sábado, janeiro 09, 2016

Viena: Tradição e Modernidade - 2a.parte

Viena - pleno inverno - menos 6 graus

O frio de Viena trouxe-me à memória algumas palavras ouvidas na distante infância, lá na Bela União. Hoje, por exemplo, falei ao Pedro que, apesar de entrouxada, eu estava encarangada. Bem isso! Entrouxada sim: estava usando, entre roupas e acessórios, 12 itens! E, mesmo assim, sentia frio, estava quase encarangada. Senti pena das esculturas e estátuas, que suportam ou pombas ou neve.


Esperando o M em Westbahnhof
Amanhã, partiremos para Budapest, desde Wien Hauptbahnhof - a Estação Central de Trens. Será uma viagem de, aproximadamente, 3 horas. Como me informa o Clima Tempo, não teremos mudança na temperatura. Continuará de 0 a -6 ....e nevando. Continuarei entrouxada e encarangada. É somente uma constatação...não estou me queixando... embora continue gostando muito de neve em fotos e em montanhas distantes.


Ou pombos ou neve?

Viena é um exagero de beleza, cultura  e elegância.  Durante 600 anos, como Capital do Império Austro-Húngaro e com o domínio da família Habsburgo, foi uma das cidades mais importantes do mundo.Viveram aqui, entre outros,  Mozart, Strauss, Haydn, Schubert e Beethoven:  Gustav Klimt e Egon  Schiele ; Freud, Popper e Wittgenstein. A cidade possui mais de cinquenta museus. Dizem que é o único lugar do mundo onde os bondes desaceleram para não atropelar os pombos.


Vestígios do Natal

Chegamos na Áustra no dia 2 de janeiro e somente no dia 6 - Dia de Reis e feriado local - começaram a desmontar os espaços e as decorações de Natal. Decorações belíssimas como bem merece a cidade. Os Mercados de Natal, ainda os vimos em funcionamento - com variedade de ofertas para presentes e vinho quente,  biscoitinhos, doces e meu lanche preferido - as salsichas brancas com mostarda!


Em contraste com o branco da neve, o colorido das vitrines

A Áustria oferece produtos locais em madeira, cerâmica, porcelana, vidro, bordados e roupas - quase nada made in china. Preço alto, é óbvio. Se a pessoa tiver paciência e disposição , poderá comprar comida pronta nos supermercados, pagando um terço do que pagaria em cafeterias ou restaurantes. Estaria, no entanto, abrindo mão de frequentar os cafés vienenses: verdadeira instituição na cidade, desde o século XVIII. Li que 150 cafés estão distribuídos por Viena - todos servem de cafezinho a lanche - e jornal para ser lido gratuitamente.


Prefeitura 
Há quase cem anos a Áustria tornou-se república. O domínio dos Habsburgo - que se estendia do norte da Itália a grande parte do leste europeu -  só chegou ao seu final após o término da Primeira Guerra Mundial. As marcas do Império, entretanto, continuam por todos os lados - basta caminhar pelas ruas e observar palácios, jardins, prédios, monumentos e igrejas. Há , entretanto, sinais de outros tempos - Viena é uma das quatro sedes da ONU e sede de outras relevantes instituições, como a OPEP. Há também inovações na arquitetura, com Hundertwasser, que parte da ideia de que diferentes pessoas devem ter diferentes apartamentos, ainda que num mesmo prédio.


Detalhe do Parlamento

São tantos os prédio que merecem um tempo de visita, que é impossível vê-los em uma única viagem. Uma vez fui a Viena e me concentrei nos palácios Imperiais: Hofburg, Schönbrunn e Belvedere. Cada vez que a visito, escolho um alvo: se for primavera, priorizo jardins. Agora, por ser a primeira viagem de meu neto à Capital Austríaca, procurei dar a ele uma visão menos aprofundada,porém mais ampla. Incluímos, por exemplo, a Prefeitura, o Parlamento e o Volksgarten - Parque do Povo.


Catedral
Localizada na Stephansplatz, grandiosa, imponente e com muita gente sempre - tanto em seu interior, como em seu exterior - a gótica Catedral de Santo Estevão preside o espaço que a rodeia. Acolhe magníficas esculturas e pinturas, além de criptas de imperadores austríacos. Para quem curte altura - o que não é o meu caso - há uma torre que oferece linda vista da cidade.


São Carlos 

Se rezar, em lugares bonitos, leva ao céu, por falta de Igrejas lindas ninguém irá ao inferno. São tantas e tão maravilhosas, que desisti de memorizar - lhes  os nomes. No inverno, a visibilidade delas ainda aumenta. As góticas - como  Stephanskirche - contrastando  sua cor escura com neve, é cenário inesquecível, As brancas - como a de  São Carlos / Karlkirche - combinando sua cor  com o cenário branco da neve, é inesquecível também.


Museumsquartier

Viena tem 51% de áreas verdes. A Prefeitura planta cerca de 3 milhões de flores. Ao longo do rio Danúbio, há jardins muito bonitos. O transporte público é eficiente e de boa qualidade. Construído em 1896, o Prater é um fantástico parque de diversões - de que gostava muito Frederico, meu sobrinho, quando vivia em Viena. Ele sempre queria que eu andasse na imensa Roda Ggante - sinto pânico só de olhar! Neste país, só não gosto da tão famosa Sacher Torte.


MUMOC - Museu de Arte Contemporânea

Como de resto toda a Europa, acredito que as melhores estações para visitar a Áustria - salvo se você quiser esquiar - são meados da primavera e do outono - maio e setembro são perfeitos. Procuro, no entanto, fugir dos meses em que há acúmulo de turistas. Nesta viagem, estávamos mesmo à procura de neve - encontramos ...e muita. Errei , sim , na escolha do hotel : um quatro estrelas nada atrativo. Postarei as informações dele no booking.com. Haveria  muito o que descrever e narrar sobre Viena....mas é hora da partida  para Budapest.



Adicionar legenda

"O que me dói não é
O que há no coração
Mas essas coisas lindas
Que nunca existirão...


Adicionar legenda



São as formas sem forma
Que passam sem que a dor
As possa conhecer
Ou as sonhar o amor.


Neve,neve...

São como se a tristeza
Fosse árvore e, uma a uma,
Caíssem suas folhas
Entre o vestígio e a bruma."

Fernando Pessoa


Fotografando o fotógrafo


Pedro e...


Adicionar legenda
....eu