terça-feira, agosto 12, 2014

Milano, atrações, inovações e tendências.

Lá vamos nós....partindo de POA
Descer no Aeroporto de Malpensa e ir de ônibus até a Estação Central de Trens de Milano é roteiro comum para quem vai direto à Itália. Daí, ir adiante, trabalhar na cidade  ou visitar algo interessante - o que sobra nesta segunda maior cidade italiana. Bom mesmo era no tempo da saudosa VARIG - aviões bons, atendimento idem. Agora, é conformar-se com o que se tem. Usualmente, Milano pode ser apenas cidade de passagem, salvo para as gentes de negócio. Gosto, no entanto, de ficar ao menos um dia para ver  Il Duomo e a Galleria Vittorio Emanuelle, meus espaços favoritos.

Detalhe do Castello Sforzesco

Milano é uma cidade dinâmica, intensa, fascinante , coração da economia italiana, costuma-se dizer. Fundada pelos Celtas, capturada pelos romanos ( 222 a.C), governada por espanhois e austríacos e conquistada por Napoleão Bonaparte. Bastante atingida por bombardeios, na Segunda Guerra Mundial, não perdeu, entretanto, sua força e ânimo. Após a Guerra, teve intenso crescimento econômico, tornando-se cosmopolita e internacional,  poderosa e influente na Europa. A região metropolitana de Milão é a maior e mais populosa da Itália.

Detalhe do Castello Sforzesco

Seu centro histórico, no entanto, é fácil de ser percorrido, caminhando ou utilizando seus meios de transporte excelentes. Costumo visitar , em primeiro lugar, Il Duomo. A Catedral de Milão é a quarta maior catedral do mundo, depois da Basílica de São Pedro, em Roma, a Catedral de Sevilha e de uma nova catedral na Costa do Marfim. 'E também o mais importante exemplo da arquitetura gótica da Itália. Sua  construção iniciou-se em 1386 e levou 500 anos para  ser concluída. Seu telhado tem 135 agulhas e numerosas  estátuas. A fachada apresenta-se com variedade de estilos. Símbolo da cidade. Visita imperdível.
Il Duomo de Milano
Costumo chegar ao Duomo passando pela Galleria Vittorio Emanuelle II, lugar onde muitas vezes vi noivos a serem fotografados. Conhecida como a Sala de Visitas de Milano, tem forma de cruz e seus melhores acessos são pela Piazza del Duomo ou pela Piazza della Scala. O piso do centro é todo de mosaico, que representam a Europa, a Ásia, a África e a América. Há também representações da Arte,da Agricultura, da Ciência e da Tecnologia....

Galleria Vittorio Emanuelle  II

Tem um telhado altamente inovador, considerando o ano em que foi construído - 1877 - uma estrutura de aço e de vidro. É bem interessante observar turistas e visitantes que, ao passarem pelo piso decorado com mosaicos que mostram os signos do zodíaco, procuram pisar nas partes genitais do Touro - diz a lenda que traz sorte! A Galleria é bonita, fotogênica e agradável de transitar.

Galleria Vittorio Emanuelle  II
Não deixe de ir ao Castello Sforzesco, encomendado inicialmente pela Família Visconti, que, ao terminar seu reinado, ordenou a sua demolição. O novo governante, Francesco Sforza, ergueu, no mesmo lugar, o atual palácio renascentista. Além de vasto acervo de móveis, antiguidades e pinturas, abriga um museu e uma exposição de artes aplicadas. Ainda no Castelo, pode-se ver a Pietà Rondanini, escultura inacabada de Michelangelo. Aproveite para passear pelos pátios ou jardins internos, lindos em todas as estações do ano.

Teatro alla Scala
Mundialmente famoso, o teatro neoclássico Scala, é conhecido como uma das maiores casas de ópera do mundo, com o maior palco da Europa. Ali cantou a talentosa e temperamental Maria Callas. Ali apresentaram-se obras inesquecíveis de Giuseppe Verdi, Gioachino Rossini, Giacomo Puccini, Vincenzo Bellini, Gaetano Donizetti e Arturo Toscanini. Fomos assistir a uma apresentação de ballet no Scala. O Teatro, fantástico; a apresentação, nem tanto. No mesmo prédio, um elegante café e, ao lado, o Museu do Teatro, que é mesmo a histórias da ópera no Scala. O Guarani, ópera de Carlos Gomes, estreou no Scala, em 1870..

Capital Mundial da Moda

Quem se interessa por designers de moda ou de interiores, pense seriamente em visitar Milano, que aponta tendências e expõe criações italianas e internacionais.  O chamado quadrilátero da moda  , como é conhecido, forma-se pelas vias Manzoni, Della Spiga, Montenapoleone e  Sant´Andrea. Há grandes outlets com peças da última estação e descontos muito bons. As principais lojas de departamentos são La Rinascente e Coin. O segredo é procurar, sejam roupas, acessórios, joias, livros e artigos para presente, sem preguica e com olhos bem abertos.


Passeata de protesto em frente ao Castello
Há muito o que ver em Milano: passeatas - quase sempre que vou lá vejo algumas, alegres e descontraídas - parques grandes com muitas flores e árvores frondosas, museus, pinacotecas, igrejas, restaurantes, além do Palácio Real e do Cemitério Monumental ( nunca o visitei porque há muitos Menini  ali e que poderiam simpatizar comigo. Bati três vezes na madeira... Ainda este ano, retornarei a Milano...ao menos por um dia.

Primavera: muitas flores nas ruas de Milano

"Há pessoas a quem o arranhar das paredes impressiona
E outras que se não impressionam.
Mas o arranhar das paredes é sempre igual
E a diferença vem das pessoas.
Mas se há diferença entre este sentir,
Haverá diferença pessoal no sentir das outras coisas.
E ,quando todos os pensem igual duma coisa, é porque ela é diferente para cada um."

Fernando Pessoa