quarta-feira, agosto 03, 2016

Jaén: o Grande Produtor de Azeite de Oliva

Vista parcial de Jaén a partir do Cerro de Santa Catalina

Algumas cidades - por leituras ou por ouvir falar - tornam-se para mim verdadeira obsessão : decido sempre visitá-las. Isso se passou com Jaén, por várias razões. Está na Andaluzia, minha paixão espanhola. Está próxima a Granada , mais paixão ainda. É o maior produtor de azeite de oliva do mundo - comecei a imaginar as plantações de oliveira vistas da estrada...Não precisou mais nada...porém  havia muito mais a acrescentar...


Plantações de oliveira até junto à cidade

O privilégio de habitar esta cidade pertence a 120 mil pessoas. Jaén está localizado aos pés do Cerro de Santa Catalina, nas proximidades do Castelo de Santa Catalina, uma fortaleza moura no ponto mais alto da cidade. Um luxuoso Parador ocupa hoje parte do Castelo.


Detalhe do Castelo Santa Catalina


Saí cedo de Madrid. Hospedei-me no Hotel Navas e passeei por  Granada uma vez mais. No dia seguinte, muy temprano, fui conhecer Jaén , distante apenas uma hora de ônibus. Amor à primeira mirada. Com um mapa, iniciei o recorrido, começando a visita por onde costumo começar em qualquer cidade : pela praça onde está a Catedral - primeiro item do meu itinerário, preparado e revisado  com antecedência.



Detalhe da Catedal

Em Jaén, a Catedral  - construída, como tantas outras, no lugar de uma antiga mesquita - está localizada, no coração do centro histórico, na Praça de Santa Maria, de onde domina o cenário. Grandiosa e imponente, essa igreja foi concluída no século XVIII e nela podem ser observados muitos traços do barroco tardio, embora predomine o renascimento em sua fachada e nos seus interiores.


Catedral vista da estrada para o Castelo

Ao Castelo, precisei de táxi para ir. Além de estar longe da cidade, a subida é bastante íngreme. A vista, entretanto, compensa - tem-se de Jaén e dos campos com oliveiras, que parecem sem fim, uma visão maravilhosamente compensadora. Quando se desce do Castelo, onde hoje funciona um luxuoso Parador,  vê-se a Catedral ( renascentista ) com toda sua grandeza e imponência.


A partir da Catedral, estreitas e encantadoras ruazinhas...

Fala-se em Jaén no Ouro Líquido, o azeite de oliva, que movimenta sua economia  e faz da cidade um local bem cuidado, com alto padrão de vida e com muitas atrações, incluindo bares de tapas, restaurantes e cafeterias. O município responde por 10% da produção mundial desse delicioso produto. O número de turistas é menor do que em outras cidades da Andaluzia. São encantadoras , porém, suas estreitas  e movimentadas ruazinhas.


Palácio de Villardompardo

Construído no século XVI por decisão de Fernando Torres y Portugal, o conde de Villardompardo, tem esse Palácio, edificado sobre os banhos árabes,  uma trajetoria de altos e baixos. Foi residência do Conde e de seus descendentes. Nos séculos XVII e XVIII, foi inicialmente um banco, sendo depois adquirido pela Junta del Real Hospicio para nele instalar um Hospicio para mulheres. Em 1901, ainda como Hospício, ao sofrer  sua última ampliação, descobriram, então, que abaixo dele, repousava um tesouro.


Centro Cultural Baños Árabes - Palácio de Villardompardo

Encontraram, ao fazer escavações para uma nova construção, os Banhos Árabes, ruínas das termas de Ali, um líder mouro do século XI. Tal descoberta aconteceu em 1913 e, em 1917, os Baños foram declarados  Patrimônio Nacional. Dizem ser os mais bem preservados da Espanha. Verdade que, junto com o Castelo e a Catedral, os Baños Árabes são os monumentos mais emblemáticos da cidade de Jaén.


Detalhe de Los Baños Árabes

Hoje, o renascentista Palácio de Villardompardo  abriga três  importantes atrações da cidade: os Banhos Árabes, o Museu de Artes e Costumes Populares e o Museu Internacional de Arte Naif. Consegui, lamentavelmente, tempo disponível somente para ver os Banhos, que são realmente fantásticos. 



Uma das salas com piso de vidro que permite ver detalhes da construção original.

Como pode ser visto na foto acima, há passarelas transparentes que permitem ver as piscinas escavadas, assim como objetos  - século XI - encontrados durante as escavações. O vestíbulo do edifício mede 14 metros de comprimento por 3.80 m de largura. Há três salas muito interessantes: a sala fria, a sala morna, grande, quadrada, com 11,30 metros e a sala quente, que fica ao lado das caldeiras, onde a água era aquecida. Só vendo mesmo a perfeição de seu sistema de funcionamento.


Coloridos edifícios de Jaén

Estive, nos últimos dias, visitando a Andaluzia, para onde sempre quero retornar. Fui novamente a Granada e conheci Jaén e as encantadoras cidades-gêmeas Úbeda e Baeza - as duas na relação da UNESCO como Patrimônios Culturais da Humanidade. Valeu cada hora vivida nesses lugares. Realmente tudo vale a pena...


Catedral de Jaén vista desde o Cerro de Santa Catalina