quinta-feira, abril 24, 2014

Para Veneza, uma declaração de amor.



De Desenzano a Veneza, pode-se viajar no Euroestar, que só vai parar em Verona, Vicenza, Padova e Veneza Mestre. Paga-se 27,50 euros e gasta-se menos de duas horas nessa viagem. Fácil,fácil.



Pela beleza e singularidade, ir a Veneza é sempre uma festa. Não importa tê-la visitado bem mais de dez vezes. Com chuva, caminhando sobre passarelas de tábua, com dia nublado ou com sol, em qualquer estação do ano, sempre é bom visitar essa cidade e perder-se em seus labirintos.



Li, não lembro onde, que não conhece Veneza quem nunca se perdeu nela. Devo conhecê-la bem, considerando o número de vezes que já me perdi. Mesmo quando eu seguia os roteiros previamente estabelecidos e numerados, eu continuava a perder-me.



Foi - me perdendo, entretanto,  que descobri ruazinhas fantásticas, vicolos (becos) estupendos, desses que a gente acredita que, a qualquer momento, vai encontrar fantasmas mascarados, deixando festas ou procurando por elas.



Sinto amor e respeito por Veneza,  uma das mais antigas cidades vivas do mundo.



PS. Informações sobre Veneza estão nos guias de viagem, nas revistas especializadas, em muitos blogs, em filmes e programas de TV... E estão sobretudo   nas narrações dos que vão à Italia - sim! porque se foi à Itália, certamente visitou Veneza. É, portanto, desnecessário eu escrever sobre ela...ou justificar minha preguiça neste momento.



" A preguiça de pensar
É uma grande alegria,
Porque pensar é achar
Que a lareira já está fria.



Não quero pensar em nada.
Quero aquecer-me a sentir
Que na lareira apagada
Arde uma lenha de ouvir.


Que lareiras e alegrias
São coisas só de sonhar...."

Fernando Pessoa