sexta-feira, julho 12, 2013

Baton Rouge,a Capital da Louisiana.

Jardins do palácio do governo

Foi uma alegria chegar a Baton Rouge, diretamente aos magníficos jardins do Palácio do Governo da Louisiana. Muito verde , muitas flores, perfume no ar. Magnólias imensas por toda a parte - e com flores! Simpatizo com a Louisiana. Concordo que, se beleza, cultura e arte fossem os itens  mais valorizadas do mercado,  o estado figuraria entre os mais ricos do país.

Parque do Palácio
Baton Rouge significa bastão vermelho. A razão é bem interessante. Havia aqui dois territórios de caça indígena. Para evitar conflitos, os índios decidiram fazer demarcação. Fincaram, então, nas divisas, estacas e nessas estacas  enfiaram cabeças ensanguentadas de peixe - o que as deixavam avermelhadas.
Magnólias
A cidade foi fundada por franceses em 1699 e passou a capital em 1849. Tem hoje aproximadamente 300 mil habitantes, um crescimento drástico após o furacão Katrina, já que recebeu muitos habitantes vindos de New Orleans. Era a segunda cidade mais populosa do estado. Depois do Katrina, tornou-se a primeira. Está localizada na margem oriental do rio Mississippi e distante a 128 km do Golfo do México.

O novo palácio do governo
Baton Rouge abriga duas das principais universidades do estado da Louisiana. A primeira delas é a Louisiana State University - LSU. Conhecida por sua qualidade acadêmica e pela classificação que obtêm seus graduados em rankings nacionais.  A segunda é a historicamente negra Southem University, cujo campus tem vista para o Mississippi,  e que faz parte de um grupo de College e University , com reconhecida produção acadêmica.


O antigo palácio do governo
O State Capitol , o atual palácio do governo, foi construído em 1932, por insistência do então governador e senador Huey Long, que teve dificuldade em convencer os legisladores a aprovarem um orçamento significativo para essa construção. O prédio tem uma estrutura de 34 andares e parece ser o palácio mais alto do país. Nesse prédio, foi assassinado o governador que tanto insistiu na sua construção. Circulam histórias de fantasmas por aqui !

Old Capitol com riquíssimo interior

O Old State Capitol proporciona momentos bem interessantes à visita. É um um tesouro arquitetônico em estilo neogótico, encantando pelas cores e pela beleza. Está localizado bem no centro de Baton Rouge,  no alto de uma falésia com vista para o rio Mississippi. Abriga o museu que enfoca a história política do estado e que mostra, através de exposições interativas, a tumultuada vida da Louisiana.

Old State Capitol

Está credenciado pela Associação Americana de Museus e tem como  objetivos primordial servir ao povo da Louisiana como instituição histórica, cultural, cívica e educacional com a finalidade de coletar, preservar e apresentar - como recurso educativo - documentos, objetos de arte e artefatos que refletem a política do estado , sua história, arte e cultura.

Escadaria em metais no Old Capitol
O museu envolve os visitantes numa exploração interativa de acontecimentos e pessoas que contribuíram para a história política de Louisiana, com destaque para "Nós os povos ..." exposição que evidencia os diferentes processos de campanhas  eleitorais americanas.  O museu também serve como um espaço para conferências de imprensa e exposições itinerantes.Muitas noivas vêm fazer fotos, que ficam expostas depois numa sala especial - para mim, bastante informativa sobre a cultura local.


Detalhes do interior do museu
Gostei de conhecer  Baton Rouge. Foi uma introdução valiosa à cultura dessa parte do país - da arquitetura à culinária, esta com a influência também francesa dos acadianos ou cajuns.  Faltou-nos tempo para visitar algumas plantations, antigas fazendas de arroz, cana-de-açúcar e algodão.Saimos daqui em direção a New Orleans, com uma parada em outro outlet Tanger, este bem maior que o de Tuscola - mais uns modelitos para a família e declarei encerradas as compras de roupa. "Lá vou eu...", então,  rumo à cidade que mais quero conhecer nesta viagem.

Magnólias por toda parte

"Eu tenho uma espécie de dever,
Dever de sonhar, de sonhar sempre,
Pois sendo mais do que um espetáculo de mim mesmo,
Eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso.
E, assim, me construo a ouro e sedas, em salas supostas,
Invento palco, cenário para viver o meu sonho
Entre luzes brandas e músicas invisíveis."


Fernando Pessoa