quinta-feira, julho 12, 2012

Santa Bárbara, a Rainha das Missões.



Se fosse em Alegrete ou Rosário do Sul, em dia de trovoada, seria Santa Bárbara e São Jerônimo , expressão que ouvi muito durante minha infância e nunca entendi por que esses nomes estavam sempre juntos. A Santa Bárbara deste post é uma tranquila cidade, com cerca de 100 mil habitantes, situada no sul da Califórnia e originada da Santa Barbara Mission, a décima missão construída pelos espanhóis ( 1786) e a única que nunca deixou de ser ocupada. A fachada clássica  da Mission foi projetada por um padre italiano, Antonio Ripoll, que se inspirou num arquiteto italiano ( 27 a.C.). As estátuas são de madeira entalhada. O interior é neoclássico com colunas que imitam mármore.O conjunto impressiona.




Muitas vezes chamada Rainha das Missões, é a mais visitada de todo o estado. Seu estilo passou a ser conhecido como o estilo das missões, tanto pelas suas duas torres, quanto pela mistura de romano, mourisco e eapanhol. A estrutura atual, entretanto, tomou essa forma após a reconstrução, que foi necessária depois do terremoto ocorrido em 1812. Na frente da missão, há um grande espaço com plantas, uma bonita fonte e algumas estátuas, incluindo a de seu fundador.  O lugar é bem interessante para passear e descansar, antes de voltar às movimentadas estradas da Costa.




Seus Jardins Sagrados, hoje realmente muito bonitos e perfumados pelos muitos canteiros de la vanda,  foram, por um tempo, lugar de trabalho de índios dessa região. O museu mostra móveis e objetos de várias fases da Mission e  evidenciam o despojamento em que viviam os primeiros habitantes do lugar. Na lojinha - como todo o museu tem , encontram-se artigos religiosos e bonitas fotos e reproduções. Também sobre Santa Bárbara contam-se muitas hiostórias de fantasmas - prometo um post somente sobre esse tema!





Santa Bárbara está localizada em frente ao  Pacífico e fica  ao norte de Los Angeles, cidade de onde provêm grande parte de seus frequentadores. Foi fundada pelos espanhóis,  herança que se pode observar no estilo arquitetônico das construções vistas na sua avenida principal. Não se tem dificuldade de encontrar restaurantes e hotéis. As dificuldades, a meu ver, durante o verão, ficam por conta do trânsito intenso nas estradas que dão acesso às praias e à cidade. Resta pensar que, para andarilhar, precisa-se de flexibilidade e paciência. E sei o quanto se é recompensado!