segunda-feira, maio 13, 2013

A Bíblica Thessaloniki

Sábado, no centro de Thessaloniki
Os fins de semana em Thessaloniki são realmente uma festa. Na primavera, com flores por todo lado, fica ainda mais festiva e bonita. A Praça Aristóteles, na zona portuária, é a principal da cidade, com muita gente - gente linda, alegre, bem educada. Ruas, praças, parques e restaurantes estão lotados. Aqui, a crise econômica não se mostra tanto. Gosto do norte da Grécia. Gosto desta cidade, que é a segunda maior cidade grega e a principal da Macedônia - ainda que eu prefira Kavala. Culta, cosmopolita, pulsante, histórica. Foi fundada em 315  a.C. por Kassandro, rei da Macedônia, depois da morte de Alexandre, o Grande. Tem uma história interessante relacionada ao nome que recebeu - Salônica / Thessaloniki / Thessaloniko, conforme a língua que a refere.

Área do Porto

Cassandro deu à cidade o nome de sua esposa,  Thessalonika  - nome que lhe foi dado pelo pai , Felipe II da Macedônia, por ter a menina  nascido no mesmo dia da Vitória dos Macedônios sobre os Tessalios, sendo esse o significado do nome recebido. Thessalonika era meia-irmã de Alexandre Magno. A cidade, com localização  privilegiada, por ser centro de caminhos marítimos e terrestres, teve rápido crescimento. A famosa  Via Egnatia, que por ela passava, unindo mar Adriático e Constanstinopla, contribuiu para que Thessaloniki  se tornasse um  grande  centro  comercial e cultural, conectado com oriente e ocidente.

Estátua de Alexandre, o Grande.

Thessaloniki tem  longa e fascinante história. Tornou-se importante centro de comércio romano e um dos primeiros centros do cristianismo. O apóstolo Paulo pregou aqui, no primeiro século, e muitas igrejas foram construídas na era bizantina. Invadida várias vezes,  foi ocupada sucessivamente por eslavos, sarracenos, cruzados e  turcos otomanos, até seu retorno à Grécia em 1913. A cidade sofreu um grande incêndio em 1917 e foi ocupada novamente, na década de 40, pelos nazistas. Tem agora uma população com cerca de 700 mil habitantes, cena cultural intensa e animada vida noturna.


Torre Branca, cartão postal da cidade.

A Torre Branca  foi adotada como símbolo de Thessaloniki.  É também um símbolo da soberania grega sobre a Macedônia. Construída no séc. XVI, durante o domínio otomano e usada como guarnição, prisão e forte, tem uma  história marcada por tragédias que a cidade  procura esquecer. Por muito tempo foi chamada de Torre Vermelha, em razão do grande derramamento de sangue , que ali ocorreu, num terrível massacre de presos.




Quando Thessaloniki foi recapturada pelos gregos - no dia 26 de Outubro de 1912, dia do seu Santo Protetor - a cidade libertou-se do jugo secular e  uniu - se  à Pátria Mãe. A Torre foi , então,  pintada de branco e passou a ter o nome atual. Hoje abriga um museu bizantino, com rico acervo dos séculos XIV e XV. No topo da torre, há um pequeno café que oferece bonita vista da cidade. Junto à Torre Branca, há um parque, onde circulam  pessoas da localidade, muitos turistas e muitas câmeras.




Existem renomadas fábricas de cobre, de ferro, de chumbo e de vidro em toda a Macedônia. Mas o que faz Thessaloniki famosa é o fato de ser a  Cidade das Letras e das Artes  e  de  lembrar as Epístolas de São Paulo. Famosos eruditos, oradores, filósofos, teólogos, historiadores, juristas e pintores de ícones, fazem  dela um vibrante centro cultural. Também é reconhecida por sua boa culinária e seu estilo de vida tranquilo, mas festivo. O point da população, principalmente dos jovens, vai do Porto à Torre Branca.

Torre no Centro de Thessaloniki

OTE Tower é uma torre de 76 metros de altura localizado no Centro de Exposições Internacional de Salónica, no centro de Thessaloniki. Foi projetada pelo arquiteto grego Anastasiadis, concluída em 1965 e inaugurada em 1966, com as primeiras transmissões, em preto e branco, de uma rede de televisão grega. Renovada em 2005, tem , no seu piso superior, um restaurante giratório. Hoje  é usada por uma rede de telefone celular.


Centro histórico
Há, em Thessaloniki, outros lugares interessantes, que apreciei em visitas anteriores. Lembro-me bem das igrejas Agios Dimitrius e Agia Sofia; do Fórum Romano; do Museu Arqueológico; do Arco de Galério; das Muralhas; do Mosteiro, com um púlpito que, de acordo com a tradição, teria sido usado por São Paulo quando de suas pregações na cidade. Nas proximidades , há também lugares interessantes para visitar, como o Monte Olimpo - a morada dos deuses - e o Monte Athos, este só pode ser visitado por homens. Saio de Thessaloniki sentindo-me  feliz por  tê-la visto uma vez mais.

"Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir.
Sentir tudo de todas as maneiras.
Sentir tudo excessivamente..."


Fernando Pessoa