quinta-feira, dezembro 04, 2008

Sobre morar e mover-se

Transito entre Rosário e Alegrete como se nunca tivesse saído dessas duas cidades. Gosto delas. Há um quê de familiar em cada rua. Nenhuma surpresa depois da esquina. Gosto de cidades pequenas. Queria que o desenvolvimento das cidades não as fizessem maiores, apenas melhorassem a qualidade de vida de seus moradores. Gosto mais ainda de morar "pra fora". Observo em muitos países a tendência do retorno ao campo ou da troca da cidade pelo campo. Isso me encanta. A consciência das estações, no meio rural, amplia a dimensão do tempo. Penso que o campo é o melhor lugar para a gente envelhecer. Eu só precisava mesmo de um aeroporto mais perto. Aí seria a perfeição!
"Cada coisa a seu tempo tem seu tempo.
Não florescem no inverno os arvoredos,
Nem pela primavera
Têm branco frio os campos.

À noite, que entra, não pertence, Lídia,
O mesmo ardor que o dia nos pedia.
Com mais sossego amemos
A nossa incerta vida."
Fernando Pessoa