terça-feira, junho 06, 2017

Taormina: beleza entre montanhas e mar Jônico

Anjos ...

A escultura " Anjos de Nosso Tempo" de Piero Guidi, que está localizada na entrada do Jardim Público, Villa Comunale ,  comove - me de tal maneira que penso ser por ela que desejo sempre voltar a Taormina - embora  a cidade toda seja belíssima, com mil motivos para incentivar um retorno.


Anjos do nosso tempo...

Há pouco dias - de 26 a 28 de maio de 2017 -  a cosmopolita Taormina esteve na imprensa do mundo todo, ao receber os integrantes do  G7, o grupo dos sete países mais ricos: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, que estiveram  debatendo    temas urgentes da política internacional, como terrorismo e comércio mundial.


Villa Comunale


Minha primeira visita a Taormina foi feita de trem, desde Catânia. Foi demorada, mas tranquila, com trem saindo no horário, tudo direitinho. Esta segunda , que também foi desde de Catânia, eu a fiz de ônibus - menos tempo ( 1h30min),  porém mais confusa. Não há marcação de assento. Havia mais pessoas que lugares no ônibus - e um empurra-empurra como consequência. Lerda como sou, acabei não entrando e ficando para o ônibus seguintes, ou seja, uma hora depois. Tudo foi compensado pela beleza da paisagem ao longo da estrada.


Beleza nas estradas para Taormina


Não se precisa mais do que dois dias para conhecer Taormina, embora, seguramente todos que a visitam,  tenham vontade de permanecer ali por mais tempo. Cidade pequena,  situada no Monte Tauro,  a 200 metros acima do nível do mar,  entre as montanhas rochosas e a placidez do   mar Jônico. 


Igreja de Santa Catarina

Com população pequena,  ao redor de doze mil pessoas, Taormina  mostra-nos belíssimas vistas para qualquer lado que se olhe.  Pode ser traçada toda a pé, com muita atenção, para não perder toda a beleza ofertada por suas ruazinhas estreitas e suas paisagens. Realmente é  o lugar é charmoso como poucos.


Tons de verde contrastam com o branco das rochas


Como estamos na primavera, os turistas já estão transitando e enchendo a cidade.Muita gente mesmo. Dizem que a melhor época para visitar essa cidade é no inverno, pela tranquilidade que se pode desfrutar.  Em agosto, como acontece em toda a Europa, a cidade fica lotada, com todas as dificuldades decorrentes disso: transporte complicado, restaurantes cheios, ruas onde se torna difícil até caminhar.


Rua principal

A cidade é bastante antiga. Pela sua situação estratégica, tornou-se muito visada e  importante, sendo disputada por diferentes povos. Passou pelos Gregos, pelos Romanos e pelos Muçulmanos ( 902).Foi conquistada pelos Normandos, em 1079.


Pequeno teatro no Centro Histórico

Muitas são as atrações de Taormina, como o grandioso Teatro Greco-Romano, o Palácio Corvala, a Igreja de Santa Catarina de Alexandria, a Catedral São Nicolás, a Praça Central -  lugar de recepção aos visitantes cosmopolitas -  e a Villa Comunale, um grandioso Jardim Público.


Villa Comunale

Nada, no entanto, supera a imponente vista do Etna, fumegante e , por vezes, luminoso durante a noite. É o mais alto e ativo vulcão da Europa, com 3370 metros. Visita obrigatória para quem chega ao Sul da Itália.


Centro Histórico

" Tudo o que vejo está nítido como um girassol
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando pela direita e pela esquerda, 
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto, 
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo comigo
Que teria uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a completa novidade do mundo."

Fernando Pessoa


Isolda fotografando os Anjos do Nosso Tempo

Mar Jônico