domingo, julho 12, 2015

Espanha : Festa de San Isidro

A caminho da Festa 

Ao fazer um roteiro de viagem, é aconselhável verificar os eventos próprios de cada lugar a ser visitado. Muitas vezes, por um dia, perde-se ou ganha-se uma grande festa. Madrid , por exemplo, festeja , em maio, a San Isidro, seu padroeiro. A festa transcorreu, neste ano,  no período de 14 a 17. Por sorte, eu estava lá. Festa alegre, colorida e bonita.

..... roupas tradicionais...

Ao caminhar cedinho  pelas ruas madrileñas , já  percebi o clima especialmente festivo daquele ensolarado dia. Embora Madrid seja uma  cidade que parece estar sempre em clima de festa, podia-se observar , entretanto, algumas diferenças  na direção dos transeuntes - em direção à Praça Maior - e no uso das roupas tradicionais.


...belo o colorido....
Além das roupas coloridas, os acessórios eram encantadores e usados por pessoas de todas as idades,fossem lenços, xales, flores ou joias.Lindo de ver também  as crianças ensaiando passos requintados de flamengo - bem que tentaram me ensinar, mas, com minha lamentável coordenaçao motora, não aprendi nem sequer  UM dos movimentos de mão.


...presença constante da flor vermelha nos cabelos.
"De grandeza y hermosura están llenas estas fiestas en honor de San Isidro Labrador, reflejo de esa ciudad repleta de cultura, de historia, de arte, de belleza y de lugares únicos como es Madrid. Una ciudad en donde también late con fuerza la vida y el corazón de personas que procedentes de todos los lugares de España y del mundo han convertido a Madrid en su hogar, y que Madrid está encantada de abrigar." ( Material de divulgação do governo )


Diversão para todas as idades...

Muitas são as festas preparatórias à grande festa que ocorre no dia do santo - 15 de maio. A Área de Gobierno de las Artes, Deportes y Turismo divulga , com bastante antecedência, os locais e as programações que antecedem à grande data.  As informações podem ser encontradas em www.sanisidromadrid.com

...incluindo os pequenos.
Há , por exemplo, um grande desfile de bonecos - os Gigantes y Cabezudos de Madrid - que percorrem as principais ruas da capital; há também  grandes espetáculos de jazz, soul, rock, pop e folk, além de dança , flamengo, ópera e peças teatrais,  em vários pontos da cidade. Festas para todos os gostos.


Começa a apresentação 

Em um grande palco, no centro da Praça Maior, a apresentadora deu início ao espetáculo que contou com a participação de grupos de dança, música e canto - tradicionais, é claro! -  representando cada um diferentes localidades de Madrid, que eram  identificadas -  e o seu  perfil sócio - econômico-cultural, muito bem descrito. Seguia-e, então, a apresentação com três números por grupo. Impressionou-me a diversificação e a seriedade do que traziam ao público.


Preparando-se para entrar no palco...
Milhares de pessoas - apesar do calor e do sol fortíssimos - entravam no espaço cercado onde estavam as cadeiras. A entrada era livre, mas todos seguiam, ordenadamente, por uma fila com cerca de 50 metros, até o portão de acesso. Um grande telão mostrava todo o palco, ampliando, dessa forma, a  visão do espetáculo.


Anmadas apresentações
Interessante observar que toda esta festa final acontece na Praça Maior , lugar onde ocorreu a cerimônia de canonização de San Isidro Labrador, em 1622 pelo papa Gregório XV. Nem sempre, no entanto, foram felizes  os acontecimentos e os eventos ocorridos nesse lugar, basta lembrar  os julgamentos da inquisição, que condenaram à morte cruel milhares de pessoas.


Diferentes corpos dançantes...

Isidro, o  Lavrador, santo da Igreja Católica Romana, nasceu no ano de 1070,   em Madrid, e morreu, também em Madrid, em 15 de maio de 1130. É o principal padroeiro de sua cidade natal e dos lavradores. Foi canonizado em 1622 com base em relatos de seus milagres e a pedido do rei da época.


Ritmo e cor bem madrileños

Durante a festa, lembrei-me da Dra. Lúcia Matos - uma grande e querida amiga - professora no Curso de Dança , na Universidade Federal da Bahia. Reconheço , na Lúcia, o pioneirismo e a dedicação com que sempre trabalhou  a multiplicidade de diferentes corpos dançantes. Comoveu-me , ainda mais com essa lembrança, o belo espetáculo a que assisti na Plaza Mayor.

Final da Festa de 2015
Um pouco antes da última apresentação, minha amiga Duda e eu, pressionadas pelo sol fortíssimo, caminhamos na direção a Puerta del Sol. Entramos em um típico restaurante espanhol à procura de um cocido madrileño - aquele ensopado, de origem judaica, feito com grão de bico, diferentes carnes e legumes. Encontramos lá estas belas dançarinas de um grupo que se apresentara na festa. Sinto saudades da Espanha, neste momento em que estou tentando atualizar o Correndomundo.


Após a festa....
" Nem sempre sou igual no que digo ou escrevo,
Mudo, mas não mudo muito. 
A cor das flores não é a mesa ao sol
De que quando uma nuvem dura
Ou quando fica a noite
E as flores são cor da lembrança."

Fernando Pessoa

Em 15 de maio de 2015.