domingo, maio 15, 2016

O Bonito Parque das Esculturas em Hamilton NJ

Esculturas do Parque de Hamilton

Seward Johnson, em 1984, concebeu  a ideia de combinar obras de arte com natureza, num espaço em que as pessoas fossem, a cada momento, surpreendidas e encantadas com belas esculturas, distribuídas num ambiente que lhes parecesse familiar e informal. Seria, entao, ao mesmo tempo, um grande parque e um grande museu. 


Esculturas  fáceis de reconhecer...

Com esse espírito, surgiu o Parque das Esculturas, em Hamilton, cidade de New Jersey, distante cerca de uma hora de New York. O  planejamento do Parque foi da Fundação  Atlantic  cujo diretor era o próprio Seward, neto de um dos fundadores da Johnson - aquela empresa bem conhecida das mães, inclusive das brasileiras.

Efeitos especiais
Seward Johnson nasceu em New Jersey, em 1930. Sua vida esteve ligada, desde muito cedo, às artes - da empresa da família ele foi despedido: faltava-lhe encanto pelos negócios! Tentou primeiramente ser pintor,  sem muito êxito. 

Pintura feito por Seward Jonhson

Mais tarde, entretanto, tornou-se escultor, praticamente sem preparo nesse campo. Houve um fato que o impulsionou a continuar esculpindo - foi quando sua primeira obra ganhou o primeiro prêmio num concurso, superando outros sete mil candidatos. 

Lindíssima!
No Parque das Esculturas, embora predominem   as obras de Seward Johnson, podem ser vistos  trabalhos de muitos outros conhecidos escultores, como Clement Meadmore, Antonio Caro, Kiki Smith e George Segal. O total do acervo permanente de esculturas   supera duzentas peça - também exposições temporárias são frequentes nesse local.

          Homenagem de Seward aos impressionistas
A produção artística do escultor, ainda que a maior parte esteja no Parque, há peças que se encontram, na atualidade, dispersas em outros museus, em fundações e em coleções privadas. A crítica especializada, no entanto, já fez duras observações  sobre o trabalho dele.

Idem

O sucesso junto ao público, no entanto, ficou bem distante da crítica especializada, que o acusou de ser um artista kitsch e, inclusive, de usar programas de computador para modelagem de alguns de seus trabalhos.

Ela....em tamanho natural

O criador do Parque das Esculturas soube, entretanto,  captar o gosto popular e desenvolver um espaço de natureza e arte que atraiu e atrai grande número de visitantes, tanto locais quanto estrangeiros. 

É até possivel fotografar- se "dentro" de uma tela famosa...
Este quarto, totalmente mobiliado e decorado conforme o Quarto em Arles, da série de três quadros  do impressionista holandês Vincent van Gogh, permite fotografias dos visitantes " dentro " da obra, indicando inclusive o lugar para fazer as melhores fotos. Muito bonito e interessante mesmo.

  

Belíssimo recanto!

Encontrei, neste parque, uma das melhores lojinhas de museu que visitei nesta viagem. Produtos bem originais - como caixinhas do que pareciam ser bombons de chocolate e eram, de fato,  modelagens em barro com sementes de flores ou de especiárias, que, ao serem colocadas na terra e molhadas, produziam tufos de plantinhas existentes no parque. 

Placas de cimento superpostas

Enfim. é um lugar interessante para estar no mínimo 4 horas - adultos, crianças e adolescentes. Além do espaço verde com muitas flores, lagos e esculturas de crianças, bruxas, celebridades, representação de pinturas e reprodução de ambientes de telas bem conhecidas, encontram-se ali restaurantes e cafeterias tanto em espaços abertos quanto fechados. O ingresso custa 25 dólares, com descontos para sênior e para pequeninos. Passeio que se pode recomendar.


Efeitos especiais ao redor de algumas esculturas

 " Cada um cumpre  o destino que lhe cumpre,
E deseja o destino que deseja;
Nem cumpre o que deseja,
Nem deseja o que cumpre.





Como as pedras na orla dos canteiros
O Fado nos dispõe, e ali ficamos;
Que a Sorte nos fez postos
Onde houvemos de sê-lo.





Não tenhamos melhor conhecimento
Do que nos coube que de que nos coube.
Cumpramos o que somos.
Nada mais nos é dado."


Fernando Pessoa