sábado, setembro 17, 2011

Domingo, no Parque do Muro

Estivemos , numa manhã de domingo, passeando no Parque do Muro ( Mauerpark). Um grande espaço, com muito verde, mas  menos cuidado do que costumam ser os parques alemães.

Esse espaço, parte dele por onde passava o muro, foi sendo ocupado , gradativamente , pela população local. O poder público acompanhou o movimento, dotando-o de melhores condições, como sistema de som, iluminação, espaços recreativos para crianças, quadras de esporte.


No verão deste ano, em dois domingos consecutivos, foram postos pianos para serem usados pelos frequentadores. Contaram-me que muitos músicos se apresentaram - espontaneamente, como ocorre também, no Karaokê, com cantores de diferentes estilos musicais. Apresentam-se ali diversas bandas musicais. Impressionou-me a participaçao alegre, porém tranquila, de verdadeira multidão de jovens, crianças e adultos.
A estimativa é de cinquenta mil pessoas, por domingo, circulem nesse espaço, onde se encontra, ainda, um grande Mercado de Pulgas, que vende coisas diversas - alimentos, roupas, calçados, antiguidades, acessorios, móveis, ferragens, eletrodomésticos, artesanato - tanto por preços irrisórios, quanto por preços normais.
Muitos artistas de rua se apresentam. Muita gente toma sol nas escadarias ou nos gramados. Muitos passeiam simplesmente.
Difícil acreditar  que, em 13 de agosto de 1961, Berlim foi dividido em duas partes. Imagino   familiares e amigos, separados pela vilência, em forma de concreto, num muro de mais de 150 km.Nessas horas , eu penso no que o ser humano é capaz , desde que encontre parceria e momento histórico propício.