quinta-feira, junho 07, 2012

Garage Sale

Indicação de Garage Sale no quarteirão
Garage Sale com muitas roupas infantis
Como escrevi no post anterior, Paxton é uma cidade muito tranquila. Além das datas festivas nacionais, parece-me que o fim de semana mais movimentado ocorre, normalmente, no final da primavera, quando ocorrem as  " garage sale" , em toda a cidade. É uma tradição  no país, mas é, nas cidades pequenas, que elas se tornam um acontecimento. As garage sale , yard sale, rummage sale, tag sale, lawn sale, attic sale, moving sale, garbage sale or junk sale, nomenclatura que muda conforme o lugar ou algumas características, realizam-se nas garagens das casas ou parcialmente em frente a elas. Não precisam de permissão de ninguém, não pagam nenhum tipo de imposto e a família assume todo o trabalho. Algumas vezes, grupos, como, por exemplo, os escoteiros, realizam garage sale em salões, com doações da comunidade.

Há combinações entre os municípios próximos para que esse evento seja realizado em datas diferentes. Seguindo um mapa, anteriormente distribuído, pode-se visitar, em um dia, todas ou quase todas as garagens. Em Paxton , este ano, eram cerca de quarenta. Os itens, colocados à venda por preço irrisório, incluem roupas, sapatos, livros, Cds, DVDs, ferramentas, utensilhos de cozinha, louças,  brinquedos, aparelhos elétricos, eletrônicos e tudo o mais que se possa imaginar...ou não! Há o inimaginável também.


Com paciência, pode-se garimpar maravilhas. Já encontrei um faqueiro com 120 peças por US 10 e uma coberta de mesa, de porcelana inglesa, belíssima, por US 20. Dificilmente compro algo : por não necessitar ou nao querer carregar. Amo, entretanto , ouvir as histórias -  e elas vêm se a gente mostrar interesse por elas -  que acompanham as vendas.

Conjunto de louças antigas (chinesas)
Uma senhora, que estava vendendo toalhas de linho, bordadas à mão, contou-me que fora um trabalho feito para o enxoval de sua mãe. Ela sabia como eram lindas , mas  tinha apenas uma filha e ela não se interessava por essas coisas difíceis de lavar em máquina. O mesmo argumento usava a moça que estava vendendo uma coberta de mesa, em porcelana inglesa, e uma bateria de cristais tchecos - impossibilidade de colocá-los na máquina. E fora uma herança de família!
Descobri que muitas pessoas fazem o que faço: começam trabalhos manuais e não os terminam - estavam ali à venda, incompletos.

Prato grande de louça francesa.Lindo.
Numa garagem, no ano passado, encontrei uma calça de malha, muito bonita, que eu sabia ficar perfeita para mim. Comprei-a por US 2. Olhei para o lado e vi mais  cinco calças do mesmo modelo , em diferentes cores, e que estavam, ainda,  com a etiqueta da loja e o preço original - US25. A dona da casa contou-me que comprara essas calças no verão anterior, usara uma delas, mas não gostara, não lhe era cômoda - por isso estavam ali. Comprei-as e foram muito usadas por mim.
Lora, com seus 80 anos e seu Cadilac, é minha companheira. Ela compra roupas, sapatos e tênis para crianças de instituições de acolhimento, no Peru e no México. Fizemos uma dupla incansável e nos divertimos muito - temos muitas histórias a contar, como da vez em que eu , contrariando o mapa das garagens, queria chegar numa casa, onde eu via muitas pessoas e carros. Ainda bem que nos aproximamos devagarinho, sem estacionar . Era uma cerimônia fúnebre.