domingo, maio 03, 2015

Alcalá de Henares, Terra de Cervantes.

Dom Quixote
Os raios caem sobre os montes mais elevados, e onde encontram mais resistência é onde provocam o maior dano.

Senta-te no teu lugar e não te farão levantar.

Feliz de quem recebeu do céu um pedaço de pão e não precisa de agradecer a ninguém além do próprio céu.


Dom Quixote e Sancho Pança
Se, por vezes, o juiz deixar vergar a vara da justiça, que não seja sob o peso das ofertas, mas sob o da misericórdia.

Os velhos murmuradores falam mais quanto mais velhos são, porque viram mais, e todos os prazeres dos outros sentidos se reuniram e albergaram na língua.

Cada um é como Deus o fez, e muitas vezes até pior.



Praça Cervantes e Feira do Livro
As transcrições acima, a maioria delas retiradas da obra  Dom Quixote de la Mancha, pertencem a um dos expoentes máximos da literatura universal. Seu autor, o poeta , dramaturgo e novelista Miguel de Cervantes. Tornou-se mundialmente conhecido por essa  obra, a mais editada e traduzida, só superada pela Bíblia.

Muitas flores e muitas crianças na praça
Pois Miguel Cervantes nasceu em Alcalá de Henares, no dia 29 de setembro de1547. Morreu em Madrid aos 68 anos. A principal e  bonita praça da cidade de Alcalá  tem seu nome. A primeira vez que estive nessa cidade foi unicamente pelo escritor. Desta vez, entretanto, havia outro motivo: a realização da Feira Anual do Livro.

Primavera e Feira na Praça Cervantes
A antiga Praça do Mercado serviu durante muito tempo como espaço urbano dedicado à celebração de feiras e festas. Continua sendo o núcleo central de Alcalá. Atualmente , durante a primavera, dá lugar à tradicional Feira do Livro, com participação de muitas livrarias e editoras e com a participação da população local e de escolas, que vêm, tanto de Alcalá como de cidades vizinhas. 

Escultura de Miguel Cervantes
No centro da praça Cervantes, está a escultura de Miguel Cervantes, obra do escultor Carlo Nicoli, que foi fundida em bronze em 1879. O pedestal onde está a escultura, é posterior - obra d Pepe Noja, representando  cenas de Dom Quixote. 

Quisque da Música, na Praça Cervantes
De beleza ímpar, é o Quiosque da Música, que se encontra no centro da praça . O contorno dele, em ferro e bronze, parece com uma renda, de tão minúsculos e delicados seus detalhes. Foi construído pela Fundição Lebrero de Madrid, no ano de 1898, a partir de um desenho de Pastells, grande arquiteto, que deixou sua marca em muitos prédios complutenses.

Calle Mayor -  antiga Juderia
Durante a Idade Média, a Calle Mayor foi o eixo de uma antiga juderia. É a mais longa rua da Espanha que tem vigas laterais. Essas vigas antigamente eram de madeira, mas , no século XIX, foram substituídas por colunas de pedra. Os judeus mantinham, na parte térrea, seus estabelecimentos comerciais; na parte de cima, a casa onde moravam.

Ao fundo, a Casa de Cervantes
O museu Casa Natal de Cervantes está instalado na antiga residência  ( século XVI ) da família Cervantes e foi onde nasceu o autor de Dom Quixote. Como todas as casas espanholas da época, está construída ao redor de um pátio interno, onde se distribuem todos os cômodos tradicionais, tais como cozinha, comedor, sala de trabalho e sala das senhoras. Pode-se ver uma magnífica coleção de móveis da época. O Museu conserva uma grande coleção de edições de Dom Quixote em diferentes línguas.

Os Universos de Cervantes


O  Centro de Interpretação " Los Universos de Cervantes " localizado em torno da pia batismal de Miguel Cervantes, estrutura-se como um espaço dedicado a ele e as suas obras. Foi criado pela Prefeitura de Alcalá de Henares em 2005, como parte dos atos comemorativos do IV Centenário da edição da primeira parte de Dom Quixote. Vi uma bonita de exposição de materiais diversos sobre o autor e a obra, incluindo um cartaz do filme El Hombre de la Mancha, protagonizado por Sophia Loren e Peter O´Toole.

Os Universos de Cervantes
Este prédio, na idade Média, foi ermida de San Juan de los Caballeros. Mais tarde,  foi o lugar onde a nobreza urbana construia capelas para enterrar seus familiares. Aqui foi batizado Miguel de Cervantes. O Ministerio da Educação, em 2005 , transformou-o em Museu, Centro de Estudos e Sala de Exposições Temporárias.

Rosas anda em botões
Alcalá de Henares foi a cidade romana chamada Complutum - daí o gentílico complutense - que, mais tarde, sob o domínio muçulmano passou a chamar-se Alcalá. Henares é a denominação do rio que passa pela cidade. Daí Alcalá de Henares.  Por sua lendária universidade e pelo seu esplendor intelectual, foi nscrita como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Detalhes de prédios da Universidade
A Universidade de Alcalá foi fundada em 1486 pelo Cardeal Cisneros, tendo sido, no mundo,  a primeira cidade universitária planificada - modelo para a Europa e para outros países. É um dos principais centros educacionais da Espanha.Em visita guiada, pod e-se entrar na capela mudejar e no magnifico Auditório Paraninfo, onde o rei e a rainha, anualmente, entregam o prêmio literário Cervantes.

Muito verde e muitas flores na cidade
Deliciaram-me as cafeterias e os restaurantes da cidade. Há uma rosca  - rosquillas de Alcalá - feita com doce de gemas e depois coberta com uma massa muito fina, que é inesquecível. No almoço, comi a tradicional morcilia salgada, cortada em rodelas e coberta com um molho de maçã....dos deuses!

Rosquillas de Alcalá

É a segunda vez que faço este bate-e-volta bem interessante. Alcalá tem 200 mil habitantes, mas parece menor por ser bastante tranquila. Da Estação de Atocha, partem trens a cada meia hora. A Estação de Alcalá não é longe do centro, pode-se tranquilamente ir caminhando. No centro de informações turísticas, na Praça Cervantes, fornecem mapas e indicam os principais locais de visita. Gostei muito de ter visto a Feira de Livros, não só pelos livros, mas também pelo interesse de crianças e adultos em relação a eles. Valeu!

Muros grafitados que lembram Dom Quixote
"Bendito seja o mesmo sol de outras terras
Que faz meus irmãos todos os homens
Porque todos os homens, um momento no dia, o olham como eu,
E, nesse puro momento
Todo limpo e sensível
Regressam lacrimosamente
E com um suspiro que mal sentem
Ao homem verdadeiro e primitivo
Que via o Sol nascer e ainda o não adorava..."

Fernando Pessoa

Ao fundo, a Praça Cervantes