quinta-feira, outubro 20, 2011

Suécia : o país

Dizem que a Suécia só tem mesmo três cidades: Malmö, que visitei , faz alguns anos  e que já comentei neste blog; Göteburg, que ainda não conheço ; e Stocolmo , onde estou agora. Fora essas , os demais aglomerados são considerados vilas, que variam bastante de tamanho. Todo o País, porém, possui um dos mais altos Índices de Desenvolvimento Humano ( IDH).

Neste ano, a população do Reino da Suécia deverá ultrapassar a nove milhões e cem mil habitantes. Sendo o terceiro país de maior área, na União Europeia, pode-se dizer que possui baixa densidade populacional. Apresenta uma expectativa de vida de 78,7 anos para os homens e 83,5 para as mulheres. Sua taxa de alfabetização é de 99,4 %. Desde 1995, é membro da UE, adotando, entretanto, uma política externa não alinhada , em tempos de paz, e de neutralidade  em tempo de guerra.

Com essa ampla política de bem - estar,  cuida-se atentamente da população. Tanto a ONU quanto o Fórum  Econômico Mundial  apontam o País como um dos melhores para as mulheres. É onde as mulheres têm  maior número com diploma universitário, seguem uma carreira com igualdade de salário em relação aos homens e ocupam  cargos públicos sem discriminação ( explícita ou implícita) de gênero. São realmente apoiadas pelo Estado , visto que podem tirar até dezoito meses de licença-maternidade , e as creches são suficientes e subsidiadas.

O artesanto sueco encanta pela originalidade e beleza e pelas constantes releituras que combinam as antigas tradições com as novas tendências.Um exemplo disso é o cavalinho vermelho, com origem mitológica e símbolo da Suécia, realizado em madeira, cujo desenho aparece , atualmente, em peças diversas, como o pratinho que comprei (foto). Além do artesanato de madeira, o artesanato em vidro é bastante singular e lindo.

 Apesar do frio e das poucas horas de sol, durante rigoroso inverno, o povo encontra formas muito particulares de criação e desenvolvimento, como ocorre, desde 1990, em Jukkasjarvi, Norrland. Engenheiros, arquitetos e artistas , nacionais e internacionais, reúnem-se para construir um luxuoso hotel ,  utilizando quatro mil toneladas de neve, que levam quatro meses para derreter. O hotel , com decoração rica e variada, incluindo elementos de castelos, chega a receber quinze mil hóspedes, que pagam, entre 400 e 800 dolares, para dormir nesse engenhoso projeto .

Há muito o que descobrir na Suécia, que mantém sua própria moeda ( corona ),não tendo aceitado , em plebiscito, o euro. É fácil viajar  por esse tão belo e tranquilo país. Com o uso do inglês, não se tem a mínima dificuldade de comunicação.

Quem ainda não leu a fantástica trilogia Millennium , fenômeno literário de Stieg Larsson, faça isso que vai gostar. Os livros são ótimos - e , de quebra , tem-se uma visão boa das cidades aqui mencionadas.