quinta-feira, julho 14, 2016

Anel de Ouro: Cidades Históricas Russas - 2a.parte

No percurso...

De Suzdal a Rostov, a viagem foi bastante cansativa. Muito tempo de viagem em estrada ruim - estreita, sem acostamento, buracos com diferentes dimensões...Mais ou menos na metade do caminho, havia um entroncamento, saindo da estradinha ruim para uma estrada nacional excelente. Por conta do trânsito pesado, lento e com muitos caminhões, a troca de estrada demorou mais de uma hora.




Assim que chegamos em Rostov, esqueci a lentidão irritante da estrada ruim. Cidade linda, que , em 988, já era mencionada  como um  dos principais arcebispados russos. Foi, no entanto, pela primeira vez  mencionada em O Conto de anos passados, em 862, que coincide com o início da dinastia Rurik. As escavações arqueológicas, todavia,  afirmam sua existência antes da era cristã. 




É considerada, portanto,  uma das mais antigas cidades do País. Exibe autêntica arquitetura russa. Está construída à beira do Lago Negro, por onde fizemos um belo passeio a pé, daqueles bem desestressantes após viagem cansativa. Não experimentei a culinária tradicional da cidade, à base de peixes, que comentam ser deliciosa - lamentei isso.
Lago Negro

É um importante centro eclesiástico - incluirei Rostov naquele  meu caprichado Curriculum Espiritual, embora eu mantenha a esperança de não precisar apresentá-lo em breve. O Kremlim da cidade merece atenta visita - construído em mais de três décadas, a partir de 1665 , é um complexo majestoso de palácios, igrejas e torres.






Nessa  suntuosa realização arquitetônico , podem ser observadas e fotografadas quarenta cúpulas, que brilham de ouro e de prata, com cruzes rendilhadas e minuciosamente trabalhadas. No museu, que está entre grandes muralhas, destacam-se antigos ícones e esculturas de madeira.


Museu do Esmalte


Fizemos ainda interessante a visita ao Museu do Esmalte , não só para entender-se uma difícil e tradicional técnica de trabalho artístico e artesanal dominante na região - demonstrada para os visitantes - como também para admirar a arquitetura do prédio onde o Museu está instalado e ver as peças que estão à venda - só comprei um par de brincos para a Rosana.





No Kremlin, está Catedral da Assunção, mais cinco templos com moradias antigas ao redor. Merece também destaque o famoso o Campanário Rostov - um conjunto de sinos, com diferentes sons, um instrumento musical único, que nos permite ouvir obras musicais russas de XVII-XIX . Os mestres sineiros ensinam sua arte, que passa de geração para geração. Emocionante.


Kremlin

Ainda em  Rostov, na Catedral onde se encontra o túmulo de São Demétrio - venerado pela Igreja Ortodoxa -  está a Virgem Negra ( Fyodorovskaya ) , Patrona da Família Imperial e um dos ícones mais emblemáticos da fé cristã na Rússia.




Acredito mesmo que um país que foi berço de Alexander Pushkin, Fiodor Dostoievski, Lev Tostoi e Anton Tchekhov, grandes mestres da Literatura Universal; que nos deu Pyotr Ilych Tchaikovisky e Igor Stravinsky, nomes referência em música clássica; que  nos mostra a dança no Teatro Bolshoi e a ópera no Teatro Mariinsky ;  tem o que nos mostrar nas demais artes, em todos os tempos e em diferentes espaços, como nas pequenas e históricas Rostov, Suzdal, Vladimir e Segiev Posad.




De Rostov, partimos para Sergiev Posad - São Sérgio - onde se encontra um dos mais importantes monastérios da Rússia e local de constante e intensa peregrinação ( pontos para meu Curriculum espiritual! ). Refiro-me ao Mosteiro da Santíssima Trindade, que encerrará esta série de postagens.