quarta-feira, maio 02, 2012

República da Irlanda: Glendalough

Na República da Irlanda, distante pouco mais de 50 km,  ao Sul de Dublin, em meio a um vale das montanhas de Wicklow, está Glendalough ( pronuncia-se Glendalók) , pleno de histórias, mistérios e misticismo. Chega-se lá, deixando a estrada principal e seguindo por estradinhas encantadoras. Percorre-se, depois, a pé , caminhos abertos entre florestas densas de indescritível beleza, vendo o Vale dos Dois Lagos, como significa o nome Glendalough ( Os dois lagos aparecem nas duas primeiras fotos).

Das montanhas que cercam o vale, descem grandes e minis cascatas de água límpida e fria. A vegetação é variada e bonita.  Nessas horas, gostaria muito de ter estudado botânica para identificar e apreciar melhor as diversas - e diferentes - árvores, arbustos e flores que vejo. 

De longe, já se avista a Torre Redonda, muito alta, com mais de 30 metros, construída, assim , para proteger e preservar  escritos estudados ou produzidos pelos 3 mil monges que ali viveram, acompanhando os ensinamentos de São Kevin. As ruínas do Monastério, fundado nos anos 600, estão razoavelmente preservadas, e o local todo     impressiona muito.
São Kevin nasceu em 498, descendente de família nobre. Conta a lenda que, após ter uma visão em que Deus o mandava ir a um vale com dois lagos e lá construir um mosteiro, São Kevin abandonou todo seu conforto e riqueza e foi viver , como eremita,  numa caverna, no lugar que lhe fora indicado. Depois de um tempo, criou um importante centro de aprendizagem e solidariedade, dedicado ao cuidado de doentes e à cópia e iluminação de manuscritos antigos. Muitas são as historias desse santo , que é celebrado no dia 3 de junho, com a presença de peregrinos de várias partes do mundo.

Outra lenda que se ouve sobre São Kevin é  que , uma vez, ele orava com os braços estendidos e as mãos espalmadas para cima. Um pássaro - um melro -   pôs um ovo em uma de suas mãos estendidas. Ele permaneceu assim, sem se mexer, até que o ovo abriu-se e dele saiu um filhotinho.

Parece mesmo que São Kevin fundou, com esses três mil monges,  uma verdadeira universidade do começo da Idade Média.

O mosteiro foi crescendo e até tornou-se uma cidade de peregrinação, considerada a “Roma do Oeste”. No local, está, ainda, um grande cemitério, com cruzes celtas e textos, alguns com leitura possível, de diferentes épocas.

Glendalough  resistiu bravamente aos ataques vikings e anglo-normandos. Somente no século XVI é que os monges começam a enfrentar dificuldades para sobreviver, e o mosteiro cai em decadência.

Transformou-se, hoje, num lugar de muitas visitas, seja de peregrinos, seja de turistas e curiosos. E com razão!
O vale é realmente encantador. Diariamente, partem de Dublin muitos ônibus a carros, levando pessoas interessadas em conhecer principalmente as ruínas do mosteiro e das igrejas ali erigidas.

Glendalough é fantástico. Imprescindível visitá-lo. De um lado  , está o mosteiro, um dos mais antigos do país;  do outro, a parte natural, os dois lagos, muitas  ovelhas, colinas verdes, paisagem inesquecível. Em todo lugar, uma profunda sensação de paz.