terça-feira, setembro 01, 2015

Morelia , a bonita capital de Michoacán.

Detalhe da magnífica Guadalupinha
Classificada pela UNESCO como Patrimônio Cultural, Morelia é uma das mais bonitas cidades coloniais do México. Capital do Estado de Michoacán, com população ao redor de 700 mil habitantes, é a mais populosa e maior desse estado. Possui um centro histórico denso, com arquitetura rica em marcas e detalhes do período espanhol.

Guadalupinha
Fundada em 1541, Morelia tem muitas e bonitas  casas coloniais -  solenes e  fortes , de pedra rosada e com belos pátios -  que merecem observação acurada . O município, disseram-me , é muito rigoroso quanto a cores, estilos e materiais aceitos para serem usados em restaurações, conservações e construções.


Guadalupinha
As primeiras fotos desta postagem são do Santuário de Guadalupe, conhecido como Guadalupinha. Volto a referir minha convicção de que igrejas - sempre as visito independente de religão ou religiosidade - são os mais bem cuidados museus que nos dão a oportunidade de ver arquitetura, esculturas e pinturas  muitas vezes surpreendentes. Com um pouco de sorte, ainda se pode assistir a concertos lindos nesses espaços.

Guadalupinha
Guadalupinha

                              



Guadalupinha
Guadalupinha
               



















O que mais me encantou nessa cidade, foi mesmo o Santuário de O SaNTUÁRIO O O Guadalupe, magnífica  igreja barroca, com paredes rosadas, foi construída entre 1708 e 1716. É  meio parecida com um templo indu, tal a quantidade de elementos decorativos, encontrados em seu interior - com destaque para  as flores brancas e rosadas, sobre revestimentos dourados.


Missa dominical no Santuário de Guadalupe

Entre dourados e coloridos , podem ser vistos, nesse Santuário, grandes e impressionantes quadros que retratam   a conversão dos índígenas ao cristianismo. Mostram cenas que me pareceram macabras, mais assustadoras que inspiradoras de fé e bondade, exaltando os espanhois que temiam a Deus e os índios que O desconheciam.

Cena de batismo 
      
Embora Guadalupinha, para meu gosto volto a dizer, seja o ponto alto de Morelia, a cidade destaca-se também por sua história. Aqui nasceu Morelos - José Maria Morelos y Pavón - que, após a morte de Hidalgo, assumiu a liderança do movimento insurgente. Sua importância é tanta, que seu nome tornou-se o nome da cidade, antes denominada Valladolid - o mesmo nome da conhecida cidade espanhola.

Monumento a Morelos

A casa, onde , em 1765, nasceu Morelos, em sua honra foi transformada em museu, onde  estão guardados muitos documentos e uma grande coleção de fotografias relacionadas aos feitos desse herói , que ainda é chamado Rei de Morelia.  Até hoje, duas tochas permanecem  acesas no seu lugar de nascimento.

Majestosa estátua de Morelos

Ao redor da estátua equestre do herói, construída por um artista italiano entre 1910 e 1913 , está a Praça Morelos, com bonitos canteiros floridos, palmeiras altas e árvores frondosas. Saindo da Praça, pela Calçada Frei Antonio de San Miguel, chega-se à Fuente Las Tarascas, localizada entre belos e antigos edifícios.


Praça e aqueduto

O Aqueduto de Morelia foi construído entre 1785 e 1788, para tentar suprir, ao menos em parte, a crescente falta de água de que a cidade sofria. Estende-se por vários quilômetros ao longo da Avenida Aqueduto, passando por uma das  bonitas  praças locais. Possui 253 arcadas -   à  noite , magnificamente iluminadas.

               
Detalhes da Catedral de Morelia



                                                        
Localizada na Praça das Armas, a principal praça da cidade, a Catedral levou mais de um século para ser construída ( 1640 - 1744 ). o que explica a presença de estilos diferentes, como barroco e neoclássico. Suas torres gêmeas têm 70 metros de altura e três estilos diferentes; seu órgão, com admirável som,  tem 4600 tubos. A decoração, que até o século XIX , era barroca, foi substituída, em parte, por peças neoclássicas.


Catedral
Bem interessante também é a visita ao Colégio de San Nicolás - onde Morelos estudou. O Colégio, fundado em Patzcuaro, em 1540, foi, em 1580, transferido para Valladolid, hoje Morelia. Originalmente, tinha dois tipos de alunos: os internos, que eram espanhois e que ali viviam, e os externos, , que eram indígenas e mestiços, cujos pais haviam trabalhado na construção do edifício. Na prática , a escola teria a função de aculturação da gente local.                    
Pátio interno de San Nicolás
O Muralismo de Morelia é outra de sua imperdíveis atrações. Muito coloridos, narram cenas históricas, com destaque para as figuras de Morelos e Hidalgo - é claro!. As expressões de bondade e maldade, heroísmo e submissão  são facilmente decodificadas nos murais.

Mural de Alfredo Zalce
O México, celeiro de muralistas talentosos, teve muitos deles que deixaram obras na histórica Morelia - com destaque para Juan O´Goman, Roberto Cueva, Adolfo Mexiac, Agustin Cárdenas Castro e Alfredo Zalce, este último o auor de Gente e Paisagem de Michoacán, mural que se encontra no Palácio do Governo.


...em Murais de Zalce
Cenas Históricas....










                             

Não conheço lugar mais agressivo do que uma loja de doces para uma pessoa que está em dieta seríssima. Nesse item, Morelia é terrível, porque seus doces são tentações com diferentes formatos. São feitos geralmente com frutas, leite, frutos secos e açúcar. Olhei - com olhos desejosos - frutas cobertas, pequenas pirâmides de coco, retângulos de doce de leite e massinhas recheadas com doce de tamarindo. São famosos em toda a região, o Mercado dos Doces de Morelia e o Museu do Doce. Neguei-me a fazer fotos....apenas rezei para não cair em tentação...

...amém

Além das típicas festas comemoradas em todo o México, como o Dia dos Mortos, Morelia celebra outras datas, como a Feira de Morelia, no fim de abril e início de maio; o aniversário da cidade, dia 30 de setembro; o Festival Internacional de Cinema de Morelia, durante uma semana, em outubro; o Festival Internacional de Música, em novembro.


Aqueduto
Há muito o que ver e apreciar em Morelia. Decididamente, a essa cidade e a Guanajuato eu pretendo voltar para ver outros Museus e Palácios e, ainda,  percorrer tranquilamente suas históricas e arborizadas ruas.  Continuo lendo sobre o México - país que fascina e encanta - e lendo seus poetas, de quem eu pouco sabia e dos quais eu muito gostei.


Centro Histórico

Liberdade Bajo Palabra



Viento
Cantan las hojas,
bailan las peras en el peral;
gira la rosa,
rosa del viento, no del rosal.
Nubes y nubes
flotan dormidas, algas del aire;
todo el espacio
gira con ellas, fuerza de nadie.

Aqueduto


Todo es espacio;
vibra la vara de la amapola
y una desnuda
vuela en el viento lomo de ola.



Nada soy yo,
cuerpo que flota, luz, oleaje;
todo es del viento
y el viento es aire 
siempre de viaje...


Octavio Paz, poeta 
mexicano.







Novas portas.....