terça-feira, novembro 15, 2011

Polônia : Varsóvia e Cracóvia

Varsovia:Centro Histórico reconstruído




















Quanto mais visito a Polônia, quanto mais leio sobre ela, mais admiro os poloneses - povo gentil, educado, batalhador e forte. Imaginem um País que , na Segunda Guerra Mundial, teve dois terços de sua capital completamente destruída , transformada em escombros, e que está agora totalmente reconstruída. Esse País também  parece ter - e manter - forte liderança na região. Foi o primeiro do Leste Europeu e dos Bálcãs a opor-se - e a derrubar em 1989 - o regime soviético que os oprimia.

Centro Histórico de Cracóvia




















A Polônia é um dos maiores países da Europa Central. Tem uma população em torno de quarenta milhões de habitantes e quase mil anos de história. Suas principais cidades são Varsóvia - capital atual - Cracóvia - antiga capital - Gdansk e Poznan - uma das mais antigas cidades polonesas, com mais de mil anos. Merecem todas elas uma visita , mas é melhor visitá-las fora de seu período de inverno porque é uma região bastante fria. Na escrita polonesa, vale observar,  predominam as consoantes e , ao contrário da Língua Portuguesa, o centro silábico não é vocálico. Gosto muito da língua polonesa, língua eslava ocidental, muito parecida com o slovaco e com o tcheco.


Cracóvia: Torre da Prefeitura


























Varsóvia é uma explícita declaração da capacidade que tem esse povo de reconstruir seu patrimônio.
Sua  reconstrução  foi feita tendo como base documentos , pinturas, fotografias e memórias pessoais, tornando-se como era antes da entrada dos nazistas. Com certeza, o resultado impressiona muito a qualquer visitante. O centro da cidade foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Varsóvia está localizada no centro do país, às margens do rio Vístula e distante trezentos quilômetros de Cracóvia. Há muito o que ver e onde passear nesta cidade com tantas ruas específicas para pedestres. É possível percorrer a pé grandes atrações como teatros, museus, igrejas, edifícios históricos, praças - a Praça do Mercado da Cidade Velha é um encanto - palácios, monumentos e Castelo real. Melhor evitar táxi, um dos grandes problemas do Leste.





















Quando eu passava férias na Slovakia, costumava ir a Cracóvia frequentemente. Para mim, ela é uma das cidades mais lindas do Leste Europeu. Costumo hospedar-me no Hotel Polônia (: Basztowa 25, Stare Miasto, 31-156 ), um três estrelas simples e agradável,  localizado quase em frente à Estação Central de Trens, num sólido edifício antigo, bem perto do Centro Histórico, onde eu costumo ir por um caminho mais longo - através de um parque belíssimo. Nessa cidade, Karol Wojtyla viveu durante trinta anos, antes de tornar-se João Paulo II. Assisti, nesta viagem,  a uma missa na Catedral de Santa Maria, onde ele também rezou por muito tempo. Impressiona a beleza e a imponência dessa igreja bem como a beleza do ritual e das músicas entoadas pelas fiéis. Há muito o que ver em Cracóvia. Sobre ela , já escrevi outras vezes neste mesmo blog.






















Comecei a visitar o Leste Europeu quando ainda era difícil conseguir visto para essa visita. Aos poucos, os países que o integram, foram-se tornando destaque no turismo internacional. Hoje o turismo é uma de suas maiores fontes de riqueza; não houve, entretanto, perda de identidade de nenhum deles. A Polônia , muito respeitosa com símbolos e bastante religiosa, é toda bonita - suas cores, seu artesanato de madeira , suas inúmeras igrejas e capelas, suas obras de arte, enfim, sua história, sua geografia e sua cultura.  Amo as montanhas Tatry, que formam uma cordilheira na fronteira da Polônia e Eslováquia. São pouco conhecidas e muito bonitas - um lugar a que se deseja sempre retornar.