domingo, maio 29, 2011

Toronto, acolhedora e multicultural.


Denominações bilingues ou multilingues




















Se eu fosse definir Toronto mediante o acréscimo de um único adjetivo, provavelmente escolheria multicultural - pois foi assim que essa cidade me pareceu. Com quatro milhões e meio de habitantes, tem 10% de chineses e 500 mil italianos. Tem, ainda, a maior colônia portuguesa da América do Norte e tantos outros povos que se torna impossível listá-los, pois descendem de centenas de grupos étnicos. É a mais rica cidade da região e a mais próspera do país. Além da diversidade cultural, destaca-se pelas belezas naturais e pelo fluxo constante de turistas. Percebi que nao se vêem muitos americanos  por aqui. Segundo um taxista - meus informantes preferidos -  o dólar canadense vale hoje mais que o dólar americano. Canadá tornou-se , portanto, um país de custo alto para os seus vizinhos da fronteira. 


CN Tower




















Adorei caminhar, horas e horas, por Chinatown, com seus aromas característicos de diferentes especiarias; por  Little Italy, barulhenta e colorida, com as cores da Bandeira italiana e com seus restaurantes e pizzarias; mas foi no Little Portugal onde encontrei maiores semelhanças com o Grande Portugal , a começar pelas senhoras com roupas escuras e lenços na cabeça. Adorei ouvir tantos idiomas com seus acentos característicos. Pude falar - e discutir preços - em italiano, português e espanhol. Foi interessante também ver lojas vietnamitas, indianas, polonesas, portuguesas, todas com diferentes especialidades.


Eaton Center




















Gostei muito de ver a famosa Art Gallery of Ontario, as obras do Grupo dos Sete, que revolucionou a arte canadense;   o Rogers Center, primeiro estádio esportivo com teto móvel;  e o Kensington Market, iniciado por imigrantes do Leste Europeu, que montavam suas bancas nas frentes de suas casas e vendiam produtos típicos. A tradiçao continua - hoje são muitos os quarteirões, onde diferentes povos vendem ferramentas, alimentos, vestuários e tudo o mais que se procurar.
Eaton Center, que a propaganda diz encontrar-se nele qualquer artigo vendido no mundo, tem arquitetura fantástica e, no átrio, a bela escultura de um bando de gaivotas. Não consegui, nos cinco dias em que estive aqui,  ver todos os lugares que havia relacionado para visitar. Por falta de coragem, não arrisquei subir na CN Tower, com seus 553 metros de altura e seu teto de vidro - nem arriscarei!. Voltaremos a Toronto na próxima semana. Ficaremos hospedados na parte oposta à primeira visita, procurando,assim, conhecer melhor a cidade. Daqui, partiremos para Jasper e , depois, Vancouver - uma grande aventura num trem muito especial.