sexta-feira, junho 03, 2016

Parques e Jardins em Madrid I


Buen Retiro
Buen Retiro





















No post anterior, mostra-se um pouco de  La Rosaleda, com sua magnífica  coleção de rosas, impecavelmente organizadas e distribuídas em um grande jardim,  cercado por frondosas árvores. Mostraremos, agora, palácios, fontes, estátuas, bosques e jardins que compõem o Retiro, como é simplesmente chamado.

Palácio de Velázquez
O Palácio de Velazquez , construído em 1883 e localizado ao norte do Parque, abriga exposições temporárias de arte do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia. A mesma função é exercida pelo Palácio de Cristal, construído em 1887 e localizado ao sul do Parque. Ambos estão escondidos entre árvores ... ou protegidos por elas.


Palácio de Cristal

Inicialmente, o Palácio de Cristal foi construído como uma estufa - ou jardim de inverno - para acolher plantas exóticas durante a Exposição das  Ilhas Filipinas. Sua planta tem a forma de uma cruz grega. Na sua construção, os materiais usados foram ferro e cristal. É considerada a estrutura mais bonita de El Retiro.


O Anjo Caido ou ...
Lúcifer







A Fonte do Anjo Caído foi construída em 1885 - e , coincidentemente , fica a 666 metros acima do nível do mar . Está colocada sobre um pedestal de granito e bronze. Foi a primeira estátua do diabo que eu conheci - e não tenho notícias de que existam outras no mundo. Na dúvida, pedi respeitosa licença a ele para fazer algumas fotos.   


Adicionar legenda

Já havia visitado Buen Retiro em todas as outras estações do ano. Sei bem o quanto ele fica bonito com as cores do outono.  Em plena primavera, entretanto, é a primeira vez que o visito. A Rosaleda já me bastaria, mas há muito mais o que ver. O verde exuberante de árvores novas e antigas, os ciprestes trabalhados em tufos - como disse minha amiga Duda, parecendo gigantescos brócolis - a geométrica distribuição de arbustos, os monumentos de mármore ...e as gentes ...


50 tons de verde?

Gentes de idades e nacionalidades diversas curtem o Parque - famílias com bebês, pessoas idosas sozinhas, adolescentes em grupos - caminham, correm, remam, fazem yoga, meditam, treinam ou têm aulas de artes marciais, enfim, aproveitam o belo espaço, o sol e o clima ameno da primavera. Lugar para ir frequentemente.

Estanque: lago artificial do Retiro


Costumo ir também ao Real Jardim Botânico de Madrid. Desço pela Gran Via até a Fonte das Cibeles e, à direita, entro no Passeio do Prado, outro lugar encantador para se fazer caminhadas. As grandes magnólias logo devem florescer, por enquanto os coloridos amores-perfeitos tornam mais belo o lugar. É o caminho que faço também para visitar os principais museus.




O Real Jardin Botánico  foi criado em 1755 às margens do rio Manzanares. Por decisão de Carlos III, foi transportado , em 1781, para o lugar onde se encontra atualmente. Tem impressionante coleção de plantas, algumas que não se vêem facilmente mesmo em jardins botânicos.

Vista parcial do Real Jardim Botânico

Está localizado logo depois do Museu do Prado, na Plaza de Murilo, num espaço que tem hoje oito hectares - já foi bem mais amplo, mas retiraram dele o terreno onde construíram o grandioso prédio do Ministério da Agricultura. Também a abertura da rua dos Livreiros, tirou-lhe mais um pouco de espaço.

Peonia, uma das minhas flores favoritas.

Ao Centro de Pesquisa do Conselho Superior de Investigações Científicas cabe dirigir o Real Jardim Botânico, que é mais concentrado e intimista que o Parque do Retiro, mas oferece também um bom contato com milhares de espécies de plantas.


Bonitas composições de pequenas flores

Logo na entrada do Jardim, um importante aviso que informa, mais ou menos, assim: o Real Jardim Botânico está aberto para sua visita, mas não é um parque público.Trata-se de um museu de plantas, formado por coleções vivas e , por isso mesmo, frágeis. Esperamos que respeitem as limitações que impõem este tipo de exposição.


Recanto específico para  rosas antigas

Antigamente - lembro bem - as rosas tinham perfume e tinham a beleza da simplicidade. Nada  a ver com a imponência e a sofisticação das rosas hoje vendidas. Quando eu quis replantar as rosas e flores da minha infância, na Bela União, foi bastante difícil conseguir mudas...De fato, as rosas antigas estão em extinção. Encontrei-as aqui , no Real Jardim Botânico, num espaço específico para elas. Preservação da cultura ... bonito de ver!

Espaço para plantas aromáticas
Outro espaço que sempre desperta minha curiosidade e minhas lembranças tanto áreas rurais, quanto de áreas rurais indígenas, é o das plantas aromáticas. Ali encontro aromáticas, medicinais e condimentares,como arruda, cominho, salvia, tomilho, hortelã, erva-cidreira, lavanda, manjericão, salsa, orégano, alecrim, anis, melissa, funcho e arnica.


Oliveira de Getsemaní

A pequena árvore da foto acima procede de um embrião germinado in vitro , obtido de uma azeitona que foi recolhida no Horto das Oliveiras de Getsemaní ( Israel ), em dezembro de 2009 e doada ao Real Jardim Botânico em 2014. O nome Getsemaní parece derivar do aramaico e significar prensa de azeite. O lugar teria sido, nos primeiros anos de nossa era, onde se iniciou o cultivo de oliveiras.


Foto que fiz em 2009, no Horto das Oliveiras, em Jerusalém.
As oliveiras têm sido , em mais de dois mil anos, importantes e simbólicas presenças em Jerusalém. O Horto de Getsemaní, de acordo com o Novo Testamento, foi o lugar onde Cristo orou - e chorou - 
na última noite antes de ser preso para ser morto e crucificado. Independente de religião, um lugar que comove e encanta.

El Retiro
Foram três dias de largos recorridos...Amanhã, farei uma pausa. Daqui a dois dias, viajarei para a Rússia. Deixarei meu PC em Madrid - tentativa constante de diminuir bagagem. Farei anotações e fotos para postagens posteriores. Darei notícias. Bom fim de semana!

El Retiro

" Nunca, por mais que viaje, por mais que conheça
O sair de um lugar, o chegar a um lugar, conhecido ou desconhecido,
Perco, ao partir, ao chegar, e na linha móbil que os une,
A sensação de arrepio, o medo do novo, a náusea —
Aquela náusea que é o sentimento que sabe que o corpo tem a alma,
Trinta dias de viagem, três dias de viagem, três horas de viagem —
Sempre a opressão se infiltra no fundo do meu coração."

Fernando Pessoa

Arruda, para espantar mau-olhado...