segunda-feira, fevereiro 17, 2014

Heidelberg, mais além do Castelo.


Rio Neckar, em Heidelberg
Visitei Heidelberg em 2006. Tanto gostei da cidade, que a incluí nesta viagem, desejando mostrá-la a Ronald e Pedro. Já li que é a mais bonita do interior da Alemanha. Penso que não -  concordo, no entanto, que é uma das mais bonitas.
Pedro tambem gostou da cidade
Li também , numa  pesquisa realizada há dois anos, que 96% dos moradores adoravam viver nessa cidade e a consideravam bonita e agradável. Acredito. É agradável e com excelente qualidade de vida. É interessante visitá-la em qualquer mês do ano; no período natalino, entretanto, torna-se fantástica.

Chegada em Heidelberg


Com menos de 150 mil habitantes, dividida em 15 bairros distintos, está situada nas duas margens do rio Neckar, importante afluente do rio RenoNeckar nasce na Floresta Negra e corre através de montanhas, passando por  cidades que merecem uma visita, como Tübingen, Stuttgart e Heidelberg. Seu comprimento total - da nascente até o Reno - é  de 367 km.

Cores de inverno
Formam-se com ele cenários de rara beleza, que propiciam passeios agradáveis, incluindo o encontro com pontes antigas  e esculturas bonitas. Passeando ao redor da cidade medieval, podem ser vistos preciosos  edifícios renascentistas com muitos detalhes para serem observados. É imprescindível, ainda,  uma visita à famosa  Ponte Velha , à Universidade de Heidelberg e , óbvio, ao Castelo.

Antiga ponte sobre  o rio Neckar,
O primeiro referência a Heidelberg data de 1196 e está em documento de um dos sete príncipes eleitores do Sacro Imperio Romano-Germânico, mas a data mais marcante para a cidade é 1386, quando foi fundada por Ruprecht I , a Universidade de Heidelberg, a mais antiga da Alemanha.

Vista do Castelo de Heidelberg
Hoje essa Universidade é bastante conhecida e respeitada na área de medicina - muitos estudantes a procuram e fazem nela sua formação profissional.  Sua Biblioteca, construída entre 1901 e 1905 , possui um dos maiores acervos bibliográfico da Alemanha,  com mais de dois milhões de livros.

Centro Histórico de Heidelberg - foto da internet não identificada
Como vibrante cidade universitária,  tornou-se cosmopolita, amigável, orientado para o bem - estar das  pessoas atraente para as famílias, os estudantes e os pessoal das indústrias criativas. Reúne empresários e acadêmicos, pesquisadores e interessados em arte, mantendo o que há séculos a caracteriza : uma agitada vida cultural.Foi  um dos centros da Reformas Protestante, tendo acolhido Lutero em  1518.


Mercado de Natal no Centro Histórico
A presença da música é constante na cidade. No período que antecede ao Natal, além de ser constante é variada. São corais, orquestras, pequenos grupos, apresentações individuais, com repertório clássico de músicos  famosos, como Bach e Beethoven, ou populares de altíssimo nível . Festa para todos os sentidos.


Música natalina
A cidade oferece, mais além da reconstrução no início do século 18,  realizada após as invasões francesas que destruíram a Heidelberg medieval, edifícios barrocos, uma catedral que é  símbolo da cidade, um grande museu com destaque para a área de arqueologia, galerias de arte e muitos hoteis, restaurantes e cafeterias. A estação de trens é próxima ao centro, e os passeios a pé, pela cidade, são imperdíveis.

Vista da cidade a partir da janela do Castelo

Penso que a Alemanha é indispensável nos roteiros de quem curte História, e uma sugestão que me parece interessante para essas pessoas, é seguir a German Limes Route ( Deutsche Lime-Strasse), uma das 150 rotas , com as mais diferentes motivações, que oferecem os guias de turismo nacional. 
Detalhe da fachada do castelo

A Limes  é uma rota turística , Patrimônio Mundial da UNESCO, que acompanha a antiga fronteira entre as tribos germânicas e o Império Romano. Na Limes , está Heidelberg com seu castelo, que dizem ser o símbolo e a alma do romantismo alemão.

Detalhe do castelo

Pertencente à Dinastia dos Wittelsbacher, construído em 2300 como fortaleza, com torres, casamatas e fossos, passou por várias ampliações e reformas, entre os séculos 13 e 17. Originalmente, era um castelo em estilo gótico fortificado.

Centro Histórico de Heidelberg


O Castelo, no alto da cidade, impressiona desde longe, pelo seu entorno e pela sua imponência. Pode-se chegar até ele por um funicular ou caminhando - caminhada com dificuldade média para pessoas como eu, e fácil-fácil para pessoas como Ronald e Pedro. Melhor é ir andando e observando os ângulos diversos do castelo e a beleza dos jardins. Heidelberg é cidade para ir e... retornar.
Ronald e Pedro divertindo-se com minhas fotos


"O essencial é saber ver ,
Saber ver sem estar a pensar,
Saber ver quando se vê,
E nem pensar quando se vê
Nem ver quando se pensa."

Fernando Pessoa