quarta-feira, janeiro 13, 2016

Budapest : 1a. parte

Igreja de São Matias em Buda

Danúbio separando Buda de Peste


Melhor que vir a Budapest, é voltar a Budapest, quando já se desvendeu alguns de seus segredinhos - o que se continua a fazer a cada retorno. Ver o que a arquitetura contemporânea construiu de arrojado em  meio a palácio antigos e requintados; descobrir uma cafeteria que serve cafés típicos de diferentes países - ontem experimentei um bom brekfast inglês; comprar Helia D, - hidratante, nutritivo, para o dia ou para a noite - e pagar em torno de 10 euros cada um; tomar um café com torta de avelãs no Café  Gerbeaud e ouvir a tradicional música húngara.


Tradicional Café Gerbeaud


Gerbeaud

O Café Gerbeaud surgiu em 1858, no mesmo lugar onde hoje está localizado hoje -   no final da rua Vaci, na praça Vorosmarty. É um dos mais bonitos que eu conheço. Garçonetes impecávelmente vestidas, atendem os clientes com discrição e elegância, Taças, pratos e talheres lindos estão nas mesas de mármore. As tortas e os cafés  são variados e primorosamente preparados e apresentados. Contam que Sissi, a imperatriz, costumava frequentá-lo, apesar de sua preocupação constante com o peso.


Pedro na rua Vaci

Pedro - ao fundo a Estação de Trens antiga

Faz quase 10 anos, eu estava na Eslováquia, em Kosice, e fui ver, convidada por meus queridos amigos da família Kalafus, uma apresentação da Orquestra Sinfônica Cigana de Budapest, com seus 100 violinos. Inesquecível espetáculo, em que o tradicional violino cigano húngaro executava , entre outras, grandes obras clássicas de Liszt, Strauss e Tchaikovski. A música cigana é uma das vertentes musicais da Hungria, mas não a única - sou, no entanto, fascinada por ela, bem como pelas esculturas e instalações que expostas nas ruas da cidade.



Escultura na Vaci

Rua Vaci
A rua Vaci - Vaci útca - é um dos ícones da cidade. Somente pedestres, totalmente comercial, com foco nos turistas, está sempre muito movimentada. Tem um trecho onde estão instaladas as grifes mais famosas - da Praça Vörösmarty até a Ponte Elizabete - da Ponte ao Mercado MUnicipal passa a ter o domínio das lojinhas de lembrancinhas e de artesanato local e de bares e comidas rápidas. No calçamento das ruas, chamam a atenção as belas tampas de bronze.



Tampas de bronze sobre mármore das calçadas

Belos e diversos  desenhos 

O Mercado Central - Vásárcsarnok - próximo à Ponte das Correntes e à rua Vaci, é visita que me agrada sempre. Imponente prédio gótico, com um interior amplo, onde eu costumo comprar páprica, condimento extraído de pimentão seco, tem o seu telhado feito com porcelana Zsolnay. Essa porcelana era feita numa fábrica muito famosa que existiu na cidade de Pecs. Na parte inferior do mercado, predominam gêneros alimentícios; no mezanino, estão os bares, restaurantes e lojas com artesanato típico, incluindo os famosos bordados úngaros.


Tradicionais bordados húngaros no Mercado

Parte da fachada do Mercado Municipal

O Parlamento talvez seja o mais conhecido edifício de Budapest. Está - imponente, belo e grandioso - dominando às margens do rio Danúbio. Exibe a Coroa da Húngria. Foi copiado do Parlamento de Londres - e os dois são realmente fantásticos. Possui 691 cômodos e 24 torres. À noite, iluminado e com sua imagem refletida na água, merece ser visto e admirado.



Parlamento visto desde Buda

Parlamento visto do outro lado do rio Danúbio

Continua...