sexta-feira, dezembro 25, 2015

Rovigo, de onde muitos foram para o Brasil.

Pedro em Veneza
Pedro e eu entramos em acordo: ele iria sozinho para Veneza Santa Lucia. e eu iria para Rovigo, uma das poucas cidades do Vêneto que eu não conhecia. Ele não fala italiano, mas fala inglês bastante bem. Faria, assim, um exercício de autonomia. Pela manhã, prendemos trens para direções diversas. Inicio da noite, chegamos ao hotel - cansadíssimos e com frio - mas tranquilos porque  os passeios haviam sido bem interessantes.

Assim estava a cidade toda...
Rovigo, cidade da Região do Vêneto, com cerca de 240 mil habitantes, é capital da Província do mesmo nome. Cidade antiga, foi, provavelmente, habitada por etruscos. Guarda  restos de fortificações e castelo - séculos XI e XV. Muito bem conservada está uma torre medieval, com 66 metros de altura - e belos palácios devidamente recuperados.

Torre medieval - uma das mais altas da Itália

Como a cidade estava vestida para Natal - muitíssimo decorada - tive alguma dificuldade não só para fotografar mas também para localizar e identificar os vários monumentos que nela estão. Há, por exemplo, uma majestosa e antiga porta de acesso à cidade, uma raridade  que é parte hoje do Centro Histórico.

Antiga porta de acesso à cidade
É óbvio que encontrei, em Rovigo,  dois conhecidos de longa data. Lá estavam, dando nome às duas principais praças da cidade, Victorio Emanuelli e Giuseppe Garibaldi. Estavam em meio à muitas árvores de Natal, bonecos de neve, caixas de presentes e dezenas de pequenas casas fechadas, que deveriam ter sido dos mercados natalinos.

Na Praça Giuseppe Garibaldi...
Impactante uma escultura que , por acaso, encontrei nas proximidades da Torre Medieval. Dedicada a Giacomo Matteoti, antifascista assassinado em 1924. Nela se lê mais ou menos isto - não recordo bem as palavras - Posso ser assassinado, mas a ideia que há em mim nunca poderão assassiná-la.

Escultura a Giacomo Matteoti
Há dois videos bem interessantes no youtube sobre Rovigo. Deixo-lhes os endereços. Mais adiante, explicarei porque tive pouco acesso a informações sobre a cidade: https://www.youtube.com/watch?v=JfEg9yPup2E     e     https://www.youtube.com/watch?v=SGXIzc0V_MA

Símbolo da dominação Veneziana - 1797
Nesta minha vida de viajante - há bem mais de 30 anos - aprendi a jamais chegar numa cidade , mesmo que eu já a conheço, durante a noite. De dia, tudo é mais fácil e menos perigoso. Hoje, aprendi outra lição: não chegar  numa cidade, de manhã, no dia 25 de dezembro!

Universidade de Ferrara - Sede de Rovigo - Curso de Direito
Vai-se de Veneza Mestre a Rovigo de trem, em 58 minutos. Cheguei na cidade pouco antes do meio-dia. Parecia uma cidade abandonada, mas abandonada mesmo. Seguindo um mapa, fui da Estação de Trens ao Centro Histórico e , nesse percurso, vi uma única pessoa - um estrangeiro.

Muitos palácios recuperados
Percorri praças e parques. Caminhei pelas ruas principais. Em duas horas de caminhada, contei um total de cinco pessoas. Um tempo depois, comecei a ter sede, fome e vontade de ir ao banheiro. De vez em quando, eu enxergava mesas com toalhas, cardápios sobre elas, cadeiras, enfeites de Natal. Alegria!!!  Cafeteria, bar , restaurante? simmmm....mas fechados!

Ninguém! Nem no bar onde há mesas e cadeiras na frente.
Enxerguei uma senhora! Perguntei a ela onde eu poderia tomar um café. Muito gentilmente, ela me ensinou três lugares - os mais tradicionais da cidade. Procurei-os e os encontrei...mas os três estavam fechados. Um pouco desanimada, decidi caminhar na direção da Estação...eis que...

As ruas estavam todas assim...
...encontro uma cafeteria! Bonitinha, muito limpa, bem decorada e com um excelente café preparado por um menino chinês...que falava italiano muito bem. Contou-me que sua família era de Shangai, que ele se criara na Itália, que todos eles trabalhavam ali, mas a crise que se abatera sobre a Europa, estava tornando a vida difícil. Conversamos muito. Ele gostou de saber que eu já viajara por muitas regiões da China. Tomei café, tomei água, fui ao banheiro, dei-lhe uma boa gorjeta ...e tudo ficou bem.

Caminho que leva à Estação de Trens.
Já era tarde. Fui para a Estação. Enquanto esperava o trem, conversei com dois meninos do interior de São Paulo. Muito amáveis e gentis, contaram-me que estavam à procura de documentos do avô, natural de Rovigo, na tentativa de obter cidadania italiana. Contei-lhes que eu também era neta de italiano, conhecia muito bem a Itália, mas me faltara paciência para construir o processo de cidadania. Prefiro trabalho braçal a burocrático!

Deve ser lindo este prédio....
É tradicional a Missa da Meia Noite...
Muito Frio! Boa noite!