sábado, junho 04, 2011

Jasper 2

Como a cidade de Jasper está situada no meio do Parque Nacional do mesmo nome, é fácil realizar passeios para todos os lados - e em todos os lados há muito o que se ver. Destaco , a seguir, alguns passeios que considerei fantásticos.

A sete km da cidade e a 2280 metros de altitude, há um mirante, próximo do pico da Whistler’s Mountain. Chega-se lá por um bondinho e tem-se belíssima vista panorâmica da região. A subida leva sete minutos de medo, mas a visão das paisagens é compensadora. Os mais corajosos que eu, podem , depois do bondinho, fazer uma trilha e chegar, a 2470 metros, no pico da montanha. 
Jasper
Fizemos 105 km, a partir de Jasper, para ver a impressionante paisagem do Columbia Icefield. Esse campo de gelo estende-se entre os parques nacionais de Jasper e Banff, formando a maior área coberta de gelo das Montanhas Rochosas – 325 km2. Quando chegamos lá, estava nevando muito, e a nossa visita ficou bastante prejudicada. Apesar disso, retive imagens que estão entre as mais bonitas que já vi e mantenho o desejo de voltar

Os lagos Patrícia (foto 1) e Pyramid estão muito próximos da cidade - menos de 10 km. Os dois estão situados na frente da Pyramid Mountain, que tem 2760 metros de altura e um bonito perfil. O Patrícia me pareceu um local mais silencioso e tranqüilo, enquanto o Pyramid mostrava-se mais agitado, com maior número de pessoas praticando windsurfe.

Percorremos a Maligne Lake Drive como quem faz um passeio, sem pressa e com o desejo de ver as surpresas que essa estrada reserva a cada pequeno trecho. Desenrola-se por um vale, entre as montanhas Maligne e Queen Elizabeth e por ela se chega ao Maligne Canyon, de singular beleza, com seus paredões íngremes - com até 50 metros de altura - e suas impressionantes cachoeiras. O Maligne Lake, final do nosso passeio no dia, tem 22 km de comprimento e está cercado de montanhas cobertas de neve. É o maior lago natural da região.
A atendente da locadora de carros nos disse que não deixássemos de ver a Athabasca Falls. Sorte que fomos. É, de fato, uma cachoeira pequena em relação às outras das Rochosas – tem ali o rio Athabasca uma queda de 23 metros – mas é o volume e a força da água, passando por uma fenda estreita do penhasco, que faz essa cachoeira tão impressionante e bela.

Estar em Jasper, caminhar por suas ruazinhas estreitas, ver a tranquilidade com que a cidade se move e olhar, ao seu redor,  as montanhas nevadas, já é muito bom. Visitar o imenso Parque Nacional, com suas estradas que parecem desenhar-se entre jardins, é simplesmente uma bênção. Ainda bem que moradores e visitantes são conscientes de que tudo isso precisa ser cuidado, amado, preservado. Não se vê um plástico, um pedaço de cigarro, uma marca de sujeira. Com certeza, as pessoas levam apenas as fotos e a memória de haver estado num dos lugares mais bonitos do mundo.