segunda-feira, dezembro 19, 2011

Viajantes Especiais


" Posso ir à casa da vovó para ver os slides e as fotos das viagens dela? "
Fabianinha,Fernando e eu
Durante vários anos ouvi esse pedido e autorizei  filhos, sobrinhos e filhos de amigos a irem à casa de Erica Renner de Araujo, nossa vizinha em Torres. As crianças retornavam encantadas, referindo informações sobre a geografia, a história e a cultura de povos distantes. Vovó era tão fascinante que até o Fernando, reconhecido como tinhoso, nosso pequeno terrível,  ficava atento, escutando sua fala, vendo suas projeções e - o que era muito importante - assistindo a suas demonstrações de passos de dança de povos visitados. Sim! Erica , formada na ESEF/URGS, a primeira instituição formadora de professores de Educação Física no Rio Grande do Sul, foi exímia bailarina em Porto Alegre e Campeã de Atletismo pela SOGIPA. Era uma bela mulher e integralmente educadora  -  pelas informações, pela alteridade, pelo amor à arte e ao esporte, pela fineza dos gestos e pela elegância postural. Gostava de viajar e de partilhar suas experiências de viagem.
Para Erica,.....
Lembro - me da  Fabianinha , com 5 ou 6 anos, contando sobre as pérolas negras e  as pérolas brancas , oriundas do Japão,  que a Vovó lhe mostrara - nao sei se em jóia ou em foto; lembro também de ela contar a história dos Músicos de Bremenn , com toda a coreografia que vovó lhe ensinara. Um dado interessante : a Vovó a que venho me referindo, nesse tempo, devia ter pouco mais de sessenta anos.
Foram muitos os nossos anos de vizinhança. Conheci seus filhos ainda adolescentes; conheci seus netos quando pequenos. Nossas crianças tiveram suas crianças - ou terão. Ela foi morar em Gramado, mas sei que  lembrava dos meus filhos e sobrinhos. Sua lembrança ficou carinhosamente guardada em nossa memória.
Erica e Vick, sua neta.
Nunca, entretanto, agradeci a Erica Renner de Araujo pela contribuição à formação de viajantes que ela deu a nossos pequenos - e a nós indiretamente. Não disse a ela sobre sua importância em nossas vidas, seu exemplo de boas maneiras, delicadeza, paciência e amor para com os pequenos.
Sua existência foi uma dádiva na partilha do conhecimento e no despertar do desejo de conhecer este mundo tão grande, por vezes tão contraditório, mas mesmo assim tão bonito.
Agora, aos 87 anos, ela partiu. Que os anjos a acompanhem nesta sua última viagem. E , se Anjo ainda aprende, estará lá Erica Renner de Araujo disponível para ensinar - como sempre esteve.