sábado, julho 28, 2012

San Francisco de Muitas Gentes!

Claudius , meu primo . e eu
Dormimos perto de San Francisco, pouco antes de San Mateo, em Belmont. Foi um sono repousante que nos preparou para os WOWs de Sanfran, como escutei pessoas, carinhosamente, chamá-lo. Ainda pela manhã, entregamos o carro, locado em San Diego, e fomos para o hotel reservado: o  Queen Anne, um bonito hotel , em prédio vitoriano, datado de 1890, com móveis antigos e decoração da época. Inclui café da manhã ( razoável) e vinho, café ou chá ao final da tarde:  www.queenanne.com.

 
San Francisco

Logo depois, Claudius, meu primo, filho da Nely e neto do tio Estêvão, irmão do meu pai, foi encontrar-nos no hotel . Caco, um doce de pessoa, foi amoroso e incansável conosco.Mostrou-nos essa cidade, que ele adotou como sua, detalhadamente e com alegria e encanto partilhado por nós. Nos demais dias, Caco continuou a acompanhar-nos, pessoalmente ou por telefone. Assim foi até o momento em que nos deixou no aeroporto, quando partimos para Portland. Obrigada sempre, primo querido.


Lombard  Street

 Ao longo do Oceano Pacífico e da Baía que lhe dá o nome, a cidade de San Francisco, que tem cerca de um milhão de habitantes e harmoniosa combinação entre natureza e arquitetura, encanta à primeira vista. E esse encanto só aumenta à medida que a gente a conhece melhor. Há muito o que ver - .e vimos mil  coisas interessantes.




 
Começo com a Lombard Street. Fantástica. Trata-se de uma colina, bastante íngreme, em que os carros tinham muita dificuldade de transitar. Em 1920, a solução encontrada foi refazer o trecho, próximo ao topo do Russian Hill, acrescentando-lhe oito curvas, com ajardinamento de hortênsias, nos intervalos. Hoje, os carros só podem descer essa que é chamada a rua mais sinuosa do mundo - os pedestres usam uma escadaria.
 

Ilha de Alcatraz
  
O Pier 39 , antigo porto, reformado em 1978, é imperdível tanto para turistas quanto para moradores locais. Além de muitas lojas, restaurantes, atrações e brinquedos para a criançada, do 39 pode-se ter duas vistas interessante : o deque dos os leões - marinhos e a ilha de Alcatraz.  Os leões - marinhos costumam estar nesse deque, especialmente construído para eles. São  barulhentes e gostam de expor-se ali, sem medo dos olhares curiosos e das inúmeras câmeras que para eles apontam. Havia poucos quando eu os vi, mas disseram que a população é bem maior em outros dias. 


Haight- Ashbury - tradicional bairro

Alcatraz - antigo forte, transformado , em 1907 em prisão militar e ,posteriormente, em prisão de segurança máxima, recebeu alguns criminosos famosos, entre eles , Al Capone ( Scarface), famoso gângster, que ali esteve por cinco anos, e Robert Stroud , mostrado no filme O Homem de Alcatraz. Há passeios, programados, com um dia de duração, para visitar toda a ilha. Inclui a simulação de sons próprios do período em que foi habitada e à entrada nas pequenas celas solitárias, onde os prisioneiros ficavam de 16 a 23 horas por dia. Não tive o mínimo desejo de ir até lá.




Penso que nenhuma visita a San Francisco é completa sem um passeio, se possível demorado, pelo Haight-Ashbury, bairro onde nasceram  os movimentos hippie e beat.O movimento hippie floresceu no famoso Verão do Amor , em 1967, quando setenta e cinco mil jovens migraram para San Franvcisco, lugar em que  era possível viver de forma pacífica e alternativa . Haight - Ashbury , então, acolheu-os; e esse estilo de vida espalhou-se pelo mundo como bem o sabem as pessoas da minha geração. A atmosfera do bairro é única, com muitos barzinhos, brechós e lojas que vendem os itens mais esperados, como naturebas,  inesperados, como chapéus antigos. Das pessoas locais, espera-se escutar Paz e Amor a toda hora. Poetas, escritores e artistas em geral , pessoalmente ou através de suas histórias, habitam o local. É o lugar onde eu ficarias dias tomando café...de bar em bar...de café em café ( foto nossa feita pelo Caco, que é excelente fotógrafo).





O hotel em que nos hospedamos, está situado no Japan Center, um lugar tranquilo e bonito que foi construído em 1960 como parte de um programa de revitalização do Filmore Districto. Ao redor de um pagode de concreto (foto) , com cinco andares e 22 metros de altura, há muita movimentação de visitantes locais e turistas. Além de um belíssimo jardim japonês - o Peace Pagoda Garden -  encontram-se, nessa área,  restaurantes , de comida japonesa, é claro, lojas e esculturas e monumentos encantadores.No mês de abril, acontece um Festival que eu gostaria muito de ver : o Cherry Blosson Festival - a Festa da floração das cerejeiras, que atrai músicos, artistas, bailarinos e visitantes de toda a Bay Area. No dia anterior ao de nossa chegada, finalizou, no Japan Center, um grande Festival de Jazz. Pena! gosto tanto de jazz e, desta vez, cheguei atrasada.


Chinatown
 
Chinatown é a segunda ( ou seria a primeira?) maior dos Estados Unidos e uma das maiores comunidades chinesas fora da Ásia. É uma cidade dentro da cidade de San Francisco. Ocupa 24 quarteirões e tem na Grant Avenue a sua rua principal. Impossível visitá-la em pouco tempo. É grande a variedade docomércio, na rua principal da Chinatown : bordados, tecidos de seda, chales, jóias de jade e todo o tipo de miudezas; encontram-se farmácias de medicamentos fitoterápicos,que curam da impotência à unha encravada. 




 Na rua paralela, entretanto, a Chinatown turística cede lugar àquela do cotidiano, que se parece com o país de origem - até senti saudades de alguns lugares da China. Nessa rua, estão as peixarias, as fruteiras e as vitrines com o pato laqueado sendo preparado- delícia! Estão os restaurantes de comida chinesa regional - como, por exemplo, de comida cantonesa, que tanto me assusta. Estão, ainda, as bancas de jornais chineses e as casas de chá, muito frequentadas por idosas senhoras. Todas as ruas têm nome e informações em inglês e chinês : o mesmo acontece nos outros bairros étnicos, que têm as informações em inglês e na língua dominante na área. A arquitetura é bem característica, com casas e pequenos edifícios com tetos em forma de pagoda. As lâmpadas das ruas são típicas, bonitas e bem trabalhadas. Há lanternas por toda a cidade e cabines telefônicas com design próprio. Pode passear por ali, tranquilamente, tanto de dia quanto de noite. Ultrapassar-se o portão principal da China Town de San Francisco é já entrar num mundo de formas, cores, sons e aromas diversos e diferentes. Belo passeio


Famosa ponte de São Francisco
 
Penso que grandes realizações dependem de criatividade sim, mas dependem muito de persistência e determinação. No maior parque de San Diego, no Balboa,  uma mulher passou a sua vida plantando árvores e deixou uma herança fantástica a que todos, certamente, agradecem. No Golden Gate Park , John McLaren dedicou 57 anos de sua vida a plantar árvores de mais de 3500 espécies, nos 450 hectares do Golden. São cinco km de comprimento por um km de largura plenos de atrações para todos os gostos e idades. Encontram-se ali um Conservatório de Flores, com  grande variedade de plantas e flores tropicais; um Museu de Arte, que inclui uma seção de arte indígena; um Jardim de Chá Japonês, que veio da Exposição de Inverno de 1894; a Academia de Ciências, que tem, entre outras muitas atrações, um aquário e um planetário. Encontram-se, ainda nesse parque, sete lagos artificiais, quadras de tênis, futebol, basebal e belos campos de golfe. Há, ainda, um  Moinho de Vento, num bonito jardim , dedicado à Rainha Guilhermina da Holanda, onde se pode ver grandes canteiros de tulipas, harmoniosamente planejado. Adorei o Golden Gate Park , que teve seu início em 1870, num lugar que foi recuperado, com técnica, paciência e consciência, sem agredir àquela área de dunas, próximas ao Oceano. Quero muito voltar lá. Para tanto preciso de longa vida ou...de outras vida.Encerro este post com uma foto minha e do Ronald , bem acompanhados da aniversariante do ano: a Golden Gate Bridge , com seus 2,8 km, que está completando 75 anos em 2012. Happy Birthday!