quarta-feira, setembro 23, 2015

Guadalajara - muito além de Mariachis e Tequilla

Catedral 
Não foi a cidade que mais me cativou, embora eu reconheça os encantos da Capital de Jalisco - e os murais de Orozco sejam realmente fantásticos. Merece  visita! Com mais de um milhão de habitantes, Guadalajara é a segunda maior cidade do México, depois que conseguiu superar Puebla.

Arte na Rua
Guadalajara  - palavra de origem árabe que significa rio que corre entre pedras -    aparece na lista das 120 cidades mais competitivas do mundo. Destaca-se como centro comercial, industrial e cultural, exercendo forte liderança nas áreas de alta tecnologia e comunicações. Daí por que muitas vezes é chamada de Vale do Silício do México.

Praça da Liberação
Tem um início histórico meio complicado - foi fundada em 1532 , por Nuño de Guzmão, aquele espanhol conhecido  por sua maldade com os índios. Por três vezes, trocaram-na de lugar,  em razão da  escassez de água e dos ataques de tribos hostis. Só em 1542, ficou estabelecida, definitivamente, no lugar em que se encontra .


Murais narram a história da cidade
Guandalajara, a partir daí, prosperou e, em 1560, foi declarada capital da província de Nova Galícia. Tornou - se importante centro de produção agrícola e passou a ser base para expedições e missões espanholas. Em 1810, envolveu-se na luta pela independência mexicana. Padre Miguel Hidalgo chegou a organizar um governo revolucionário nessa cidade. Em 1811, porém, foram derrotados pelos espanhois e , logo depois, Hidalgo foi capturado, executado e degolado.


Hidalgo segundo Orozco
Na década de 50, um projeto de urbanização formatou quase toda a cidade, demolindo edifícios antigos para alargar avenidas, construir estacionamentos e centros comerciais. Guadalajara fez, lamentavelmente, o contrário de outras cidades coloniais, que preservaram o seu patrimônio histórico e tornaram -se, em razão disso,  grandes atrações turísticas. Vale saber que hoje o México está entre os 10 países mais visitados no mundo.

Detalhe da Catedral
A construção da Catedral de Guadalajara teve seu início em 1558, mas só foi consagrada em 1618. É realmente magnífica. De longe , já se pode ver a beleza de suas duas torres, que se constitem no ponto de referência mais visível da cidade. Internamente, mostra belezas únicas, como o vitral da Santa Ceia, os 11 altares ricamente adornados e a estupenda Anunciação à Virgem Maria, pintada por Murillo, em 1650.

Riqueza ornamental
O Palácio do Governo, cuja construção terminou em 1774,  é  visita imprescindível, especialmente pelos murais pintados por José Clemente Orozco - 1883 / 1949 . Orozco nasceu em Gadalajara. Seus murais, de inspiração socialista, são de um realismo impressionante. Entre as celebridades históricas retratadas por ele, impressionou-me muitíssimo as de Miguel Hidalgo e Benito Juarez.

Mural de José Clemente Orozco
Sede da Filarmônica de Guadalajara, o Teatro Degolado, de estilo neoclássico, teve o início de sua construção em 1856 - e levou trinta anos para ser totalmente construído. Em sua fachada,  oito colunas coríntias  sustentam um friso triangular, onde se vê Apolo e suas nove musas.

Teatro Degollado
A visita ao teatro é grátis, mas com horários bem restritos, de segunda a sexta-feiras.  Não consegui vê-lo internamente. Li, no entanto , que seus cinco andares são luxuosos e muito bem decorados com vermelho e dourado. Tem  capacidade para  1400  pessoas. Penso retornar...

Teatro Degollado
Para que essa praça pudesse ser construída, foram derrubados muitos edifícios coloniais. Contam que esse projeto era o sonho de um urbanista dos anos oitenta. Nas proximidades da praça, estão o Museu Regional de Guadalajara, o Palácio Legislativo e o Palácio da Justiça - este último construído em 1588 como o primeiro convento de freiras na cidade.








Num precioso edifício, desenhado por Manuel Tolsá , um famoso arquiteto espanhol, está o Instituto Cultural de Cabañas, idealizado e fundado pelo bispo Juan Cruz Ruiz de Cabañas. Foi construído, entre 1805 e 1810, para ser um orfanato e um asilo para inválidos. Durante 150 anos, foi abrigo para até 150 crianças. Hoje abriga a maior coleção de murais de Orozco. Este edifício neoclássico e suas obras de arte merecem algumas horas de visita, com um tempo dedicado aos seus magníficos pátios.Meu tempo ali foi insuficiente - uma frustração grande.


Agave 
Agave
             
Pensou em México...lembrou Tequilla...não é mesmo? De fato, Tequilla, assim como mariachis na música e o sombrero ancho na indumentária, têm a cara do País - e são, entre outros,  grandes aportes culturais de Guadalajara. Para Tequilla, farei um post especial. Sobre Mariachis, não escreverei. É preciso ouvi-los. 


Mexicanos: gentis e acolhedores
Do México, voltei para os Estados Unidos. Estive mais uma semana em Atlanta. Retornei ao Brasil num tranquilo vôo da American Airlines. Chegando em Porto Alegre, fui recebida por uma forte crise de bronquite alérgico e outras perebas. Tosse, febre, dores nas articulações...um horror! Melhorei. Voltei para Torres. No ir-e-vir de muitos dias, perdi algmas anotações sobre o México : um motivo para retornar a esse País tão cativante... in shaa Allaah!


Centro Histórico
Centro Histórico