domingo, maio 19, 2013

A Fascinante Philippi da Macedônia

Caros amigos...
Ronald e eu, juntamente com Alex,Gisela e Elisabeth,  passamos um dia inteiro visitando Philippi e Lídia. Já estive nesses dois lugares outras vezes, já escrevi sobre eles e já me encantei com eles. Além do significado histórico e religioso desses espaços, a companhia e o vasto conhecimento desses amigos tornaram esse dia inesquecível. Cada um deles, fala, fluentemente, seis idimas. Por sorte, todos falam inglês, embora eu tenha - me habituado a falar com Alex em italiano. O sol e a temperatura colaboraram também conosco. Lindo dia.

Anfiteatro em Philippi
Philippi  foi  importante cidade do Império Romano, considerada uma porta de entrada da Europa em relação aos visitantes provenientes da Ásia. Está localizada a leste da antiga província da Macedônia, a 13 quilômetros do mar Egeu , no topo de uma colina. Abaixo dela, estavam o rio Gangites e a estrada militar Ignatia, que ligava a Europa e a Ásia.

Basílica

Sua origem remonta aos trácios, povo conquistado em 358 a.C. pelo rei Filipe da Macedônia. A cidade recebeu esse nome em homenagem ao seu conquistador. Em 108 a.C. passou ao controle romano. Em 42 a.C., foi palco da batalha de Marco Antônio e Otávio Augusto, que buscavam vingar a morte de Júlio César, contra Brutus e Cássio.

Acesso ao teatro

Os veteranos dessas batalhas instalaram-se em Philippi, e a cidade acabou ganhando status de colônia romana e o Ius Italicum, o que a tornava uma réplica menor de Roma. Seus cidadãos tinham cidadania romana e possuíam inclusive direitos de propriedade equivalentes aos de uma terra em solo italiano. Os oficiais políticos eram descendentes dos soldados romanos, o que reforçava ainda mais o caráter latino da cidade, refletindo também seu pensamento e religião.

Detalhes de Philippi
A visita a Philippi é , de fato, impressionante e precisaria de bem mais do que as seis horas que lá passamos. É emocionante ver o teatro grandioso, hoje de tal maneira recuperado que, sem perda de toda a originalidade, permite apresentações anuais de dramas gregos; ver as basílicas ( A, B, C ) , sendo a primeira dedicada a São Paulo; as muralhas, a acrópole, o fórum ( Agora ), o cemitério, os santuários, a academia, a área comercial, as cisternas, os banheiros, os portões, os arcos, as fontes, os mosaicos dos pisos, os monumentos, as esculturas, os desenhos. Realmente, um mundo a descobrir.

Museu de Phlippi

Deixando a colina em que está o complexo arqueológico de Philippi, fomos ao museu onde se encontram muitos dos achados nas escavações realizadas. Ali se encontram  tesouros em mármore, pedra, ouro; estátuas grandes com elegância e leveza admiráveis; capiteis em que a mármore parece uma renda de beleza rara, pelos detalhes que exibe; trabalhos em  mosaico com delicados desenhos e cores. Além de todas essas preciosidades , o museu é tranquilo e agradável e tem , ao seu redor, cenários inesquecíveis.

Philippi

Pesquisei alguns endereços que podem incentivar pessoas a conhecer esta parte da Grécia, tão especial e de beleza tão comovente.
http://www.youtube.com/watch?v=lIQQx9Xv0P8
http://www.youtube.com/watch?v=isLoE9yi4Ek
http://www.youtube.com/watch?v=_of7JrW7Qxs
http://www.youtube.com/watch?v=1W1t1qrhQ9s
http://www.youtube.com/watch?v=fVQeqd9FL2A
A partir de Thessaloniki ou de Kavala, sei que há tours de um dia que levam a Philippi e a Lidia. Asseguro-lhes que vão gostar. Quem não gostar , é porque deveria ter ido às compras em Miami ou Nova Iorque. Respeita-se, entretanto, o gosto de cada um.

Leveza  em mármore

"Toda a manhã que raia, raia sempre no mesmo lugar,
Não há manhãs sobre cidades, ou manhãs sobre o campo.
À hora em que o dia raia, em que a luz estremece a erguer-se
Todos os lugares são o mesmo lugar, todas as terras são a mesma,
E é eterna e de todos os lugares a frescura que sobe por tudo."



Fernando Pessoa