terça-feira, junho 21, 2016

Granada e Las Alpujarras: pequena viagem ao retornar da Rússia.

....Granada
Centro Histórico de....

























Mal voltei para Madrid e já viajei para Granada e Orgiva, em Las Alpujarras, nas encostas da  Sierra Nevada. Eis a razão por que abro este espaço em meio aos textos e fotografias da viagem à Rússia - viagem que ainda não consegui selecionar imagens -  entre quase 2 mil! - e reunir anotações e gravações para postar aqui. 

Detalhes da ....
....Catedral de Granada

























Sobre Granada, apenas indicarei as postagens que fiz no ano passado e que me parecem quase completas. Os textos são :  http://correndomundo.blogspot.com.es/search/label/Granada; esse texto versa principalmente sobre Alhambra; o segundo texto é , http://correndomundo.blogspot.com.es/2015/05/granadaterra-sonhada-por-mim.html é mais geral. Ambos , penso que tentam traduzir  meu encanto pela cidade e por toda a Andaluzia.


...detalhes da Catedral
Centro Histórico com...

























Adicionarei , no entanto, fotos e  texto sobre um bate-e-volta  lindo, que fiz no domingo, e que se pode fazer, inclusive em ônibus regulares, que saem da Estação Central de Bus de Granada, a cada hora, diariamente , das 8h às 19h.      

Detalhe do trajeto para Las Alpujarras
                                                
Cedinho mesmo, lá fui eu em direção a  Las Alpujarras, que estão situadas abaixo da encosta sul da Sierra Nevada. Não sai de Granada por ter diminuído minha paixão por essa cidade, mas na busca de conhecimento de seu entorno, a fim de entendê-la mais e melhor. Saí sem culpa, porque devo retornar a Granada duas vezes mais nesta temporada - uma vez com Adriana, outra vez com Pedro.


Pueblos de Las Alpujarras


O que se chama de Las Alpujarras, é um conjunto de vales, com 70 km de comprimento, onde se encontram muitas aldeias brancas, parecendo oásis, já que estão rodeadas por encostas áridas, pedras imensas, profundas fendas, bosques e riachos - riquíssima diversidade! Para compor ainda mais a beleza do cenário, muitas flores, árvores frutíferas, ciprestes, pinheiros e , principalmente, oliveiras.

Las Alpujarras
Muitos estrangeiros transitam atualmente por essa região, que foi colonizada por bérberes, nos séculos 10 e 11. Foi também uma grande fazenda onde se criavam bichos -da-seda para abastecer as oficinas da cidade de Almeria. Depois da conquista da região por Fernando e Isabel - 1492 - a indústria definhou, e muitas aldeias foram abandonadas. Árabes e Judeus viviam por aqui.


Oliveiras às margens da estrada e....em todo lugar.

Minha meta era passar o dia em Orgiva. Com seus 6 mil habitantes, é a principal cidade do oeste de Las Alpujarras. Tem um centrinho interessante, onde estava um antigo castelo, transformado hoje no prédio da prefeitura, e onde está uma igreja construída sobre uma mesquita do século 16.


Igreja de Orgiva
Orgiva é turisticamente bem movimentada. Montanhas e vales oferecem ainda, além de  belíssimas paisagens, muitas oportunidades para prática de diferentes esportes, como caminhadas, ciclismo, equitação e escaladas. Tem um clima meio-bicho-grilo, meio hippie, meio new age.


Orgiva
  Orgiva

























A comida típica das Alpujarras é bem conhecida na Espanha. Feita com ingredientes produzidos na localidade, usualmente o prato é composto por um ou dois ovos fritos, presunto, batata pobre, cebola, morcilha e linguiça ( come-se muita morcilha nesta região). Acompanha dois  tipos de pães e uma salsa caseira.

Comida típica de Las Alpujarras
Em Orgiva, almocei num restaurante muito agradável, denominado   Alma Alpujarreña. Além das comidas típicas, oferecia variedade de pratos vegetarianos. O ambiente é simples, bonito e agradável; o atendimento, perfeito. O café, tomei-o numa confeitaria-bar-cafeteria logo em frente ao restaurante - veio acompanhado de um doce de almendra típico e de um figo coberto com chocolate. Deliciosos!


Delícias de Alpujarra

Pensei visitar também Lanjarón, cidade conhecida como Porta de Entrada para Alpujarras. De fato, um pequeno balneário - ou um spa - conhecido por ser frequentado por velhinhos em busca de águas milagrosas para a cura de seus males. Quando o ônibus em que eu viajava parou na frente do hotel principal, desisti de descer...eram velhinhas e velhinhos quase centenários...tive medo de ficar deprimida mirando meu futuro próximo...


Estradinhas estreitas e em caracol...

Há  muitas  aldeias e pequenas cidades neste lugar com tantos vales e desfiladeiros impressionantes. Espero meu neto para voltar à Serra Nevada e visitar Capileira, Poqueira e Trevélez. Quero também que ele veja o Museu da Água em Lanjarón, que dizem ser bastante informativo e bonito. A volta a Granada, assim como a ida, é com emoção: estradinha com visibilidade bem reduzida e ônibus grande com motorista apressado...




Pedi licença a Fernando Pessoa para, nesta temporada espanhola, envolver - me com Federico García Lorca, nascido em Granada e assassinado em lugar e  data que não se conhece com exatidão. Lorca escreveu:

" Se ven desde las barandas,
por el monte,monte,monte,
mulos e sombras de mulos
cargados de girasoles ..."