domingo, abril 26, 2015

Jerez de la Frontera - outro Encanto Andaluz


Monumento a Lola Flores, cantora de flamenco
Continuando minha peregrinação pela Andaluzia, parti de Córdoba, de trem, passando por Sevilha e chegando a Jerez de la Frontera ainda pela manhã. Embora a Estação de Trens seja bonita e vistosa, a cidade não impressiona à primeira vista - aos poucos, vai-se descobrindo os tesouros que guarda. 

Belas as ruas estreitas
Entre esses tesouros, menciono os bairros ciganos Santiago e São Miguel, berço de famosos cantores de flamenco; as bodegas ( adegas ) - cerca de 20 - a maioria delas abertas ao público e com visitas guiadas; os cavalos andaluzes e os espetáculos que eles apresentam e o flamenco, que está por toda parte.

Domínio das pombas
Fiquei, por sorte , hospedada no Hostal Fênix (www.hostalfenix.com), um lugar simples, charmoso, agradável, com boa localização e excelente custo-benefício. O prédio - século XVII - é bem cuidado, a decoração é discreta e os donos são competentes e simpáticos. Servem café da manhã, o que é bastante raro nos tradicionais hostais espanhois - não confundir com bed &breakfast.

Detalhe do Hostal Fênix
Assim que cheguei, fui caminhar pela cidade, à procura de uma boa cafeteria e de conhecimentos que me permitissem traçar a cidade com meu minimapa. Minhas primeiras fotos foram do monumento à famosa cantora de flamenco, Lola Flores. Ela era uma mulher de personalidade muito forte e de apaixonante figura - o que foi muito bem traduzido pelo escultor No youtube, há várias interpretações dela como cantora e bailarina.

Lola Flores
Fiz, ainda, nesse primeiro dia, a visita ao Alcázar, sólida fortaleza cuja construção foi iniciada em 1140 e concluída em 1212. Tem impressionante torre octogonal de onde se podem ter vistas lindas da cidade. No seu interior, há também uma mesquita, convertida por Afonso X,  em capela, no ano de 1264.

Torre do Alcázar

Após o jantar, uma rápida olhada numa apresentação de flamenco e muitas horas de sono - o que começava a me fazer falta. Acordei pensando que gostaria de retornar a Jerez , em fevereiro, durante o Festival de Flamenco, que dizem ser o melhor e mais movimentado  da Andaluzia. Como sempre digo, vai-me faltar vida para todas as viagens e todos os passeios que eu gostaria de fazer.

Detalhe do Alcázar
Em 1587, Francis Drake, um ousado corsário elisabetano, saqueou Cádiz e saiu de lá com três mil barris de vinho produzido na região. Esse forte vinho espanhol ganhou popularidade entre os britânicos. Para satisfazer a demanda, nasceu a primeira indústria, seguida de tantas outras. E, em 1835, um andaluz e um ingês formaram uma aliança anglo-espanhola e começaram a produzir o famoso Tio Pepe. 

Tradicional Bodega
As principais Bodegas de Jerez são as Gonzáles Byass, que detêm a marca Tio Pepe, e aceitam visitas com reserva antecipada; as Tradición, famosa pelo xerez envelhecido 20 anos e pela coleção de artes que abriga e que inclui Velasquez, Zubarán e Goya e as Sandman, bastante conhecidas internacionalmente.

Feira Escolar de Ciências
As marcas de xerez estão em toda a cidade, inclusive na Feira de Ciências, um evento escolar que visitei na Praça Arenal e que me aportou interessantes informações. Alunos adolescentes mostravam seus conhecimentos em diferentes áreas, com ênfase em bem-estar e desenvolvimento sustentável. Um grupo ensinava como plantar hortaliças em apartamentos e fornecia mudas de plantas aromáticas. Adorei. Obviamente não pude aceitar as plantinhas...por mais que as quisesse.

Laranjeiras floridas
Como de resto em toda a Andaluzia, também em Jerez de la Frontera os laranjais estão por todo lado, e o perfume que exalam na primavera,  é realmente inesquecível. Assim como na Grécia, variedade ( variedade se diz? )  plantada é de laranja azeda por ser mais forte e mais resistente - foi o que me disseram..

Catedral
A Catedral de São Salvador combina de maneira harmoniosa elementos barrocos, neoclássicos e góticos. Em 2012, inaugurou-se o Museu da Catedral, em salas e capelas depois do altar principal, onde podem ser vistas pinturas de Zubarán, objetos litúrgicos e pratarias variadas. Nesta Catedral, encontra-se também um jardim com laranjeiras, vestígio da Mesquita que ali havia.

Relógio na rua principal do Centro Histórico

Desta vez, não visitei dois lugares bem interessantes: a famosa Real Escola Andaluza de Arte Equestre, que treina cavalos e cavaleiros,  e os Banhos Árabes ( Hammam Andalusi), a mais significativa influência do passado islâmico. Lamentável.

Árvore da Praça Angústias
De Jerez de la Frontera, viajei para Cadiz, um percurso bem mais curto -  faz-se em 40 minutos de trem. Já estava um pouco cansada e muito sensibilizada com o que vira e o que aprendera nesses dias. Mundo bonito esse nosso! lamentável que sejam as pessoas a destruí-lo e a torná-lo por vezes difícil e até inabitável em alguns lugares. Lamentável também que a relações interpessoais sejam pouco amistosas e solidárias numa travessia que termina para todos. Tudo poderia ser mais simples, se o ter não superasse o ser.

Centro de Jerez

"Se eu sentir sono
E quiser dormir,
Naquele abandono
Que é o  não sentir,

Quero que aconteça
Quando eu estiver
Pousando a cabeça
Num chão qualquer,

Mas onde sob ramos
Uma árvore faz
A sombra em que achamos
A sombra da paz."

Fernando Pessoa


Palmeiras no Alcázar