sexta-feira, agosto 19, 2016

A Religiosidade de Cracóvia

Basílica de São Floriano

" Deixem, antes de eu partir, que olhe ainda deste lugar para Cracóvia, essa Cracóvia em que cada pedra e cada tijolo me são tão caros, e que olhe de cá para a Polônia....E , portanto, antes da partida, rogo-vos que aceitem de novo este patrimônio espiritual que se chama Polônia, com fé, esperança e amor (...) "   João Paulo II, Cracóvia, 10 de junho de 1979.


Igreja e Mosteiro da Ordem dos Dominicanos

Incrementando meu Curriculum Espiritual - aquele que não tenho a menor urgência em  apresentar, mas é certo que apresentarei um dia - voltei a religiosa Cracóvia. Visitei  igrejas, túmulos de santos e beatos, mosteiros e conventos. Visitei também sinagogas e cemitérios e percorri Kazimierz, a dramática e comovente cidade antiga, onde estava  o bairro dos judeus.


Antigo Bairro Judeu de Kazimierz

Curto templos religiosos - os melhores museus interdisciplinares que se pode ver e admirar. Têm beleza, história, arte, música - já asssti a concertos fantásticos em igrejas - e pessoas locais em rituais, cerimônias e atos de fé .  Já assisti também a casamentos, missas, funerais e batizados. Acompanho, com respeito e algumas vezes com emoção, o que nos templos sucede ...por essa razão faço pouquíssimas fotos. A religiosidade alheia me comove.


Igreja e Mosteiro da Ordem dos Franciscanos

São imponentes e belas as Igrejas e Mosteiros de duas Ordens bastante conhecidas no mundo: a dos Dominicanos e a dos Franciscanos. São duas igrejas góticas com histórias diferentes. A primeira sofreu um grande incêncio no século XIX ( 1850 ) Seus móveis, no entanto,  foram salvos e se encontram na igreja atual, recuperada e com estilo neo-gótico.


Detalhe da Igreja anterior

A segunda, também gótica, Igreja e Monastério da Ordem  dos Franciscanos, foi fundada no século XIII, pelo príncipe Boleslaw Wstydliwy ( não me peçam para falar esse nome corretamente!!!) O príncipe, sua mãe de nome Grzymislawa e sua irmã Salomea estão enterrados nessa igreja. Em todo o recinto, encontram-se vitrais belíssimos.


Basílica de Santa Maria

Igreja gótica, fundada no século XIII, está localizada Praça Central, em frente ao Mercado que foi construído no mesmo século. Denominada Basílica de Santa Maria, tem como monumento mais valioso o altar, com 13 metros de altura e 11 metros de largura, sendo o maior altar medieval, de madeira, na Europa. É, seguramente, uma das mais belas igrejas góticas da Polônia.


Basílica de Santa Maria - Foto by Adriana Fuganti Wagner

O altar é composto de 200 figuras, algumas muito pequenas, outras que chegam até três metros de altura. O artista que as criou, trabalhou nelas durante 12 anos. A maior torre dessa Basílica mede  81 hora metros e é de onde, a cada hora cheia, ouve-se um toque de clarim, repentinamente nterrompido. Conta-se que, assim, com essa interrupção, relembra-se e homenageia-se um soldado que , enquanto tocava, para avisar seus  companheiros de um iminente ataque, foi assassinado.


Igreja de St. Wojciech - Santo Adalberto

Na foto seguinte, a Igreja de St. Wojciech - Santo Adalberto -  um dos monumentos mais antigos da Cracóvia. Segundo a lenda, ela foi construída no local onde esse Santo costumava fazer seus sermões. Em estilo românico, sua história remonta ao século X. Foi reconstruída no século XVIII, quando passou a ter o aspecto atual. Está localizada na Praça do Mercado.


Porta principal da Igreja de Santo Adalberto




Fizemos um comovente passeio por Kazimierz, antiga cidade, fundada no século XVI por Casemiro o Grande. Atualmente, é um histórico - e visitadíssimo - bairro de Cracóvia. Desde o século XV até a II Guerra Mundial, na sua parte norte, era o Bairro Judeu, com intensa vida cultural e social. Foi completamente destruído pelos alemães, mas hoje está recuperado e mostra um conjunto valioso de monumentos judaicos.


Basílica de Corpus Christi

A Basílica de Corpus Christi é uma das maiores igrejas de Cracóvia. Combina diferentes estilos arquitetônicos: gótico, renascentista e barroco. Foi fundada pelo rei Casimiro, o Grande. Numa de suas naves, está o altar-túmulo de São Estanslau de Kazimierz ( 1433 - 1489 ), considerado milagroso.


Um dos acessos à Basílica de Corpus Christi

São Estanislau de Kazimierz foi pregador, abade e confessor no Mosteiro dos Cônegos Regulares Lateranenses. Na Igreja de Corpus Christi, ela fazia sermões que o tornaram famoso pela sua fé e pela sua forma convincente de pregar. Seu últmo pedido foi para ser enterrado no chão dessa igreja. O túmulo dele tornou-se lugar de culto e peregrinação.


Detalhe da Sinagoga de Isaac

Parte importante do Conjunto Judaico no bairro de Kazimierz são as Sinagogas, entre elas, a Sinagoga Antiga, construída no século XV por judes tchecos, destruída pelos nazistas na Segunda Guerra, hoje transformada em um Museu de Cultura Judaica; a Sinagoga e Cemitério Remu, construída no século XVI e ainda usada como templo; a Sinagoga de Isaac, um belo edifício barroco, construído no século XVII, reconstruído nos anos 80. Visita aconselhada.



Detalhe da Catedral

Impossível visitar Cracóvia sem pensar na religiosidade do povo polonês. Todos os caminhos nos remetem a eventos religiosos, sejam os Caminhos ( assim designados ) de João Paulo II, o Caminho Cracoviense dos Santos, o Caminho da Santa Irmã Faustina.


Beleza das cores em diferentes igrejas.


Prometo que, ao retornar ao Brasil, num dia de paciência, procurarei, entre milhares de fotos, algumas muito especiais, que estão relacionadas ao tema superficialmente abordado agora. A Catedral de Sal  - na mina de sal de Wieliczka - e a devoção a Virgem de Czçstochowa serão temas de postagens posteriores - com fotos de Adriana Fuganti Wagner. 

Catedral de Sal - foto by Adriana Fuganti Wagner