segunda-feira, abril 04, 2011

"Lá vou eu..."


Uma das esculturas em Champaign

Saímos , hoje cedo, de Paxton para Champaign, onde a estação de trens é pequena,tranqüila e tem um conjunto de esculturas lindas, em bronze, de três meninos correndo de patins - todos parecidos com o Pedro, aos 8 anos. Daniel e Lora foram nos levar.

Uma só pessoa atendeu – nos , cerca de 10 pessoas, da venda de passagens ao embarque. O trem oferecia o conforto que gostaríamos de ver na classe executiva dos aviões. Viagem ótima.


De Champaign a Chicago, leva-se menos de três horas. Chegando na Estação Central de Chicago, encontra-se cenário oposto. Muita gente e gente bastante diversificada. Moças e rapazes mochileiros, senhoras e senhores com muita idade e muita bagagem, turistas e americanos em geral, incluindo muitos portadores de necessidades especiais. Muitas pessoas carregam fiambre. Adorei isso. É minha campanha para os usuários de companhias low cost.


Daniel, Ronald e Lora

Impressionaram-me dois itens: o número de salas – pareceu-me uma para cada trem – e o número de pessoas envolvidas com cada embarque. Contei doze pessoas entre funcionários, policiais e controladores diversos, todos uniformizados, ainda que os uniformes fossem diferentes, evidenciando certa hierarquia entre eles. Havia um funcionário para carregar a bagagem e dar o braço para as velhinhas – ainda bem que ele nem me notou! Ando deprimida.


Já faz alguns anos, que eu solicito o desconto de sênior. Anda, ultimamente, ocorrendo uma alteração que me chama à realidade. Quando eu estava no início dos meus anos sessenta, era comum pedirem-me documento comprobatório da idade , devolvido, muitas vezes, com aquele maravilhoso elogio : nem parece ! Dei-me conta hoje que o desconto já me é dado sem pedirem documento nenhum! Tempo implacável!