quarta-feira, maio 13, 2015

Segóvia , outra vez!

Aqueduto de Segóvia
Em janeiro deste ano, portanto há quatro meses, levei Pedro, meu neto, a Segóvia. Hoje estive novamente nessa cidade, com minha amiga Dorilda Oliveira - a Duda, minha amiga, companheira numa etapa desta andarilhada. Fiz mais fotografias. Reli, depois, o texto da postagem anterior - as informações continuam atualizadas. Tomei, então, a decisão de repeti-lo, mudando, no entanto, as fotos. Terei, assim, tempo disponível para outros textos da minha lista de espera.

Muitos turistas e estudantes visitando a cidade
"Visitei Segóvia a primeira vez que vim à Espanha...e passei a visitá-la cada vez que venho . Uma vinda a esse País sem uma ida a Segóvia, Patrimônio Mundial da UNESCO, parece-me incompleta.É a cidade mágica e lendária da Espanha, talvez pelo mito de que foi fundada por Hércules ou pelo filho de Noé.

 Porta da Catedral - detalhe
Segóvia é  pequena e linda -  com menos de  60 mil habitantes - toda  em tons de terracota e arenito, contornada pelas colinas de Castilha e tendo , ao fundo, a Serra de Guadarrama, que estava hoje branquinha de neve. Foi fundada por Celtiberos e depois ocupada pelos romanos em 80 a.C. Tornou-se uma importante cidade da Hispânia romana.


Muralhas que cercam a cidade

El Acueducto é o símbolo mais conhecido de Segóvia. Uma admirável obra de engenharia, com 894 metros, feita com 20 mil blocos de granito e sem uso de argamassa. Foi construído, primeiramente, pelos romanos no século I. Impossível não se impressionar com a grandiosidade dessa obra.


Duda nas proximidades da Catedral

É composto de 163 arcos, atingindo, no seu ponto mais alto, que é a Plaza del Azoguejo, a impressionante altura de 20 metros. Foi , provavelmente, erguido, no seu total, no ano de 50 d.C. Devia fazer parte do sistema de aquedutos e canais subterrâneos que traziam , para Segóvia, água de montanhas a mais de 15 km.


Aqueduto na sua parte mais alta
Há uma lenda que explica sua origem. Morava em Segóvia uma menina muito bonita, que carregava água das montanhas e sofria com isso. Um dia, propôs um pacto ao Diabo. Se ele conseguisse um meio de transportar a água, em troca ela entregaria sua alma a ele. Arrependeu-se depois. Chorou muito, pedindo a Deus que lhe recuperasse a alma.

De diferentes pontos da cidade, vê-se essa imagem.

O Diabo - certamente com seus muitos empreiteiros, imagino eu - estava construindo o aqueduto quando Deus decidiu ajudar a menina. E o fez impedindo que o Diabo colocasse o último bloco de granito. A obra, assim, ficou inconclusa, e a alma prometida não lhe foi entregue. Deus, entretanto, achou o aqueduto tão perfeito e bonito, que decidiu conservá-lo - como  está até hoje.

Entrada para os jardins do Alcázar de Segóvia

Em poucas cidades e podem ver três magistrais monumentos, caminhando com tranquilidade, enquanto se vêem lojinhas com artesanatos originais e interessantes. Segóvia é assim. Como se não bastasse a grandiosidade do aqueduto, tem toda a grandiosidade e beleza do Alcázar e da Catedral - e muitas outras atrações.

Detalhes do Alcázar
Localizado na Praça da Rainha Victoria Eugenia, com uma bonita vista dos campos de Segóvia tanto no fundo quanto nos lados, o Alcázar , fortificado desde o tempo dos romanos, é um protótipo de Castelo de contos de fada.

Monumento no Jardim do Alcázar
Conta-se que seu projeto inspirou Walt Disney para a construção do castelo da Bela Adormecida. Pode ter sido mesmo, porque suas grandes torres , cobertas com chapeus de bruxa, feitos em ardósia, lembram muito contos de fada.Impressiona também o desenho  e a profundidade do fosso que o circunda.

Alcázar de Segóvia
O nome alcázar, de origem árabe ( al - qasr ) significa forte. Foi reconstruído nos séculos XIII e XIV, mas sofreu um grande incêndio em 1862. A reconstrução do original , dizem que um pouco exagerada, conservou as esculturas dos 52 reis que lutaram durante a Reconquista. Do alto de uma de suas torres, pode-se ver a localização do centro histórico de Segóvia , bem no topo de uma colina, facilmente vista do castelo - o que facilitava sua defesa.

Detalhes da Catedral
A antiga catedral de Segóvia estava localizada em frente ao Alcázar. Era de estilo romano e dedicada a Santa Maria.Na Guerra das Comunidades, em 1521, ela  foi bastante danificada.O rei Carlos V propôs às autoridades eclesiásticas que um novo templo fosse construído - um templo que espelhasse a fé e a religiosidade do povo segoviano.

Catedral
As obras começaram m 1525. Para reduzir o custo, houve aproveitamento de algumas peças da antiga catedral, como o coro, o claustro e a belissima pia batismal cuja foto está aqui. Um folheto da Catedral explica que o estilo e a cronologia definam-na como a última catedral gótica, mas que a concepção de espaço vinculam-se a uma estética renascentista.

                                        Pia batismal
Há muito o que ver e admirar no interior da Catedral. Nada menos do que 20 capelas estão distribuídas internamente - todas magnificas.Encontram-se , nelas, muitas grades belíssimas, procedentes da catedral antiga; entalhes , pinturas, tapeçarias, esculturas e até uma pequena coleção de vestimentas eclesiásticas antigas, com delicados e ricos bordados.


Uma das capelas da Catedral
Segóvia, entretanto, não tem somente a Catedral, o Aqueoduto e o Alcázar para encantar turistas e visitantes. Há muita igrejas, uma casa-museu, monastérios, museus, praças, jardins e o bonito Convento das Carmelitas Descalças. 

Igreja de San Milán
Há muitos hoteis, restaurantes, bares e cafeterias. De 24 a 29 de junho, comemora-se , com grandes festas - shows, touradas e desfiles - São João e São Pedro. A festa de São Frutos (sic!) , padroeiro de Segóvia, é comemorada dia 25 de outubro.

Delicadeza nas cores

Independente de datas especiais, para mim todo o dia é dia de Segóvia. Se existe uma cidade com especial magia, podem crer , é ela. Ainda este ano, pretendo retornar à Espanha para uma longa temporada - Segóvia que me aguarde!"


Poço no claustro da Catedral
"Não basta abrir a janela
Para ver os campos e o rio.
Não é bastante não ser cego
Para ver as árvores e as flores.
É preciso também não ter filosofia nenhuma.

Detalhe da antiga muralha
Com filosofia não há árvores: há idéias apenas.
Há só cada um de nós, como uma cave.
Há só uma janela fechada e todo o mundo lá fora
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,
Que nunca é o que se vê quando se abre a janela."

Fernando Pessoa 

Ruazinhas de Segóvia
Obs. 1) Desta vez, uma descoberta. Depois de ver tantas Mesquitas transformadas em Catedrais, vi, em Segóvia, uma Sinagoga transformada em Igreja.

Centro Histórico
Obs. 2) Daqui a dois dias, viajarei para Marrocos. Antes disso, ainda postarei sobre Málaga e Ronda. A falta de revisão dos textos deve-se à urgência com que são escritos e ao sono da madrugada.

O sono me deixa assim...