domingo, maio 28, 2017

Alicante/Alacant : Capital da Costa Blanca

Passeio Marítimo de Alicante

Estive muitas vezes em Alicante, em férias ou para visitar meu grande amigo Alfredo Mussa Valladares, que havia escolhido esta cidade para viver até o fim de seus dias. Conheço muito bem a cidade e, por isso mesmo, considero-a, juntamente com a região, um dos melhores lugares da Espanha para morar. Isolda, Duda e eu saímos de trem,  bem cedo, de Valência para este bem aproveitado bate-e-volta. Duas horas depois, já traçavamos a Explanada de España.


Grandiosa fonte no início da Explanada 
Da Estação de Alicante, fomos direto ao Passeio Marítimo ( Explanada de España ), que tem 500 metros de comprimento, que foi construído sobre um antigo dique da cidade e que está ladeado por quatro filas de altíssimas palmeiras. É lugar tradicional para passeios, caminhadas, encontros de amigos -  há cadeiras disponíveis que as pessoas organizarem-se como preferirem.


Escultura em frente à Marina de Alicante

O Passeio Marítimo está nas proximidades da Marina de Alicante. Há beleza por todo o lado. Além das belezas naturais, vêem-se muitas fontes , esculturas e monumentos. Foi, no entanto, a escultura da foto acima a que mais me comoveu. Parece-me que está denominada O Viajante, mas passei a chamá-la de Acolhida - porque assim eu gostaria de ser esperada...


Vista parcial da Marina de Alicante

A cidade de Alicante é banhada pelo Mediterrâneo. Chove pouco - uma média de 15 dias de chuva por ano. A temperatura é amena e agradável - média anual de 20 graus. Está muito bem localizada na região, perto de lugares lindos como Benidorm ( a praia preferida de meu filho), San Juan, Santa Pola (onde se pode visitar as salinas) , Alcoi ( ótimo para comprar torrones de almendra ), Villajoyosa, Altea, Torre Vieja, Elda ... Quem quiser viajar um pouco mais longe, pode ver La Manga e Cartagena.


Próximo à Marina, treinamento de remadores.

Ao redor de 300 mil pessoas vivem em Alicante, cidade com mais de três mil anos, que sofreu altos e baixos obviamente, durante esse tempo. No tempo dos Reis Católicos, chegou a ser o terceiro maior porto da Espanha, depois de Barcelona e Cádiz. Em um dos ataques que sofreu  - Guerra de Sucessión - parte do Castelo de Santa Bárbara foi destruído. O sistema de trens, que conectou Alicante ao centro da Península (meados do século XIX ) ampliou seu desenvolvimento. Hoje a prestação de serviços e o setor turístico tornam-na uma cidade moderna e com boa qualidade de vida.


Detalhes do Castelo de Santa Bárbara

O imponente Castelo de Santa Bárbara, do alto do Monte Benacantil, cuja altura é de 166 metros, é o monumento mais emblemático da cidade. Originado de uma fortaleza árabe do século IX, ganhou esse nome por ter sido conquistado por Afonso de Castilla no dia 4 de dezembro de 1248, dia de Santa Bárbara. Recebeu ampliações e sofreu danos. Na Guerra Civil Espanhola, serviu como prisão. Esteve semiabandonado até 1963, quando foram construídas outras formas de acesso a ele. Hoje, uma parte dele,  acolhe o Museu da Cidade de Alicante.

Vista Parcial de Alicante desde o alto do Castelo de Santa Bárbara

O Castelo pode ser visto de qualquer ponto da cidade. Diz-se que do Bairro Santa Cruz uma curiosa figura pode ser vista: a Cara do Mouro, que inspirou muitas lendas trágicas. Uma delas conta que a Princesa Zahara, filha única do dono do Castelo, suicidou-se, jogando-se desde o alto, quando soube que seu pai havia matado o homem que ela amava e que era filho cristão do pior inimigo de sua familia. O pai, não suportando a dor da perda, jogou-se também da mesma ladeira do Monte Benacantil. Seu perfil ficou gravado na rocha como uma recordação de sua crueldade. 

Poço do Castelo

Sou fascinada por figueiras, dessas que dão figos mesmo. Plantei-as em todas as casas onde morei. Procuro-as em fortalezas, castelos, muros e  igrejas, e sempre as encontro nesses lugares. Árvore da sabedoria, dizem. Aqui, no Castelo de Santa Bárbara , encontrei várias, lindíssimas, algumas que brotaram em meio a pedras - seculares seguramente ( fotos abaixo).


Figueiras no Castelo de Santa Bárbara

Há muitos museus, como o Museu da cidade de Alicante, o Museu da Universidade. o Museu de Águas e o Museu de Arqueologia;  há muitas  igrejas, como a Basílica de Santa Maria e a Catedral de San Nicolás; há  palácios magníficos, ramblas, praças, parques e teatros, muitos que, desta vez , não foi possível visitar. Quero , entretanto, destacar dois deles: o Mercado Central e a Plaza de los Luceros ( importante ponto de ônibus também).



Mercado Central
Se lhes interessa um lugar fotogênico, multicolorido, com gente da localidade, não deixe de ir ao Mercado Central, na Avenida Afonso X el Sabio ( sic!), onde se encontram flores, frutas, peixes, carnes,  muitos queijos e produtos gourmet. Foi construído no início do século XX e mostra alguns elementos modernistas. Visita bem interessante.


Mercado Central
Para quem curte praia ou esportes aquáticos ou não, Alicante é uma indicação a considerar. Cidade tranquila, com invejável gastronomia - em que o arroz, com múltiplas variações, é o protagonista. Em toda a Espanha, não há torrones tão deliciosos quanto os alicantinos. É , ainda, um lugar indicado para passeios nas redondezas e para compras também. Alicante é uma das cidades que eu amo de paixão.

Monumento bonito, embora o tema não me agrade.

" Ter pressa é não saber chegar.
Vou devagar.
Vou devagar porque o que é sorte,
E o que é morte,
Não as busco, não as evito,
Vem-me buscar.
Por isso vou sob o infinito
Sem me apressar."

Fernando Pessoa