quinta-feira, abril 16, 2009

"A vida é assim..."


Há vinte dias, retornei à Bela União dos meus antepassados. Surgiram alguns problemas. Faltou água - seca terrível. Choveu. Faltou luz. Consertaram. Tive enxaqueca - três dias com dor-de-cabeça. Passou tudo felizmente.
Trabalho muito quando estou aqui. Rotineiramente, trabalho muito.Limpar, varrer, cozinhar, lavar, regar plantas, cuidar de jardim, colher frutas, dar comida para cachorros, gatos, patos e galinhas são atividades de todos os dias, atividades dessas que , como dizia minha mãe, a gente faz,faz, faz e , no fim do dia, parece que não fez nada. Só está cansada.Penso muito e escrevo pouco. Leio e estudo. Durmo cedo e acordo cedo também. Recebo algumas visitas, como a de Luís Carlos, meu primo , e Ely, sua mãe, pessoas tão agradáveis e gentis. Sei notícias de familiares e amigos através da internet. Olho cada flor que desabrocha. Reconheço a história de cada árvore. Relembro pessoas que por aqui passaram.
Poucos fatos me tiram dessa rotina. Renovei a CNH. Estive em Santa Maria muito rapidamente. Fui jantar e almoçar com Daudt e Maria, meus amigos-irmãos. Encontrei, no almoço, amigos queridos: Adalberto e Vera, Luís Antônio e Téssia, Hugo e Carmem, Márcio, Simone, Suzana, Afrânio. Lamentei não encontrar outros tantos amigos, mas precisava voltar logo.
Nos fins-de-semana, estou com Mile, meu irmão, e Igor, Lílian, Gonçalo e Isadora, meus sobrinhos . Convívio pleno e agradável.
Sinto saudades de meus filhos, principalmente da infância deles. Sinto saudade do que poderia ter sido e não foi. Vivo um período de nostalgia e de recolhimento – talvez mudança de rota, fechamento de ciclo ou o viver simplesmente.
Bem....vou arrumar a minha mala. As passagens já estão compradas.
"O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim, esquenta e esfria, aperta e
depois afrouxa, aquieta e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem."

João Guimarães Rosa