terça-feira, junho 28, 2016

Hermitage: eu queria mesmo te ver...


Década de 1530 - Mármore
Miguel Ângelo  -  Rapaz Acocorado 





















Quando decidi ir à Rússia, minhas pretensões eram bem limitadas: queria visitar o Hermitage e a Igreja do Salvador do Sangue Derramado,  em San Petersburgo; queria ver algumas estações de metrô e o Kremlin, em Moscou. Isso já me valeria o deslocamento. E valeria mesmo...


Hermitage - parte da fachada de 200 metros, somente do Palácio de inverno.

Durante a viagem, no entanto, houve um significativo up nas minhas pretensões...e valeu cada minuto do planejado e do não planejado. Embora a Rússia tenha sido presença forte na minha adolescência e juventude, embora eu tenha assistido a muitos filmes e feito muitas leituras preparatórias, a beleza do que vi conseguiu me surpreender muito. 


Hermitage
Hermitage





















As postagens estarão fragmentadas - ao contrário seriam muito longas. Começo pelo Hermitage, meu desejo maior nas visitas que eu relacionara. Sabia da sua grandiosidade - o segundo maior Museu de Arte do Mundo, depois do Louvre -  mas não conseguiria imaginar sua riqueza e seu esplendor antes de percorrê-lo : ainda que só conseguisse ver uma parte dele...


Canaletto - 1740 - Recepção em Veneza a um embaixador francês.

Hermitage ocupa um complexo de cinco prédios, construídos na segunda metade do século 18, com o propósito inicial de ser residência de inverno dos soberanos russos. O Palácio de Inverno ( Winter Palace ) abriga a maior parte da coleção do Museu em suas 1057 salas. Nesse total, estão incluídos espaços que foram antes apartamentos dos czares, bibliotecas, jardins e cavalariças.


Detalhes do trono de Pedro. o Grande. ( réplica)

O  Palácio de Inverno está interligado com o Pequeno Hermitage, construído por Catarina II para que ela pudesse apreciar e ampliar a coleção iniciada por Pedro I. Foram  construídos depois o Velho Hermitage e o Novo Hermitage - este último já nasceu para ser Museu. O 5o. prédio é o Teatro Hermitage. A proximidade com o rio Neva  amplia ainda mais a beleza do lugar.


Mosaico com pedras preciosas

Sobre a denominação o Museu , seu diretor - Mikhall Piotrovski - assim escreveu:  O nome francês do nosso museu " Ermitage" significa " lugar de recolhimento, eremitério". Os tempos quando ele era um museu privado e servia de retiro à corte, já ficaram no longínquo passado. No entanto, hoje o Ermitage, visitado anualmente por milhões de pessoas, continua sendo um dos poucos lugares onde se pode conviver intimamente com a cultura universal e a história russa..."  Ermitage,Ed.P-2,San Petersburgo,2008.

Ao todo, mais 3 milhões de obras de arte....


Localizado  na Praça do Palácio, todo com detalhes nas  cores verde, amarela e  branca, em estilo barroco, o edifício só ficou pronto em 1735. Foi  uma das principais residências de Pedro, o Grande.  Catarina II , no entanto, foi quem iniciou a riquíssima coleção de arte do Hermitage. Hoje, possui mais de três milhões de obras, incluindo pinturas, esculturas, relíquias arqueológicas e trabalhos gráficos. Uma pessoa, para ver todas as obra deste Museu, precisaria estar nele durante cinco anos...de dia e de noite.






A história do Hermitage entrelaça-se com a história da Rússia - nem poderia ser diferente...Começa com Catarina II , em 1764, adquirindo uma coleção de 225 telas, pertencentes a um negociante de Berlim. Pouco depois, ela vai a Paris e compra mais 400 obras, que incluiam Rafael, Tiziano e Rembrandt. A seguir, foram sendo adquiridas muitas obras de alto valor artístico a partir das preferências de Catarina II e das indicações de pessoas de sua confiança, moradoras na Bélgica, Inglaterra, França. A coleção cresceu muito - e rapidamente... No primeiro catálogo, publicado em 1774, o número de quadros já ultrapassava 2 mil.




                                                          Coleção de Ícones Antigos

No começo do século XIX, foram adquiridas as valiosas coleções de Josefina, primeira esposa de Napoleão, e a que  pertencia a um banqueiro de Amsterdam. A Primeira Guerra Mundial e a Revolução de 1917 trouxeram grandes prejuízos ao Museu, cujo Palácio de Inverno se tornou sede do Governo Provisório. Posteriormente, o espaço foi recuperado, embora muitas obras tenham sido mandadas para Moscou e outras tenham sido vendidas no estrangeiro. 





A Segunda Guerra Mundial realmente trouxe um tempo duríssimo para o Hermitage. Durante os 900 dias de bloqueio Nazista centenas de obras permaneceram escondidas no próprio Museu ou foram mandadas de trem para locais secretos. A população demonstrou seu amor e seu orgulho ao Museu: em 1942, por exemplo, o teto de vidro da Sala de Jade desabou e , em pleno bloqueio, funcionários famintos retiraram a lama e fizeram todos os consertos dessa sala, hoje também conhecida como Grande Sala Italiana.






Em outubro de 1945 as coleções voltaram de seus esconderijos, e o Hermitage abriu suas portas para o público. Os trabalhos de restauração e recuperação de acervo e prédio danificados pelos bombardeios seguiram-se  ainda muitos anos. Esse tipo de trabalho  tornou-se não agudo, mas contínuo. Em 1985, um pessoa perturbadíssima atacou quadros de Rembrandt com um copo de ácido e uma faca. A restauração fez-se em 12 anos...





Visitei Hermitage durante um dia inteiro...quase nada...Um dia, de fato, é pouco mais de um minuto no tempo necessário para visitar este Museu na sua totalidade. Mesmo assim, vi obras fantásticas. Fiz poucas fotos - e fotos ruins -  por puro deslumbramento. Queria enxergar tudo: o teto, as paredes, o piso, as obras e os lustres - imaginem que alguns chegam a pesar duas toneladas!



                                                             Amor e Psiquê - Canova


Impressiona muito o número de obras de famosos pintores. Há, por exemplo, 40 telas barrocas de Rubens; 20 quadros do holandês Rembrandt; 40 de Van Dycks; das 14 telas pintadas pintadas por Da Vinci durante toda a sua vida, duas delas estão no Hermitage; 30 Matisses, 20 Picassos e 20 Gauguins. Deparei-me com grandes favoritos meus, como Monet, Rodín, Canova, Renoir, Van Gogh, Veronese, Velázquez, Murillo, El Greco, Goya.... O Menino Acocorado de Michelangelo foi minha surpresa maior -  pequena escultura que foi encomendada para decorar a capela particular de uma família aristocrática.





Observa-se, pela história decorrida e pelas notícias atuais, que o Museu Hermitage, em constante desenvolvimento , é uma joia rara não só de San Petersburgo - ele é universal, pois pertence à Rússia e a todas as pessoas que o visitam. Hermitage continuará como o item número um na minha lista de o que ver em San Peter