quinta-feira, novembro 03, 2011

Letônia: Museu do Automóvel





















Não me considero turista; sou mesmo andarilha, viajante. Tenho a vital necessidade de mover-me pelo mundo, um mundo que é redondo, bonito e fácil de andar. Gostaria que todas as pessoas pudessem viajar – e tivessem o gosto de fazer isso – mesmo que fosse para as cidades próximas de sua casa. O limite espacial é de cada um, assim como o tempo e o dinheiro disponível .Gosto muito de dar informações sobre os lugares que conheço, sobre coisas que vi, sobre experiencias que tive. Leio muito sobre os lugares que planejo – ou sonho - conhecer. Estudo-os antes, durante e depois de viajar. Considero-me razoavelmente informada sobre viagens – oposto total quando a informação é sobre carros.





















Consigo distinguir ônibus de caminhão; kombi de carro; ambulância de táxi! Não vou muito além. Sim!!! Distingo marcas, quando as consigo ler.... Identifico, às vezes , meu próprio carro, embora já tenha tentado abrir carros alheios pensando que era o meu...e achando que a chave estava “errada”... Como sou curiosa, entretanto, visitei, na bela Riga, o Museu do Motor ( Motormuzejs). O prédio, moderno e de interessante arquitetura, tem o formato de um grande galpão e abriga ali perto de 250 veículos, tanto da Letônia quanto de outros Países. Gostei das cores vibrantes usadas nos carros de antigamente : amarelo, laranja, rosa, lilás, além de todas essas que permaneceram e que conhecemos.






















Gostei das histórias relacionadas a alguns dos modelos expostos. Lá está um Rolls Royce, 1966, chiquésimo, prateado, que foi do ex-presidente da Rússia, Leonid Brezhnev , um apaixonado por carros, tanto que ele mesmo costumava dirigi-los. O curioso é que , com esse carro, ele colidiu em Moscou, destruindo uma das laterais. O carro está como ficou após a batida e , na direção, um modelo de cera, muito semelhante a Brezhnev – parece que até se pode sentir o cheiro de vodca! Que maldade dizer isso!






















No mesmo Museu, encontra-se  uma limusine blindada , que foi usada por Stalin. Painéis , junto a cada carro, identificam o modelo, indicam o ano de fabricação e , na soma de todos esses painéis, tem-se um resumo da história da indústria do automóvel na região.Lembrando as guerras , lá estào veículos militares de diferentes tamanhos e para diferentes funções. Para mim, um museu diferente que valeu a pena visitar. Imagino, entretanto, o que seria de interessante essa visita para uma pessoa que gosta e que realmente conhece automóvel - como Fabrício , meu sobrinho, e Mile, meu irmão..