quarta-feira, janeiro 21, 2015

Sevilha : colorida, vivaz e apaixonante.

Muitas laranjeiras nas ruas de Sevilha
Já no Brasil, Sevilha estava, no meu cronograma, como a cidade onde passaríamos - meu neto e eu - o Dia de Reis. Por sua história, vivacidade e beleza, desejava mostrá-la a Pedro, que visitava a Espanha pela primeira vez. De Madri, o AVE , trem de alta velocidade, faz o percurso todo, entre as estações de Atocha e a de Santa Justa, em 2h30min, parando uma única vez em Córdoba.

Ruazinhas do centro histórico
Reservei o Hotel Casa de Colón ( info@hotelcasade colon.com) pequeno, recém reformado, mas mantendo as características de um antigo palácio de 1800, com localização  excelente, muito próximo ao grandioso edifico da  Prefeitura e a magnífica Catedral.Viajamos apenas com pequenas mochilas, já que nossa bagagem ficara no Hostal Avenida ,em Madrid - o que nos permitia mais mobilidade e aproveitamento do tempo.
Vista da Torre Giralda
Localizada no sudoeste da Espanha, às margens do rio Guadalquivir, tem hoje uma população que supera 700 mil habitantes. É a capital da  província e sede do parlamento  da Comunidad Autónoma de Andalucía. Sua origem, atribuída aos Fenícios, remonta a mil anos a.C. Sua fundação é atribuída a a Hércules, heroi grego. Tem, portanto, uma longa história em que se alternam períodos de grandiosidade com outros nem tanto.

Ao fundo, parte da imensa Catedral de Sevilha
Neste período - inverno - as laranjeiras, que estão por toda a cidade, ficam carregadinhas de frutos saudáveis e amarelamente bonitos. As laranjas são azedas. Explica-me um morador da cidade que as azedas são mais resistentes a pragas do que as doces. Mesmo assim, podem ser colhidas e , com elas, preparar um doce para recheio de massas ou usá-las para fazer geleia.Imaginem a profusão e o perfume das flores na primavera...razão por que pretendo retornar em abril ou maio.

Detalhe interno da Catedral

A lista das atrações de Sevilha é bem grande. Pode-se começá-la pela Catedral e pela torre Giralda e continuar pelo Alcazar,  Praça de Touros,Teatro Real, Torre de Ouro, Casa de Pilatos, Museu de Belas Artes, Estação de Trens de Santa Justa, Basílica de la Macarena, Parque Maria Luísa, Praça de Espanha ( onde foi filmado um episódio da segunda parte de Star Wars ) e Monastério de la Cartuja. Imprescindível incluir longas caminhadas pelos bairros Centro, El Arenal e Santa Cruz , traçar as ruas Sierpes, Cuna, Tetuán , Betis e San Jorge e, ainda, percorrer os passeios junto ao rio Guadalquivir. Não esqueça, entretanto, que a cultura local é talvez a mais importante das atrações desta cidade colorida, vivaz, histórica e alegre.

Detalhe da fachada da Catedral

A Catedral impressiona mesmo pela sua magnitude e pela beleza de seu entorno. É o maior templo da Espanha e um dos maiores do mundo, medindo 130 metros de comprimento por 83 metros de largura e 56 metros de altura. Está construída no lugar em que havia, até 1248, uma mesquita, que foi usada como igreja , após Sevilha cair nas mãos dos cristãos.Em 1402,  decidiram ,então, os católicos destruir totalmente a mesquita e  construir a atual catedral.

Impressionante a beleza das portas

A catedral foi construída entre os anos de 1420 e 1506, com traços góticos, neogóticos e renascentista. Tem mais de 60 grandiosas divisões, com destaque para as capelas, as sacristias e o lugar onde está o famoso túmulo de Cristóvão Colombo, que tantas polêmicas gerou. Colombo morreu em 1506, e seus restos mortais foram movidos várias vezes -  continuou viajando mesmo depois de morto. Assim, quando foram trazidos para a catedral de Sevilha, havia suspeitas de que não pertencessem a ele, mas a seu filho Diego. Testes de DNA encerraram  a polêmica ao atestar  que a ossada pertencia , de fato, ao descobridor da América. A dúvida, entretanto, permanece...onde estará mesmo esse homem que gostava tanto de viajar? Continuará em Santo Domingo?

Entrada para o Pátio da Laranjeiras
No antigo Pátio da Mesquita, na parte externa da Catedral, com entrada pela Porta do Perdão,está o Pátio das Laranjeiras. São sessenta e seis árvores, neste momento carregadinhas de frutas. Fiquei imaginando, no período de floração, a festa para  os sentidos nesse lugar . No centro do Pátio, há uma bela fonte central, proveniente de uma catedral visigoda e um púlpito de pedra, onde pregaram Juan de Ávila e Francisco de Borja.

Portas magníficas
Tenho uma certa fixação - ou um fascínio forte - por janelas, portas e portões. Em Sevilha, pensei num trabalho monotemático, apenas com esses elementos. Nessas horas a arquiteta frustrada que habita em mim, enlouquece...Acrescente-se um dado interessante: na Catedral, está a Biblioteca Colombina, fundada em 1551, com muitos e valiosos manuscritos de Cristóvão Colombo, que foram doados por seu filho.Precisa-se mesmo de uma viagem e alguns dias só para detalhar essa Igreja.

Parte da Torre Giralda
É uma referência na cidade, talvez o principal símbolo de Sevilha, La Giralda, erigida sobre pedras romanas, no século XII. Era o minarete - de onde se chamam os fieis para rezar, nas horas determinadas para isso -  da Grande Mesquita, existente no lugar onde se encontra a Catedral. No alto da Torre, uma enorme estátua, que representa o Triunfo da Fé. Por 35 rampas, chega-se a 70 metros de altura, de onde  -  contaram-me porque eu não iria - tem-se uma belíssima vista da cidade. No total, o conjunto da Torre tem 100 metros de altura.

Minha paixão por portas...
Para alegria do Pedro, fizemos um passeio em carruagem, puxada por um belo e forte cavalo, pelos principais lugares históricos - os mesmos que depois os percorremos a pé. Só a Praça do Triunfo já reúne a Catedral, o palácio onde está a Câmara Provincial, o Arquivo das Índias, os Reais  Alcazares , o Monumento do Triunfo - uma cruz erigida para comemorar a missa de Todos os Santos, interrompida pelo terremoto , que destruiu parte de Seviha, em 1755. No centro da praça, está um grandioso monumento à Nossa Senhora Imaculada, erigido quando da proclamação do dogma de imaculada.
Detalhe do Centro de Sevilha
Construído no século XIV, o Alcazar de Sevilha foi reconhecido , em 1987, pela UNESCO, como Patrimônio da Humanidade.Originalmente, no entanto, era um forte para os governantes de Córdoba, que foi fundado no ano de 913. Ao longo de seus onze séculos, portanto, foi ampliado e reformado, agregando-se a ele pátios e palácios.  Tornou-se importante na história da arquitetura. Como a Catedral, precisa-se de um bom tempo para visitá-lo e, por exemplo, admirar os azulejos dos muros e a luminosidade e beleza do Pátio das Donzelas.

Detalhes de Sevilha no inverno...
Com capacidade para 1800 espectadores e com uma acústica perfeita, o Teatro Real de Maestranza permite a apresentação de diferentes modalidades artísticas, como concertos de música clássica,óperas e espetáculos de ballet e flamengo. Foi inaugurado em 1991, pela rainha Sofía da Espanha.Seu projeto resultou de um concurso, promovido pela Câmara dos Deputados Provinciais, sua construção ocupou o espaço de um antigo quartel de artilharia. Gostei do projeto e das programações.

Teatro Lope de Vega


A cidade tem histórica e forte ligação com óperas, tanto que mais de 150 delas foram ambientadas aqui, basta pensar em Carmem, uma das mais bonitas a que assisti, em Barbeiro de Sevilha e em Don Juan. Para 2015, está prevista a apresentação de Don Giovanni, obra de Mozart; Norma, de Belini; e Tosca , de Puccini. Programação fantástica! No site www.teatrodelamaestranza.es mais informações podem ser encontradas.Também no Teatro Lope de Vega há uma bela programaçao, que pode ser encontrada em www.teatrolopedevega.org

Torre do Ouro

Bem próxima do rio Guadalquivir, está a Torre do Ouro, a antiga Casa da Moeda, atualmente sede do Museu Naval. Contam que tem esse nome porque antigamente possuía uma cúpula coberta de azulejos de ouro.Contam também que nessa torre eram guardadas as riquezas roubadas das colônias pelos conquistadores que voltavam do México e do Peru. É um dos grandes símbolos de Sevilha.

Pedro nos canais da Praça Espanha

Há realmente muito o que ver em Sevilha, lugares fantásticos como o Parque de Maria Luisa, o Museu de Belas Artes, a Basílica de la Macarena, muitas outras igrejas,palácios, mercados e praças. Encantei-me muitíssimo, entretanto, por dois lugares: o Bairro de Santa Cruz - recanto tradicional da comunidade judaico - com suas ruazinhas de traçado confuso, seus jardins e sua arquitetura muito sevillana, e a Praça de Espanha, lugar em que passamos horas muito agradáveis. Imperdíveis.

Lugar de passeio ideal para crianças e adolescentes...
Penso agora que deveria ter reduzido este texto a uma simples declaração de amor a Sevilha...Inútil tentar escrever sobre essa cidade em algumas páginas. Fazem-se omissões injustas - como não ter publicado fotos e escrito sobre a Casa Lonja, os Jardins de Murilo, a Casa de Pilatos, a Praça de touros, o Hospital de Caridade, a Universidade - na antiga Fábrica de Tabacos - as Colunas Romanas, as margens do rio Guadalquivir, o flamengo, a produção artística , o artesanato local e a gastronomia. Para me redimir, peço-lhes que visitem Sevilha e que se deixem seduzir por ela.


" Consolei-me voltando ao sol e à chuva,
E sentando-me outra vez à porta de casa.
Os campos, afinal, não são tão verdes para os que são amados
Como para os que o não são.
Sentir é estar distraído."

Fernando Pessoa

Paisagem de inverno em Sevilha