quinta-feira, junho 25, 2015

" Lá vou eu..."


Tulipas, abril, Madrid. Real Jardim Botânico.
Morar em Madrid durante uma primavera -  foi a minha decisão, em janeiro deste ano, ao voltar da Espanha para o Brasil. Entre uma viagem e outra, pouco tempo de intervalo: reconheço a   passagem rápida dos anos e os muitos que já vivi. As horas todas da vida ... devo vivê-las o mais intensamente possível. A consciência de que se morre, tive-a mais aguda com a morte de Ronald.Segui a decisão de voltar. Voltei .Fui feliz aqui  -   mas terminou a primavera. Hora de retornar. Hora de agradecer. Hora de avaliar. Hora de construir outro roteiro.

Granada - Bairro Árabe
Planejo minha vida, atualmente,  por trimestre e para um trimestre. Já foi anual o  planejamento. Já foi semestral sua execução. Por enquanto, três meses está de bom tamanho - e estes três últimos foram realmente  bons.  Ampliei memorias.     Acrescentei movimentos e conhecimentos. Vivi bem e com intensidade. Ri e chorei. Senti saudades e  fiz projetos : como faz quem está vivo em qualqer lugar do mundo.

Friozinho de abril
Minha preferência pela primavera tem várias razões. Não gosto de viagens nos meses de julho e agosto. Há muita gente nas ruas, nos museus, nos restaurantes; os trens andam superlotados; os preços sobem; as passagens aéreas ficam mais caras; a oferta de hoteis, bem menor; o sol é forte; o calor , doloroso. Se a viagem não for na primavera, que seja no outono - uma estação belíssima também - ou até no inverno.

Apresentações musicais em praças e ruas  - É primavera!
Na primavera, tem a magia do renascimento em todos os lugares. Até as pessoas parecem mais felizes. O colorido dos jardins já justificaria a escolha; vejo, entretanto, mais vantagens...O clima é ótimo: um friozinho em março/abril, uma temperatura perfeita em maio e um calorzinho em junho. Há oferta maior de passagens e hoteis. Museus e galerias estão mais tranquilos. Acontecem Festivais e iniciam-se  temporadas de teatro e de ópera. Tudo se torna mais musical e colorido.


Cores e aromas primaveris
Na primavera, recomeçam ou ganham novo impulso os Mercados de Rua - ou  Feiras - uma tradição do Velho Mundo. Faz sentido. Passado o inverno, as frutas , por exemplo reaparecem lindas. Abril e maio são  meses de pêssegos, figos, cerejas, morangos e framboesas. Dia de feira é dia de movimentação em qalquer cidade. É dia de a gente encontrar pessoas do lugar - e turistas curiosos. Eu amo ir à feira, em qualquer lugar.

Mercado em Barcelona

Antes do verão, os europeus estão nas suas casas, na sua cidade, onde  curtem o fim do inverno, os dias maiores, o sol reaparecendo mais forte, as lojas expondo novidades, as praças com mais gente local - até dá para encontrar amigos na rua. É claro que há turistas. Eles estão em toda parte e o tempo todo, mas são em menor quantidade que nos meses bem quentes. Li que a Espanha, em abril do ano passado, recebeu  três milhões de turistas a menos do que em julho. Estou convencida de que a primavera é a melhor estação para uma temporada na Europa.

Madrid, Plaza Mayor, Festa de San Isidro.

Logo estarei no Brasil e começarei a decidir para onde irei depois da próxima viagem.  No meu projeto inicial, desta vez,  constavam viagens a República de Malta, Marrocos e Noruega. Gostei tanto de percorrer o interior da Espanha, que deixei Noruega para uma outra temporada. Talvez seja melhor ficar um tempo na Dinamarca - e fazer viagens a partir de lá. Veremos! Já fiquei tanto aqui quanto na Ásia por vários meses, mas sem casa, em constantes mudanças - de mala e cuia! Gostei, no entanto, da experiência atual: ficar morando numa localidade e viajando, com quase nada de bagagem, para outros países e outras cidades.

Modelitos 
Antes de retornar , porém, permito-me fazer alguns agradecimentos. Aos meus amigos da Espanha, que se preocuparam que eu me sentisse bem no País, especialmente  Marisol, Carla, Cristina, Pedro e María Jesus; às minhas amigas Duda e Adriana, com quem passei dias muito agradáveis  e que estiveram comigo inclusive quando aprontei um gripão; aos meus amigos de diferentes lugares que, através do meu blog e do Facebook, foram constantes companheiros nesta viagem; e às pessoas da minha família, que se mostraram constantemente atentas ao meu bem-estar. Gracias a todos. Que o Universo lhes retribua como merecem.

Partindo de Bilbao

" Olá, guardador de rebanhos,
Aí na beira da estrada, 
Que te diz o vento que passa?"

República de Malta
" Que é vento, e que passa,
E que já passou antes,
E que passará depois.
E a ti o que te diz?"

Marrocos : Fez
" Muita coisa mais do que isso.
Fala-me de muitas outras coisas.
De memórias e de saudades
E de coisas que nunca foram."


Fernando Pessoa


Madrid - Museu Thyssen-Bornemisza

PS. Nutricionistas ensinam que não se entre em supermermercado com fome. Aprendi que não se deve entrar em shopping quando se está com saudade de família e amigos. Ao arrumar minha bagagem, precisei comprar mais uma mala. Agora serão duas. Na segunda , estarão os 20 quilos de saudade ou resultantes dela.

Gracias, Espanha!