quarta-feira, setembro 07, 2011

Fronteiras e Esculturas


























Na Galeria arteperiférica (  http://www.arteperiferica.pt/ ), no Centro Cultural de Belém, de  03 a 30 de setembro de 2011, está a exposição FRONTEIRAS. De imediato , encantei-me com as obras expostas e com o sentido do título. O escultor, Pedro Pires, nascido em Luanda, vive e trabalha em Lisboa e Londres. Usou, como material, tijolos e ferro, contrastando cores e formas e obtendo efeitos de rara beleza.
Uso o termo fronteira não só para indicar linhas demarcatórias entre países - embora "fronteiras sejam linhas e milhões de homens tenham morrido por elas" . Uso-o para indicar o encontro de identidades diferenciadas e para indicar um continuum pelos dois lados dessa linha. Assim, falamos em fronteiras econômicas, fronteiras culturais, fronteiras históricas e fronteiras geográficas... Como estudei e pesquisei sobre educação em áreas de fronteira, durante 20 anos, a palavra tem para mim um forte conteúdo semântico.
Emocionei-me com as fantásticas esculturas de Pedro Pires. Fronteiras mesmo, inclusive na escolha dos materiais. Foi  um presente especial eu estar aqui ,neste período, e poder ver o que vi.
PS.Este post constitui uma homenagem a Luís Ernesto Behares, grande pesquisador do tema fronteiras, no seu mais amplo sentido.