quarta-feira, fevereiro 01, 2017

Sugestão de Roteiro de Viagem 01: Tunísia

Oásis de Montanha na Tunísia

Bem bonita foi uma viagem que fiz - há sete anos, com Ronald  -  pela  Tunísia, país africano, relativamente pequeno, muito fácil de ir pela proximidade dele com a Europa -   1h 30 min de vôo a partir de Roma - e muito interessante pela diversidade histórica, cultural e geográfica.


Sidi Bou Said - próximo a Tunis

Tínhamos contratado  um tour, com motorista e guia, por ser difícil - para motoristas sem experiência no país - de percorrer alguns caminhos, em especial no Saara, onde as estradas, com rapidez,  mudam seu curso, em razão dos ventos nas dunas. Sem ser o motorista, pode-se também, mais comodamente, apreciar a beleza e a variação da paisagem tunisiana.


Cartago

A Tunísia é um pequeno país em extensão, com onze milhões de habitantes, situado entre a Cordilheira do Atlas e o Mar Mediterrâneo. Possui 1300 km de costa e belas praias, frequentadas, principalmente, por europeus. O Saara ocupa 40% de seu solo. A base de sua economia assenta-se na exportação, em escala mundial, de fosfato,  de azeite de oliva e de tâmaras. 



Tapetes tunisianos
Assenta-se , ainda,  no turismo sempre crescente.  Parece-me, no entanto, que o maior tesouro tunisiano é constituído por seu patrimônio histórico, vinculado, entre outros,  a Cartago, que foi declarada Patrimônio da Humanidade, pela UNESCO, em 1979. correndomundo.blogspot.com.br/search/label/Tunis   


Detalhes de Cartago

Começamos nosso recorrido por Tunis, a cativante capital, bonita com sua antiga medina e sua longa avenida Habib Bourguiba, um político que aprendi a admirar. Bourguiba, laureado em Direito na França, foi Primeiro Ministro, logo depois que a Tunísia se tornou independente da França em 1956. Mais tarde, foi presidente do País, quando  estabeleceu políticas e programas de liberdade, respeito e promoção das mulheres.


Centro de Tunis

Importante para aquele meu Curriculum Religioso, que frequentemente menciono, foi Kairouan, declarada, pela UNESCO, em 1988, como Patrimônio Cultural da Humanidade - e com razão. É a cidade mais antiga da Tunísia , fundada em 670 d.C., e  a cidade muçulmana mais sagrada na África. Oqba Ibn Nafi, fundador da cidade, foi quem a declarou sagrada após "uma inspiração divina que lhe veio através de presságios".


Kairouan - detalhe da Mesquita

Há 43 km ao Sul de Gabes, visitei Matmata. É um vilarejo a 650 metros acima do nível do mar, onde vivem 5 mil berberes em casas trogloditas, e que ficou famoso como cenário do primeiro Guerra nas Estrelas. Distante 15 km dali, está a Nova Matmata que oferece elementares condições de hospedagem e alimentação.



Matmata - casas trogloditas

As casas trogloditas são construídas numa colina de arenito, seguindo o mesmo modelo há quatrocentos anos. Faz-se um buraco arredondado, que será o pátio central da casa – um pátio sem cobertura por onde entrará o sol. Ao redor desse pátio, são escavadas as diferentes partes da casa, como a cozinha e os quartos. Dar-se-á, ali, o controle natural da temperatura , que se manterá constante ao redor de 18 graus – no deserto essa temperatura chega a 50 graus.


Cenário de Guerra nas Estrelas, em Matmata

Chebika, Tamerza e Midès estão entre  os mais famosos oásis de montanha na Tunísia. Os três ficam bastante perto da fronteira com a Argélia e  perto também de Tozeur ( 60 km ). A viagem Tozeur/Chebika , entretanto, parece longa porque as estradas são tipicamente estrada de deserto, inclusive mudando seu traçado, algumas vezes, em função dos ventos. Tamerza é o maior oásis de montanha da Tunísia. Tem um panorama espetacular, que pode ser visto no filme O Paciente Inglês , dirigido por Anthony Minghella.


Oásis de Montanha

Tozeur é uma pequena cidade e interessante cidade próxima do Saara. Surgiu como um oásis de montanha e um ponto de paragem para as caravanas que vinham do subsaara fazer negócios com as cidades da costa do Mediterrâneo. Sua maior riqueza é o palmeiral – visitamos um que tem um milhão de palmeiras. A produção maior é da espécie denominada “ dedos de luz”, uma tâmara muito doce e quase transparente, preferida para exportação. A produção de tâmaras, a produção de fosfato, nas montanhas do Atlas,  e o turismo , principalmente internacional, constituem a base econômica da região.


Mesquita de Tozeur

Situada entre Mahdia e Gabes, na Costa leste , Sfax é a segunda maior cidade da Tunísia. Tem uma Medina impressionante, não só internamente como também externamente , pelo movimento e comércio no seu interior e pela extensão e imponência da muralha que a cerca. A arquitetura é mesclada com  estilos diversos, mas tem prédios interessantes, como o prédio da prefeitura. 



À moda tunisiana, usei proteção para o sol  intenso.

Monastir é uma cidade antiga, fundada pelos fenícios e com um belo passado histórico. Nela, podem-se ver fortalezas, mesquitas, palácios e muitos vestígios das civilizações fenícia e romana. Queria muito conhecê-la por ser a cidade onde nasceu  Habib Bourghiba ( 1903 ) e onde se pode visitar seu impressionante mausoleu.Uma bela visita com certeza. Saindo de Monastir, passamos por Sousse com destino ao Porto El-Kantaoui , o segundo maior porto do País. Kantaoui significa jardim e , de fato, esse porto tem flores, plantas e belezas de um grande jardim. 



Monastir - Mausoleu de Bourghiba



Distante cinco quilômetros do continente e cento e vinte quilômetros da Líbia, Djerba é uma ilha fantástica , situada no Golfo de Gabes. É a maior do Norte da África. Pode-se chegar a ela por barco ou usando Kantara, uma antiga ponte romana, feita para ligar o continente à Ilha. É conhecida por suas praias lindas, seu clima agradável e sua riquíssima história. Celebrada na Odisséia como a Terra dos Comedores de Lótus. Segundo a lenda, Ulisses esteve em Djerba e aqui perdeu parte de sua equipe porque eles, alimentando-se de flor de lótus, oferecida pelos nativos, esqueciam a Pátria Mãe e passavam a desejar viver na ali para sempre. No filme Guerra nas Estrelas, o deserto do planeta Tatooine, ninho de piratas e contrabandistas, teve seu cenário em Djerba - Correndomundo, DJerba



Sinagoga da Ilha  Djerba


A cidade de Sbeitla vive, em grande parte, dos viajantes e turistas que visitam as fantásticas ruínas romano-bizantinas de Sufetula - cujo destino é ser grandiosa em todos os tempos. Perto da moderna cidade de Sbleitla, encontram-se as ruínas dessa cidade romana,que teve grande prestígio, sendo, no seu início , uma cidade independente e tornando-se, depois, colônia romana. Seu início foi nos ultimos anos do século I.


Templos de Sufetula, cidade romana.


O grande interesse dos romanos por Sufetula tinha a ver com a excelente localização para o cultivo de oliveiras. Foi construída com pedras de coloração dourada - que ficam brilhantes ao sol! Depois dos romanos , vieram os bizantinos e, no século VII,  foi tomada pelos árabes.correndomundo.blogspot.com.br/2010/12/sbeitla.html




Detalhes da Mesquita de Kairouan 

El - Djem impressiona  como anfiteatro que está muito bem conservado, já que foi construído entre 230 e 238. Pareceu-me mais bem conservado que o Coliseu de Roma. As tomadas externas do filme O Gladiador foram feitas nele. Com capacidade 35 mil pessoas, era o lugar onde os governantes recebiam seus convidados,especialmente os integrantes das caravanas que cruzavam o deserto para fazer negócios com outros países da região. A fera vinha em jaula, por um sistema de roldanas,  até o palco onde era solta na presença do gladiador que a enfrentava. Há uma pequena porta por onde eram retirados os mortos.



Anfiteatro de El - DJem

Tunísia tem bons hoteis, bons restaurantes e outros lugares que justificam uma visita, como as cidades de Hammamet e Sousse; Douz, onde se pode contratar um passeio de camelo pelas dunas; o deserto de sal, Chott el Jerid, em que se pode assistir ao fenômeno das miragens.


Douz

Para compras, a Tunísia é um país de muitas tentações. Há tapetes lindos, especialmente em Kairouan; há belíssimas reproduções de paineis de mosaico e há cerâmicas  e joias  lindas na Ilha DJerba. Minha compra maior - e mais deliciosa - foram, entretanto,  pacotes e pacotes de tâmaras dedos de luz. Realmente, esta é uma interessante sugestão de roteiro. Boas Viagens!


Fronteiras

"A ideia de viajar seduz-me por translação, como se fosse a ideia própria para seduzir alguém que eu não fosse. Toda a vasta visibilidade do mundo me percorre, num movimento de tédio colorido, a imaginação acordada; esboço um desejo como quem já não quer fazer gestos, e o cansaço antecipado das paisagens possíveis aflige-me, como um vento torpe, a flor do coração que estagnou.
E como as viagens as leituras, e como as leituras tudo... Sonho uma vida erudita, entre o convívio mudo dos antigos e dos modernos, renovando as emoções pelas emoções alheias, enchendo-me de pensamentos contraditórios na contradição dos meditadores e dos que quase pensaram que são a maioria dos que escreveram. Mas só a ideia de ler se me desvanece se tomo de cima da mesa um livro qualquer, o facto físico de ter que ler anula-me a leitura... Do mesmo modo se me estiola a ideia de viajar se acaso me aproximo de onde possa haver embarque. E regresso às duas coisas nulas em que estou certo, de nulo também que sou — a minha vida quotidiana de transeunte incógnito, e aos meus sonhos como insónias de acordado. E como as leituras tudo... Desde que qualquer coisa se possa sonhar como interrompendo deveras o decurso mudo dos meus dias, ergo olhos de protesto pesado para a sílfide que me é própria, aquela coitada que seria talvez sereia se tivesse aprendido a cantar."

Fernando Pessoa


Tradicionais " flores"