse en flores."


(desconheço o autor)



Mural em San Miguel Allende