quarta-feira, junho 05, 2013

Barcelos : sobre galos e feiras.

Os galos estão em toda a cidade....
Antes de descrever meu primeiro contato, integral e direto, com o território de Barcelos, conto-lhes sobre um problema meu. Sempre fui não sei se distraída - ou paradoxalmente concentrada - demais. Quando criança, afastava-me dos meus irmãos e me perdia deles na fazenda. Justificava-me dizendo que estava pensando.  Já perdi voos, estando no aeroporto, porque lia algo bem interessante. Fixada no que estou vendo, pensando, lendo ou escutando, esqueço o resto do mundo ao meu redor.
...muito coloridos
Assim que saímos da Estação Ferroviária de Barcelos, olhei para a calçada oposta e encantei-me com um prédio. Comecei a pensar quando ele teria sido feito, que estilo arquitetônico seria aquele, por que teria aquele desenho nas varandas ... achei-o  interessante...e não olhei para a calçada por onde eu caminhava...e nela havia um buraco e um degrau!! Foi meu primeiro contato, integral e direto, com o território de Barcelos, contato de pés,  joelhos, cotovelos e mãos. Fiasco completo!

... em muitos formatos
Lembro-me de Ronald assustado, de uma senhora pedindo ajuda a um policial, de outra, querendo levar-me ao hospital...e eu estatelada na calçada, rindo e chorando. Susto, vergonha e ridículo. Passado o susto, levantei, joelho sangrando e lágrimas correndo. Parou um médico. Testou meu equilíbrio e movimento. Falava inglês e pode tranquilizar Ronald. Reagi.Agradeci a todos e caminhei o mais rápido possível para longe do cenário do mico . Uma quadra depois, mesmo doída, já me divertia com o acontecido.

... e muitas apresentações.
Comecei , então, a visitar Barcelos no dia mais apropriado para isso: quinta-feira, quando acontece a mais antiga, a maior e a mais célebre feira do Norte de Portugal. Nesse dia, chegam trens lotados, ônibus de excursões e gente de todo o lado, indo na direção da parte antiga da cidade, na beira do rio Cávado. Vende-se de tudo nessa feira: pão caseiro, linguiça, frutas, galinhas vivas e galos de cerâmica, roupas,sapatos, bordados, cestos artesanais, panelas, talheres, material de construção, tudo...mas tudo mesmo.

Dia de Feira em Barcelos....
A feira e o artesanato constituem  a grande atração da cidade - seu carro-chefe. No artesanato, a cerâmica é o que muitos visitantes procuram - há pratos, xícaras, copos, vasos belíssimos.  Nem só de galo vive a cidade, mas a famosa ave está por todo o lado. Nas quintas-feiras, apresentam-se bandas e bandinhas, palhaços e pessoas de pernas de pau, malabaristas e cantores de rua. Uma festa realmente.Há um interessante Museu de Arqueologia, bonitas igrejas barrocas, passeios à margem do rio, construções históricas e um povo supergentil.

... lá estão eles
Li quatro história do peregrino que foi salvo pelo galo, com pequenas variações entre elas. Uma dessas  variações , escrita em 1977, introduz uma personagem feminina, que , tendo sido rejeitada pelo peregrino, por vingança, escondeu em seu bornal valiosos talheres de prata. Depois , denunciou - o por roubo. Selecionei a mais geral para transcrever aqui.

... muito originais.
Segundo a lenda, foi cometido um crime em Barcelos e os habitantes locais estavam receosos, pois o culpado ainda não tinha sido descoberto. Um dia, um peregrino galego chegou à cidade e, como era um desconhecido, tornou-se um suspeito. As autoridades decidiram prendê-lo, apesar deste reclamar a sua inocência. Ninguém acreditou que este estranho estaria a caminho de Santiago de Compostela.

... recebendo os visitantes

O peregrino foi condenado à morte por enforcamento, mas antes da sua execução, o galego pediu para ver o juiz que o havia condenado. Quando chegou à casa do juiz, este estava num banquete com os seus amigos. O peregrino declarou novamente a sua inocência e, perante a descrença de todos os presentes, ele apontou para o galo assado que se encontrava em cima da mesa e disse: “Se eu for inocente, este galo irá cantar três vezes.”

... trazendo alegria à cidade.

O que parecia impossível tornou-se, porém, realidade! Quando o peregrino estava prestes a ser enforcado, o galo ergueu-se e cantou três vezes. O juiz ficou tão assombrado por este milagre que libertou o peregrino. Alguns anos depois, o peregrino regressou a Barcelos e fez erguer um monumento em louvor à Virgem Maria e a São Tiago. Desde então, os coloridos galos de cerâmica têm sido vendidos por todo o país como símbolo de boa sorte.

Ruazinha central de Barcelos
 Preocupa-me estar fazendo uma tremenda injustiça com Barcelos, ao associar a cidade com a Feira, os galos e o meu tombo somente. Barcelos é muito mais que isso. É histórica e encantadora. Merece uma visita, ao menos um bate-e-volta a partir do Porto. Detalhe importante: se você comprar bilhete no Alfa, vai pagar uns 18 euros; se comprar no trem suburbano, vai pagar pouco mais de 3 euros - e chegará ao mesmo lugar. Encontrará ali bons restaurantes e pessoas amáveis. Na Feira, uma senhora reconheceu-me e gentilmente perguntou: Estás bem? Seu joelho está a doer?